Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 14.10.2013 14.10.2013

Games sem pancadaria

Por Míriam de Souza
 
Praticamente todos os jogos de videogame incluem pancadaria. Pac-Man, ao devorar uma das pastilhas, ganha poderes especiais e vai atrás dos fantasmas para devorá-los. Mario tem que pular sobre os inimigos e esmagá-los. Os passarinhos de Angry Birds fazem de tudo para destruir os porcos.
 
No entanto, esses games não podem ser rotulados como violentos. Pelo contrário, são títulos pertencentes a franquias renomadas, com muitos fãs de todas as idades. Mas existem jogos que funcionam sem brigas. Eles permitem que os conflitos sejam resolvidos de maneira criativa, como desvendando enigmas ou percorrendo belas paisagens.
 
O SaraivaConteúdo listou alguns desses games, no entanto, vale destacar que não foram considerados os que são totalmente constituídos de passatempos, como Tetris ou Sudoku. Foi dada prioridade a jogos que tenham história e mecânica originais, em que nunca (ou quase nunca) seja necessário eliminar inimigos para progredir.
 
JOURNEY
 
Journey
 
Um dos jogos mais premiados no começo de 2013, Journey é uma obra independente da thatgamecompany. Não há batalhas, competições e muito menos pancadaria. O jogador assume o papel de um personagem sem nome, cujo objetivo é completar a jornada entre um deserto e uma montanha distante. Sem diálogo algum, o game faz uso de belas paisagens e música tocante para proporcionar uma bela experiência.
 
PORTAL E PORTAL 2
 
Portal 2
 
São raros os exemplos de jogos de tiro sem violência, mas eles existem. Isso é possível graças à arma usada pela protagonista Chell, que não dispara balas, mas portais. Através deles, é possível se locomover pelos cenários e resolver passatempos. Os níveis envolvem lógica, elementos de física e também ação. Em alguns momentos, há armas guardiãs que atiram em Chell, mas elas não precisam ser derrotadas, apenas evitadas.
 
SÉRIE PROFESSOR LAYTON
 
Professor Layton and the Miracle Mask
 
O professor Hershel Layton e seu assistente Luke Triton são os mais famosos investigadores da história recente dos games. Em 2007, saiu o primeiro jogo da franquia, Professor Layton and the Curious Village. Para solucionar os mistérios, é preciso conversar com as pessoas e interagir com os cenários, adquirindo pistas. Também há diversos passatempos para resolver. Em Professor Layton and the Miracle Mask, uma máscara com supostos poderes misteriosos foi furtada, e cabe ao jogador descobrir quem foi o responsável.
 
SÉRIE KATAMARI
 
Katamari
 
Um pequeno príncipe tem que reconstruir estrelas e constelações que foram destruídas acidentalmente por seu pai. Para isso, ele rola uma bola chamada Katamari, que aglutina tudo ao seu redor. Passando por diversos locais, a Katamari começa minúscula, agregando alfinetes, por exemplo, e vai crescendo. Depois, chega a juntar até mesmo montanhas até atingir o tamanho necessário para se tornar um corpo celeste. Os títulos mais recentes são Katamari Forever para PlayStation 3 e Touch My Katamari para PlayStation Vita.
 
ANIMAL CROSSING
 
Animal Crossing
 
A série estreou no Gamecube em 2001. Nela, o jogador assume o papel de um habitante recém-chegado a uma pequena cidade. Lá, ele tem que explorar as redondezas, conversar com os vizinhos e realizar atividades como pesca. Na versão mais recente, Animal Crossing: New Leaf, todas as ações são em tempo real. O horário do relógio do Nintendo 3DS determina a abertura de lojas ou a presença de animais noturnos, entre outros fatores. A customização é um dos maiores focos, sendo possível criar sua própria casa e visitar as dos amigos.
 
 
 
Recomendamos para você