Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 14.03.2011 14.03.2011

Estreia ótima adaptação de Kazuo Ishiguro

Depois de um pós-carnaval com lançamentos fracos, o pacotede estreias do próximo fim de semana tem uma pérola: Não me abandone jamais, drama baseado no romance Never let me go, de Kazuo Ishiguro, finalistaem 2005 do Booker Prize, o mais importante prêmio literário britânico.

O filme começa com a jovem Kathy (Carey Mulligan, excelentede novo) relembrando sua infância em 1978 no (ao mesmo tempo) idílico e rigorosocolégio de Hailsham, onde tem início sua amizade com Ruth (Keira Knightley) eTommy (Andrew Garfield). Ainda crianças, os três acabam descobrindo através deuma professora mais “progressiva” que seu destino está selado: presos nocolégio, eles são criados para posterior colheita de órgãos para doação.

Nesse século 20 alternativo, a clonagem humana avançou e aperspectiva de vida ultrapassa os 100 anos. Até que comecem a ser operados paraas devidas doações, os clones humanos são criados e educados fora da sociedade.Como órfãos, chegam à adolescência com a curiosidade de conhecer suas matrizese tentar entender “de onde vêm, para onde vão etc”.  

E é justamente aí, nesse questionário existencialista, que aficção científica de Ishiguro encontra ecos perturbadores em nossa realidade.Algo parecido com os replicantes de Bladerunner – Caçador de andróides (1982). E novamente o amor serve de espécie deparâmetro para determinar o coeficiente de “humanidade” dos clones (aqui, nãosó o amor, mas também a arte seria indício de que as cópias também têm alma).

A direção enxuta de Mark Romanek (Retratos de uma obsessão, 2002) e o elenco afinado só têm aacrescentar a esse sensível drama. Bom para pensar nossa relação com o tempo(que nos resta). Veja abaixo um trailer legendado:

Recomendamos para você