Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 13.01.2011 13.01.2011

Escritores escritos

Da Redação

“Como ousam?”, foi a primeirapergunta que veio a mente da escritora Victoria Saramago diante da proposta deorganizar a coletânea Escritores escritos, um dos lançamentos que abre ostrabalhos da recém-criada editora Flâneur. 22 jovens contistas brasileirosvivos transformam 22 escritores estrangeiros consagrados em personagens de seuscontos.

A ousadia não parece muitoatrevida se pararmos para pensar que todo escritor é já personagem,necessariamente imaginado pelo leitor para que aquilo que lê adquira sentido.Não existe texto algum sem alguém a quem possamos atribuí-lo e a construçãodessa figura pela imaginação é um dos jogos mais prazerosos daquilo que ocrítico Ítalo Moriconi chama no prefácio de “um saudávelfetiche”. Mais do que um apêndice da literatura, os mitos ao redor dosescritores são parte integrante do código literário.

E é no momento digital que se vêum levante desse componente. A um jovem autor, a medida da notoriedade se daráem proporção a sua capacidade de se fazer notar. Blogs, entrevistas, debates,palestras e fotos fazem parte do pacote da carreira. Mesmo o SaraivaConteúdo contribui na construção desse renovado cenário literário e alguns dos autoresdo próprio Escritores escritos foram entrevistados pelo site ao longo dosúltimos anos, como você confere abaixo.

Parece natural então que surja umlivro feito por essa geração focado em cruzar as fronteiras do texto noexercício de imaginação que fazemos quando pensamos em nossos cânones preferidos, trazendo-ospara o meio da narrativa em si, tirando-os da entidade fantasma de autor paraa materialidade escrita de personagem. Esse passo de cruzar fronteiras ésugerido inclusive na própria escolha dos escritores escritos, todosestrangeiros, todos mortos. E às vezes isso chega a ficar claro nos próprioscontos, com os personagens desterrados, seja Oscar Wilde exilado em Paris, HP Lovecraft em meio a um Rio de Janeiro delirante ou Sophia de Mello Breyner Andresende passagem por Manaus.

O inevitável e intencional é oleitor cair no jogo de imagens e confundir o estilo do escritor-personagem com aqueleescolhido pelos jovens escritores. Isso pode ser verdade incontornável em textoscomo o de Nelson de Oliveira, no qual ele pratica a livre associação típica dosurrealista André Breton, mas não necessariamente ocorre em todos os casos. Háuma diversidade de soluções narrativas em meio aos 22 textos reunidos, mesmoque a sombra do nome do personagem paire sempre como um divertido condicionanteda leitura.  

A editora Flâneur é uma criaçãodos escritores Guilherme Tolomei e Renato Amado surgida para “trazer ao mercadoprojetos personalizados e inovadores”, segundo André Calazans, um dos sócios.Nesse sentido, o livro de lançamento da editora funciona como um cartão devisitas. Trata-se de Ninguém muda ninguém,espécie de autobiografia sentimental com fotografias, poesias e desenhos docartunista André Dahmer, autor da cultuada tirinha dos Malvados. A obra foi inteiramenteimpressa em uma tiragem de 600 exemplares com as capas em branco, todas depois preenchidasuma a uma com desenhos do autor.

Começaram bem, mesmo que jáenfrentem as dificuldades típicas do ramo. A capa de Escritores escritos veiocom o nome de Manoela Sawitzki apagadinho no canto, erro da gráfica. Mas areceptividade do livro tem sido boa e a correção será feita na próxima tiragem. Para este início de ano está previsto o lançamento do primeiro romance de Terêncio Porto, idealizador do programa Larica Total, do Canal Brasil. 

Confira abaixo a lista completamais algumas entrevistas e artigos com os autores de Escritores escritos feitaspelo SaraivaConteúdo.

Manoela Sawitzki – Jean Genet

Gustavo Bernardo – Herman Hesse

Carola Saavedra – Thomas Bernhard

Ismas Tirelli Neto – MargueriteDuras

Nelson de Oliveira – André Breton

Cristiane Lisboa – Eça de Queiroz

Marcelo Moutinho – Sophia deMello Breyner Andersen

Jean Paolo Bisticcio – VladimirNabokov

Victoria Saramago – Oscar Wilde

Henrique Rodrigues – Homero

Simone Campos – Lovecraft

Saulo Aride – Edgar Allan Poe

Lúcia Bettencourt – Dante Allighieri

Flávio Izhaki – Albert Camus

Natália Nami – Emily Dickinson

Cecília Gianetti – Kurt Vonnegut

Renato Amado – Charles Bukowski

Julio Cesar Corrêa – TenesseeWilliams

Diana de Hollanda – Sylvia Plath

André de Leones – David FosterWallace

Andrea del Fuego – Roberto Bolaño

Dau Bastos – Céline

Recomendamos para você