Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 02.03.2020 02.03.2020

Heródoto Barbeiro indica cinco livros para melhorar o português

Vidas Seca

por Fernanda Oliveira

No dia 15 de outubro, comemora-se o Dia do Professor. Com certeza, cada um de nós tem um especial, seja por ministrar a nossa matéria favorita, por ensinar de forma divertida, por dar uma atenção especial a algumas de nossas dificuldades etc.

E por falar em dificuldades, hoje, o português pode ser considerado uma das disciplinas mais difíceis para os estudantes. Mudanças nas regras ortográficas e, sobretudo, a grafia diferenciada utilizada na internet têm feito muito gente “escorregar” na língua portuguesa.

No entanto, estudar o nosso idioma por meio de livros de gramática, aprendendo as inúmeras normas que ela abrange, não é o único “caminho”. É possível melhorar não só a escrita, mas também o vocabulário e o repertório, lendo romances e coletâneas de crônicas, contos e poesias.

Com certeza, dessa forma, une-se aprendizado e lazer. “Uma das maneiras mais prazerosas de aprender alguma coisa é quando a gente se diverte. Por exemplo, estudar uma língua por imersão. Vive-se o dia a dia e, ao mesmo tempo, aprende-se o idioma. O mesmo se dá com a gramática e o vocabulário. Só de falar em estudar já dá um arrepio. Mas é possível aprender com a leitura de autores brasileiros”, confirma Heródoto Barbeiro, âncora do Jornal da Record News, editor do Blog do Heródoto no Portal R7 e autor de inúmeros livros.
Para ajudar na escolha de títulos que contribuirão no enriquecimento do seu português e, ao mesmo tempo, garantirão horas de entretenimento, o jornalista fez uma lista com cinco obras. Confira a seguir.

1. Vidas Secas  – Graciliano Ramos

Graciliano Ramos

Graciliano Ramos – Foto: Reprodução

“Com Vidas Secas, do mestre Graciliano Ramos, é possível desenvolver o vocabulário, conhecer termos regionais e entender melhor a situação de populações que foram assoladas pela seca e tiveram que abandonar tudo para se arriscar na cidade grande.”

2. Getúlio 1882 – 1930 – dos anos de formação à conquista do poder – Lira Neto

Lira Neto

Lira Neto – Foto: Reprodução

“Ninguém precisa se assustar por ser uma obra em três volumes. A história descrita por Lira Neto, é eletrizante. É um livro que a gente começa a ler e não para mais. Com isso, aprende-se vocabulário, gramática e muita, mas muita história do Brasil.”

3. Triste Fim de Policarpo Quaresma – Lima Barreto

Lima Barreto

Lima Barreto – Foto: Reprodução (IELA/UFSC)

“O genial Lima Barreto ‘dá um show’ de como construir a psicologia de um personagem. No livro Triste Fim de Policarpo Quaresma, Policarpo é um nacionalista idealista e corajoso que se arrisca ao fazer críticas contra a sociedade em que vive. É divertido e aprende-se gramática e até mesmo uma ou outra palavrinha em tupi.”

4. O Analista de Bagé – Luis Fernando Veríssimo

Luis Fernando Veríssimo

Luis Fernando Veríssimo – Foto: Divulgação

“Difícil escolher a obra mais gostosa de ler do jornalista Luis Fernando Verissimo. É uma delícia encontrar um gaúcho da fronteira com linguajar e costumes típicos e ainda metido a analista de formação freudiana. Textos de Verissimo podem ser encontrados no dia a dia, nos jornais, na internet, na tevê e em revistas.”

5. I-Juca Pirama – Gonçalves Dias

Gonçalves Dias

Gonçalves Dias – Foto: Reprodução

“Do poeta romântico Gonçalves Dias, é um poema épico. I-Juca Pirama é fácil de ler, pois tem um ritmo gostoso, até parece uma dança com compassos marcados por instrumentos indígenas. Ele foi acusado de mascarar a verdadeira face do índio, mas é ficção, e o melhor juízo pode ser feito por você.”

Recomendamos para você