Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 16.05.2014 16.05.2014

Godzilla: A história por trás do monstro

Por Edu Fernandes
 
Um dos maiores ícones da cultura pop japonesa é um monstro gigante com o péssimo hábito de destruir cidades em batalhas. Para comemorar os 60 anos de seu primeiro filme, Godzilla (Warner) entra em cartaz em 15 de maio.
Apesar de o monstro ser japonês, o protagonista é estadunidense. Ford Brody (Aaron Taylor-Johnson, de Kick-Ass 2) é um militar que precisa viajar às pressas ao Japão para tirar seu pai (Bryan Cranston, de Breaking Bad) da cadeia. Joe foi preso porque queria ir à casa onde Ford passou parte de sua infância, no meio de uma zona proibida.
A visita não tem apenas caráter nostálgico: Joe quer recuperar informações de quando trabalhava em uma usina nuclear que foi atingida por um desastre misterioso. Ele acredita que assim pode provar que o governo esconde segredos.
Na década de 1950, já havia um herói dos Estados Unidos em um filme de Godzilla. Em Godzilla, o Monstro do Mar (Sony) o repórter Steve Martin (Raymond Burr) investiga desastres na costa japonesa quando o monstro sai do fundo do mar para destruir Tóquio.
As cenas com o jornalista foram gravadas em Los Angeles durante seis dias em 1956 e incluídas no filme original japonês, lançado dois anos antes. Com essa manobra, os produtores conseguiram criar uma maior empatia com o público estadunidense e ainda cortar as referências que o longa japonês fazia às bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki.
 
Cena do filme Godzilla, o Monstro do Mar (1956)
 
Outra mudança foi um aumento no tamanho do monstro. No roteiro japonês, Godzilla é descrito como uma criatura com 50 metros de altura. Na versão americana, o monstro tem 120 metros, o maior de todos os filmes já feitos com o personagem. No longa atual, ele tem um pouco mais de 100 metros de altura.
O visual do bicho mantém-se de modo geral o mesmo, considerando apenas o avanço tecnológico. A maior diferença é que atualmente as cristas nas costas do monstro são da mesma cor de seu couro reptiliano. No passado, elas costumavam ser brancas.
No novo filme, durante o reencontro forçado de pai e filho, um novo acidente ocorre na usina, o que motiva o professor Serizawa (Ken Watanabe, de A Origem) a pedir a ajuda de Joe e Ford. Um monstro chamado Muto, que se alimenta de radiação, foi liberto e faz um rastro de destruição por seu caminho.
 
Aaron Taylor-Johnson passou por treinamento militar para se preparar para o filme
Os militares querem usar armamento pesado para abater Muto, mas o professor acredita que a esperança da humanidade é Godzilla. Essa dualidade entre monstro e herói acompanha o personagem em seus filmes. Por vezes, Godzilla ajuda os humanos, mas em outras oportunidades ele é a verdadeira ameaça.
No novo filme, o roteiro usa parte do nome do monstro para justificar seu papel (god é “deus” em inglês). Godzilla seria uma forma de a natureza reestabelecer o equilíbrio no mundo, afetado pela ação humana que despertou Muto. No entanto, a origem do nome da criatura não tem nada de divino: Godzilla é uma mistura das palavras japonesas para gorila e baleia, em uma representação de sua força e tamanho.
Godzilla é lançado dez anos depois do japonês Godzilla: Final Wars (Sony), que celebrou os 50 anos do monstro. Agora resta saber se os fãs terão de esperar mais uma década para um novo filme com o personagem.
Veja o trailer de Godzilla:
 

 
 
Recomendamos para você