Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 19.07.2012 19.07.2012

Em seu primeiro longa, cineasta Gabriel Mariño faz retrato da juventude mexicana

Por Andréia Silva
 
O cineasta mexicano Gabriel Mariño está realmente em um ano de estreias. Depois de dirigir dois curtas e dois documentários, ele lançou este ano seu primeiro longa-metragem, Um Mundo Secreto.
 
Debutou em festivais internacionais com o filme, que estreou no festival de Berlim, e vem pela primeira vez ao Brasil como convidado do Festival de Cinema Latino-Americano, este mês em São Paulo.
Um Mundo Secreto é um road movie que traz no desejo de aventura de uma adolescente, a personagem Maria, um retrato da juventude mexicana, hoje cercada de grande violência, instabilidade social, incertezas sobre o futuro e poucas possibilidades de trabalho. O filme abriu o festival na capital paulista e será exibido também no dia 19 de julho, último dia do evento.
 
“Eu queria fazer um retrato da juventude mexicana. Maria é uma personagem que, ao mesmo tempo, representa o espírito dessa juventude”, disse o diretor em uma conversa com o SaraivaConteúdo.
Em um país que vive sob ameaça da violência, devido à ação do narcotráfico, e à frequentes denúncias de corrupção, como na recente eleição presidencial, Mariño crê que fica impossível para qualquer cineasta não ser visto como político.
“Hoje o México vive uma crise, e diversos autores independentes acabam sendo políticos, não do jeito mais óbvio, mas falando de um país e de personagens que estão em crise”.
A Maria do filme tem 18 anos e é uma jovem sonhadora, solita´ria e promi´scua, que encara um dia a dia difícil na Cidade do Me´xico. No u´ltimo dia de aula, ela decide embarcar em uma e´pica viagem na estrada, rumo a Sinaloa e La Paz.
Segundo conta o diretor, ele começou a trabalhar no projeto há três anos, já pensando que seria um road movie. O papel da protagonista, interpretado pela inexperiente (aqui no sentido de tratar-se de uma estreia) Lucia Uribe, de 20 anos, para muitos, uma dos motivos do sucesso do longa.
“Conheço Lucia Uribe desde que ela tem12 anos e escrevi parte do papel especialmente para ela, que não era nenhuma atriz profissional na época das filmagens, mas estava estudando para isso”, conta Mariño.
 
O mexicano traz um perfil de cineasta pop e jovem. Como diretor, seu filme de mais destaque antes de Um Mundo Secreto foi o documentário feito em 2010 sobre os 20 anos da banda Café Tacuba, um dos principais nomes do rock mexicano.
Mesmo vindo ao Brasil pela primeira vez, Mariño mostra familiaridade com o cinema nacional, ao citar seus diretores favoritos: Glauber Rocha, Karim Aïnouz, Marcelo Gomez e Chico Texeira. Já sobre o cinema latino-americano, ele diz que prefere não apontar nenhum destaque.
“O bom de estar em festivais é poder achar bons novos filmes. Então, o destaque fica por conta da própria descoberta [desses filmes]”.
O diretor Gustavo Mariño

Festival de Cinema Latino-Americano
Onde: Cinesesc, Memorial da América Latina, Cinemateca e Cinusp – SP
Quando: Até 19/7
Entrada gratuita / Mais informações: http://www.festlatinosp.com.br/2012

 
Recomendamos para você