Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo HQ 30.11.-0001 30.11.-0001

Flash completa 75 anos

Por Andréia Martins
2014 foi um bom ano para o Flash. A estreia da série protagonizada pelo personagem teve a melhor audiência do canal CW no ano e fez o herói voltar a cair no gosto do grande púbico.
E os fãs têm pelo menos dois motivos para comemorar em 2015: a confirmação da segunda temporada da série na televisão e o aniversário de 75 anos do herói, completados em janeiro deste ano (sem contar sua aparição no filme da Liga da Justiça – Parte 1, previsto para estrear em 2017).
O personagem foi criado por Gardner Fox e Harry Lampert, em 1940, para a revista Flash Comics # 1. De lá para cá ganhou novas identidades, diversas adaptações e tramas nos quadrinhos. Tem seu segundo seriado na TV e deve ter sua história contada pela primeira vez no cinema em 2018.
A lista de poderes do Flash é vasta. Além da supervelocidade, ele consegue correr sobre a água, subir em paredes, vibrar as moléculas do corpo, atravessar paredes e objetos sólidos, movimentar-se na velocidade da luz e até dar uma corridinha pelo espaço sideral.
Para quem acha que Flash é um mero coadjuvante entre nomes como Batman, Super-Homem, Sandman, X-Men, entre outros heróis, listamos sete fatos que misturam curiosidade e pioneirismo e mostram por que ele está na elite dos super-heróis dos quadrinhos.
4 HERÓIS EM 1
Ao contrário do Super-Homem e de Batman, por exemplo, cujas identidades são Clark Kent e Bruce Wayne nos quadrinhos, na TV e no cinema, The Flash teve quatro nomes: Jay Garrick (1940-1956); depois veio Barry Allen (1956-1986); Wally West, sobrinho de Barry (1986-2006); e, por fim, Bart Allen, neto de Barry (2006-2007).
Barry Allen é a identidade mais propagada nas adaptações da história. Foi o escolhido também para a série de TV. Barry era um funcionário da polícia científica que é banhado por produtos químicos num acidente, após seu laboratório ser atingido por um raio. A partir daí, adquire superpoderes, como a supervelocidade. Ele usa o nome Flash em homenagem a Garrick, cujas histórias Barry costumava ler.
O 1º HERÓI DA ERA DE PRATA DOS QUADRINHOS
Com o boom dos super-heróis dos quadrinhos na década de 1940, o personagem The Flash se tornou um dos heróis mais populares, ao lado de Capitão América, Super-Homem, entre outros, na chamada Era de Ouro dos Quadrinhos. Mas, após a 2ª Guerra Mundial, as vendas de HQs e a popularidade dos heróis foram abaladas.
 
Uma das capas comemorativas dos 75 anos do Flash
Por isso, em meados dos anos 1950, o editor Julius Schwartz, da DC Comics, teve a ideia de criar novas versões para as histórias dos heróis numa tentativa de fazê-los renascer das cinzas. Foi aí que nasceu Barry Allen (1956-1986), a segunda versão do Flash, criada por Robert Kanigher e Carmine Infantino. A estreia dessa nova versão do personagem em 1956 é considerada o marco zero da Era de Prata dos Quadrinhos.
ELE ESTREOU O MULTIVERSO
Flash foi o primeiro herói da DC Comics a usar o conceito de “multiverso” (múltiplos universos), um marco na história dos quadrinhos. Com isso, ficava clara a existência de universos paralelos, com a possibilidade de acessar outras dimensões e voltar ao passado.
Na história Flash de Dois Mundos, de 1963, a primeira a usar o conceito, Barry Allen consegue acessar uma dimensão paralela e encontra Jay Garrick, o primeiro Flash, e outros heróis da Era de Ouro.
FOI O 1º GRANDE HERÓI A SUBIR NO ALTAR
A vida amorosa dos super-heróis não é das mais fáceis. Quantos deles você se lembra de ter visto subir ao altar? Em uma história publicada em 1966, lá estava Flash saindo na frente dos outros mais uma vez.
O personagem foi o primeiro entre os mais famosos a se casar. E, por pouco, o casamento não deu errado. Isso porque um dos principais inimigos de Flash, o Flash Reverso, trocou de lugar com o noivo e quase se casou. Mas, como era de se esperar, o herói original chegou a tempo de evitar a troca. 
ELE É MAIS RÁPIDO QUE O SUPER-HOMEM
O Super-Homem sempre foi um dos mais populares nomes dos quadrinhos. Por isso, encontrar outro herói capaz de desafiá-lo não era tarefa fácil. A não ser que esse herói fosse o Flash.
 
O duelo de dois titãs, Flash vs Super Homem
O duelo acontece na revista Superman 199, de 1967, que registra a primeira corrida do homem de aço contra o homem mais rápido do mundo. Talvez se a disputa fosse diferente – algo como uma queda de braço –, Flash não levaria tanta vantagem. Embora nessa primeira corrida os dois tenham chegado empatados, nas outras competições que vieram depois ficou claro que Flash era, sem dúvida, o homem mais rápido do mundo.
O MAIS ESTRANHO DOS GADGETS
Quando falamos dos apetrechos usados pelos heróis, os primeiros que vêm à mente são Super-Homem e Batman – este com seu cinto repleto de ferramentas e com o Batmóvel que vale mais do que o Robin. Mas é do Flash o título de detentor do mais estranho gadget entre os super-heróis: uma escada rolante que viaja no tempo, alimentada por raios cósmicos. Nem Doutor Brown poderia criar uma tecnologia assim.
VILÕES COM CÓDIGO DE ÉTICA
Os vilões das histórias do Flash estão entre os preferidos dos leitores. Destaque para Capitão Frio, Mestre dos Espelhos, Gorila Grodd, Capitão Bumerangue e Professor Zoom (ou Flash Reverso).
Esse conjunto de inimigos recebeu o nome de Rogues, e eles têm uma diferença em relação aos vilões de outras histórias: um código de ética. Entre as regras que devem ser respeitadas estão: evitar prejudicar crianças e mulheres, não cometer crueldades, não lutar contra companheiros de equipe e não matar policiais ou super-heróis. O motivo é simples: cometer qualquer desses atos chamaria muita atenção dos heróis.
 
Capa da revista Action Comics #38, em edição que traz Flash e Super Homem, lembrando os 75 anos do herói
 
 
Recomendamos para você

Os produtos Saraiva mais comentados