Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 06.03.2013 06.03.2013

Gustavo Reiz lança livro que retrata a adolescência pelos olhos dos meninos

Por Laíssa Barros
 
Para o escritor, roteirista e historiador Gustavo Reiz, não é novidade contar uma história sobre e para garotos. Seus livros: Bate Corac¸a~o, Confide^ncias, confuso~es e… garotas!, Sonhos de umas fe´rias de vera~o e Confide^ncias, confuso~es e… mais garotas!, todos publicados pela Rocco Jovens Leitores, contam emoções, problemas e tudo o que se passa no universo adolescente através de personagens masculinos, o que não é muito comum na literatura infantojuvenil nacional.
 
Em Proibida pra Mim, não será diferente. Gustavo mostra como um jovem tenta conciliar suas relações amorosas e familiares com seu gosto pela música e seus amigos. “Na minha adolescência, sentia falta de livros que abordassem temas mais próximos da minha vida de adolescente, então comecei a escrever as histórias que eu gostaria de ler”, conta o escritor, que lançou seu primeiro livro com 13 anos.
 

“Procuro sempre me atualizar, acompanhar o que meus leitores estão assistindo, ouvindo, lendo. A relação com eles é ótima. Eu faço questão de conversar com eles em feiras literárias, colégios, Twitter etc. O leitor adolescente compartilha muito suas impressões sobre os livros, o que é muito enriquecedor e acaba gerando material para futuras histórias”, lembra Gustavo.

Leia a entrevista com o autor sobre o novo título e sobre como é escrever a respeito da adolescência através dos olhos dos meninos.

Porque você escolheu escrever para o público jovem? Quais são os maiores desafios disso?
 
Gustavo Reiz. Eu tinha 13 anos quando comecei a escrever meu primeiro livro. Escrevia sobre o universo que conhecia, sobre aquela fase em que eu estava vivendo. Pensava nas situações que eu gostaria de viver, nas situações engraçadas que agradariam a meus amigos, nos amores que qualquer um gostaria de viver, e por aí vai. E a adolescência é uma fase tão rica, tão intensa, que possibilita muitas histórias. Eu me divirto muito escrevendo para esse público. Talvez o maior desafio seja acompanhar as mudanças no dia a dia, principalmente com relação à tecnologia. Nas minhas primeiras histórias, por exemplo, o celular não fazia parte da vida das pessoas como é hoje. Principalmente dos adolescentes. Em Proibida pra Mim, tanto celular quanto internet estão totalmente inseridos na trama, também ajudam a conduzir a história. Evito gírias ou algo muito datado, mas não dá para ficar desatualizado sobre essas mudanças.

Por que você acha que os jovens se identificam com suas obras?

 
Gustavo Reiz. Talvez porque eu não tenha a preocupação de passar alguma lição de moral, como muitos livros voltados para adolescentes. Quero apenas contar uma história, fazer o leitor rir, se emocionar e se identificar com aqueles personagens. Quero que ele tenha bons momentos durante a leitura.

Como é retratar o lado dos meninos?

 
Gustavo Reiz. É muito divertido. Garotas falam tudo umas para as outras e sempre contaram com inúmeras publicações voltadas para elas. Os garotos não! A minha grande surpresa foi quando eu percebi que não só os garotos estavam lendo porque se identificavam, mas as garotas também começaram a ler para entender o que se passava na cabeça dos meninos!
 

Como foi o processo de escrever Proibida pra Mim? Você fez estudo de campo ou alguma coisa do tipo para escrever esse livro?

Gustavo Reiz. Sempre me chamou a atenção a relação dos adolescentes com música. A primeira coisa que eu fazia, assim que acordava para ir ao colégio, era ligar o som. No caminho, também usava meus fones de ouvido. E isso não muda. Acho que a música desperta tantas emoções, embala tantos momentos, que tudo fica melhor com uma boa trilha sonora. E também sempre gostei de histórias de amor proibido. Procurei unir as duas coisas – e muitas outras – numa história com o ritmo acelerado da adolescência.

 
Como você criou e moldou os personagens Pedro e Lia?
 

Gustavo Reiz. Pedro e Lia são adolescentes de realidades bem distintas, tiveram criações completamente diferentes. Ele é um rapaz bastante livre, de classe média, que apesar de ter uma difícil relação com o pai, tem uma bela amizade com a mãe. É um rapaz que gosta de se divertir, sair com os amigos, que se envolve em inusitadas confusões e curte bastante sua adolescência. Lia é uma garota rica, criada como uma verdadeira princesa por um pai autoritário e protetor. Enquanto o mundo de Pedro é enorme, o de Lia é limitado pelos altos muros de seu condomínio. Quando essas duas realidades se encontram, começa a nossa movimentada história de amor.

 
Capa do livro Proibida pra Mim
 
Recomendamos para você