Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 17.11.2009 17.11.2009

Festival de Brasília abre hoje com filme sobre Lula

O Festival de Brasília abre hoje sua 42ª edição com uma das sessões mais concorridas do evento: a estréia de “”Lula, o filho do Brasil””, cinebiografia do presidente Lula dirigida por Fábio Barreto. Com lançamento em circuito comercial previsto para janeiro, o filme deve atrair um bom público não só por conta do ilustre biografado, mas também pela presença da Glória Pires, que vive dona Lindu, mãe de Lula, que há mais de 50 anos deixou a seca no interior de Pernambuco e foi tentar a vida em São Paulo.

Em entrevista à “”Folha de S. Paulo””, no último domingo, Glória sugeriu que o público leve um lençol para chorar nas salas de cinema: “”Eu chorei muito. O filme é muito bonito, tocante””, disse a atriz.

Fechada para convidados, a sessão de hoje, que acontece às 20h, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro, pode até ter a presença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef. Segundo o Globo Online, no entanto, Lula verá o filme somente na quinta-feira, em Recife.

O Festival de Brasília terá seis longas-metragens em competição, sendo quatro deles documentários! Veja abaixo um trailer de “”Lula, o filho do Brasil”” e a programação completa da mostra competitiva.

 

Programação da mostra competitiva:

TERÇA-FEIRA: Exibição para convidados de “Lula, o filho do Brasil”, de Fábio Barreto.

QUARTA-FEIRA: A competição do festival será aberta com os curtas-metragens “Homem-Bomba”, de Tarcísio Lara Puiati, e “Amigos bizarros do Ricardinho”, de Augusto Canani, e com o longa-metragem “Filhos de João, Admirável mundo novo baiano”, de Henrique Dantas.

QUINTA-FEIRA: “Bailão”, de Marcelo Caetano, “Água viva”, de Raul Maciel (curtas), e “Perdão, Mister Fiel”, de Jorge Oliveira.

SEXTA-FEIRA: “Dias de greve”, de Adirley Queirós, “Ave Maria ou mãe dos sertanejos”, de Camilo Cavalcante (curtas), e “Quebradeiras”, de Evaldo Mocarzel.

SÁBADO: “Verdadeiro ou falso”, de Jimi Figueiredo, “Recife frio”, de Kleber Mendonça Filho (curtas), e “O homem mau dorme bem”, de Geraldo Moraes.

DOMINGO: “Carreto”, de Marilia Hughes e Claudio Marques, “A noite por testemunha”, de Bruno Torres (curtas), e “É proibido fumar”, de Anna Muylaert.

SEGUNDA-FEIRA: “Azul”, de Eric Laurence, “Faço de mim o que quero”, de Sérgio Oliveira e Petrônio de Lorena (curtas), e “A falta que me faz”, de Marília Rocha.

TERÇA-FEIRA, DIA 24: Solenidade de premiação para convidados, com a exibição do curta “Brasília, capital do século” e do longa “Brasília, a última utopia”.

Recomendamos para você