Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 17.11.2009 17.11.2009

Grupo Leya aposta no Brasil

Por Bruno Dorigatti

O grupo editorial Leya chegou ao Brasilpensando em grandes vôos. No ano passado, tentou adquirir algumas editorasbrasileiras, como a Companhia das Letras, Nova Fronteira, Record e Sextante,segundo os boatos no mercado editorial. Como não chegou a fechar com nenhumadelas, decidiu estabelecer-se sozinha, e com meta ambiciosa: lançar cem títulospor ano, a partir de 2010, no Brasil.

Formado emjaneiro de 2008 pela união de doze editoras, dez portuguesas (Edições ASA,Editorial Caminho, Publicações Dom Quixote, Gailivro, Edições Novagaia, TextoEditores, Caderno, Lua de Papel, Oceanos e Livros d’Hoje), uma de Angola(Edições Nzila) e uma de Moçambique (Edições Ndjira), o Grupo Leya nasceuambicioso. 

Ainda em 2008, lançou o maior prêmio para romances inéditos escritosem língua portuguesa, 100 mil euros. O primeiro Prêmio Leya ficou com o jornalistabrasileiro Murilo Carvalho, pelo romance histórico O rastro do jaguar, um dos títulos quemarcaram a estréia da editora no país. No livro de quase 600 páginas, ambientandono século XIX, acompanhamos a trajetória de um índio criado na França embusca de suas origens brasileiras. Este ano, o segundo Prêmio Leya foi para o historiadore escritor moçambicano João Paulo Borges Coelho, pelo romance O olho de Hertzog, cujo enredo sedesenvolve no contexto histórico dos combates das tropas alemãs contra astropas portuguesas e inglesas na I Guerra Mundial, na fronteira entre oex-Tanganica e Moçambique, sul do continente africano. Ol ivros erá lançado em 2010.

Além de O rastro do jaguar, a editora estréia no Brasil com História de canções – Chico Buarque, deWagner Homem, que apresenta os bastidores do processo de composição do cantor; Bendito maldito – umabiografia de Plínio Marcos, de Oswaldo Mendes; Pontal do Pilar, primeiro romance do compositorPaulo César Pinheiro; Conversando é que a gente se entende,dicionário de expressões coloquiais de Nélson Cunha Mello, e Dragões de éter – Coração de neve, literaturafantástica de Raphael Draccon.

 

Com sede em Lisboa, a Leya éhoje a maior empresa editorial portuguesa, líder no mercado de edições gerais. Ocupa também lugar de destaque no mercado do livro didático e paradidático. Possui 21 selos editoriais,  publica cerca de 1.300 títulos novos por ano e imprime mais de 20 milhões de exemplares por ano, chegando a faturar 95 milhões de euros, segundo dados publicados pela revista Veja, em setembro de 2009. 

Entre os autores no catálogo das editoras do grupo estão José Saramago, AntónioLobo Antunes, José Cardoso Pires, Pepetela, José Eduardo Agualusa, Ondjaki,João Ubaldo Ribeiro, Graciliano Ramos, Moacyr Scliar, Mário de Carvalho, MiaCouto, Gonçalo Tavares, entre outros. O grupo também já havia desembolsado 80milhões de euros para comprar a Dom Quixote, braço espanhol em terras lusas daeditora de mesmo nome. 

A ambição, com o início das operações no Brasil é criar umaeditora que se torne referência internacional quando o assunto for a literatura de língua portuguesa. “Não temos ilusão deocupar uma posição expressiva no mercado brasileiro de imediato. Mas também nãotemos pressa”, afirmou o administrador executivo do grupo Isaías GomesTeixeira, em reportagem da revista Veja mencionada acima.

E se o grupoperdeu no começo do ano a disputa do passe de Rubem Fonseca,que foi para a Agir, do grupo Ediouro, vem conquistando nomes importantes paraseu catálogo. Entre eles, o poeta Manoel de Barros, que lança livro inédito emdezembro, além de ter reeditado 17 livros seus, a partir do ano que vem; ojornalista e escritor Carlos Heitor Cony, que lança em 2010 o livro de memóriasEu aos pedaços, reunião de crônicas publicadas na Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil, Correio da Manhã e na revista Manchete;o cineasta e dramaturgo Domingos Oliveira,que terá toda a sua obra lançada em cinco volumes, incluindo teatros,adaptações, reflexões e um livro inédito; Carlos Nejar, com A história brasileira de Caminha aoscontemporâneos, catatau de 1.200 páginas; e o historiador Eduardo Bueno, que relançará a sérieBrasil – Uma história, revisada.

Outro lançamento é Corinthians x outros, do publicitário Washington Olivetto, onde o autor faz a sua seleçãodos sonhos e convida outros corintianos famosos para escolherem os 14 melhores jogadores,entre titulares e reservas, que merecem estar no panteão. Olivetto ainda romanceouas impossíveis partidas e escreveu minibiografias de alguns dos craqueslistados no livro.

Um time de peso para começar. 

 

Share |

Recomendamos para você