Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 29.06.2012 29.06.2012

FLIP 10 anos: mesas concorridas e curadores

 
                         ESPECIAL                      
Por Daniela Guedes
 
Festa Literária completa dez anos, faz homenagem a Drummond e lança livros e DVD que contam a história do evento
 
MESAS MAIS CONCORRIDAS
Em toda edição é sempre a mesma história. Mesas concorridíssimas, aquelas em que o público fica contando os dias e as horas para as apresentações dos seus autores prediletos, as novidades do meio literário, enfim, muita gente dando tudo para conseguir um ingresso. Foi assim com as edições que contaram com os convidados Tom Stoppard, Chico Buarque, João Ubaldo Ribeiro, Robert Crumb e vários outros.
Em 2008, por exemplo, Neil Gaiman, criador da HQ Sandman, mencionou em seu blog que estaria em Paraty, e que lá autografaria exemplares de seus livros no sábado à tarde, logo após sua mesa com Richard Price. Próximo da hora marcada, Paraty foi invadida por uma multidão de fãs. Gaiman assinou livros por cinco horas e meia e só parou porque queria assistir a outra mesa.
Na 9ª edição Literária, em 2011, entre as mesas mais concorridas foram “A história em HQ”, com o quadrinista Joe Sacco, “Lugares escuros”, apresentada pelo romancista policial James Ellroy e a “Tour dos trópicos”, que contou com a participação do músico e escritor David Byrne, ex-Talking Heads.
Para este ano, assim que os ingressos começaram a ser vendidos no início de junho, as mesas que já estavam com ingressos esgotados, em pouco mais de meia hora, foram: a conferência de abertura sobre Carlos Drummond de Andrade; a mesa com Ian McEwan e Jennifer Egan; os encontros com Jonathan Franzen o com o Nobel J. M. G. Le Clézio; além do debate entre os brasileiros Fernando Gabeira e Luis Eduardo Soares.
Vale lembrar que este ano a Flip contará com 42 convidados, o maior número das últimas edições. Há muitas histórias como essa nos 10 anos da Flip, várias delas contadas no livro Paraty é uma festa: 10 anos de Flip, a ser lançado na próxima edição.
 
 
MOMENTOS MARCANTES PELO PÚBLICO
Declarações de quem é fã da festa e os detalhes que para eles fizeram toda a diferença nestes dez anos de Flip
“Das edições em que estive não consigo me esquecer de Chimamanda Ngozi Adichie esbanjando beleza e simpatia, em 2008; do português Antônio Lobo Antunes muito bem-humorado em 2009; de Colum McCann muito curioso e anotando o nome dos brasileiros, em 2010; e da comoção geral da plateia com o choro de valter hugo mãe, no ano passado. Teve também o famoso e lendário jogo de futebol com a participação de Chico Buarque (e o alvoroço em torno dele também). Por último, o espaço destinado a nossa jovem literatura – todos os jovens escritores brasileiros mais importantes desses dez anos tiveram presença na FLIP.” (Rafael R., autor do www.blogcasmurros.blogspot.com.br)
“Acompanho a Festa desde 2007 pelo menos. Em 2009, no último ano da faculdade, fui com a minha mãe. Foi maravilhoso! Conseguimos ingressos somente para a mesa com Edson Neri da Fonseca e Zuenir Ventura (por causa dessa mesa hoje sou apaixonada por Manuel Bandeira), assisti as outras que eu queria no telão (superválido, não foi ruim) e do lado de fora da Tenda do Telão. Achei linda a Flipinha, achei superbacana a Flipzona. Sinto falta de autores mais populares, mas entendo que a proposta da festa é trazer a literatura mais "refinada" para o público, erudito e popular. Alguns momentos bem emocionantes: Ter um livro autografado pelo Gay Talese (ele tem olhos azuis lindos). Conhecer o livro maravilhoso, O Filho Eterno, do Cristovão Tezza. E o senso de humor ótimo do Antonio Lobo Antunes, um médico escritor. Fantástico!” (Izabel Marques Méo, jornalista e autora do www.eunaflip.blogspot.com.br)
 
 
A FESTA PARA OS 10 ANOS
Para a festa dos dez anos da Flip, a organização preparou o lançamento de dois livros e um DVD que contam a história da Festa Literária de Paraty. Presente perfeito para os amantes e fãs da festa, o primeiro livro, intitulado Dez/Tem, é editado pela criadora da Flip, Liz Calder, e reúne textos inéditos – contos e ensaios – de cinco autores brasileiros (Bernardo Carvalho, Milton Hatoum, Cristóvão Tezza, Beatriz Bracher e Reinaldo Moraes) e cinco estrangeiros (Ian McEwan, Margaret Atwood, Nadine Gordimer, Julian Barnes e Colm Toibin), garantia de boa literatura. Complementam a obra as ilustrações de Jeff Fisher, responsável pelos cartazes da Festa nestes dez anos.
 
Outro lançamento que também foi preparado para celebrar o aniversário da festa é o livro Flip – Dez Anos, escrito em forma de reportagem pelos jornalistas convidados Zuenir Ventura, Ángel Gurría-Quintana, Sergio Augusto e Humberto Werneck, com imagens e textos que rememoram os momentos mais relevantes de cada uma das nove edições.
Complementando a programação, também será lançado o DVD Uma Palavra Depois da Outra: A Arte da Escrita, com a apresentação de mais de cem autores em todas as edições da festa literária. Detalhe, este será o primeiro material gerado a partir dos registros das mesas e debates da Flip.
Ficará a cargo do cronista e cartunista Luis Fernando Veríssimo a apresentação da conferência de abertura dos 10 anos da Flip. Ele fará um apanhado geral dos dez anos da festa, exaltando o valor da literatura, ressaltando também as mudanças vividas pelo Brasil nesse período. O evento vai trazer de volta autores que passaram pela Flip e foram sucesso nas edições passadas. Ian McEwan, Enrique Vila-Matas e Hanif Kureishi retornam.
 
 
 
                                               ESPECIAL                                                         
Relembre o que rolou na Flip 2011:
 
 
Relembre o que rolou na Flip 2010:
 
 
 
 
Recomendamos para você