Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 23.09.2010 23.09.2010

Editora portuguesa LeYa completa um ano no Brasil


   “A nossa história é curta, o que garante nosso sucesso são as premissas que norteiam a existência da Leya Brasil para sempre:
   respeito ao livro, respeito ao leitor e respeito aos nossos parceiros”, afirma Pascoal Soto, diretor editorial da Leya no Brasil

   Por Renata Muniz

O mercado editorial brasileiro é repleto de grandes e pequenas editoras consolidadas.Entrar nesta concorrência acirrada é um risco, mas foi o que fez a Editora portuguesaLeya, que abriu suas portas no Brasil há um ano. “Nossahistória, embora curta, tem sido construída com muita intensidade. Antes de completarmoso primeiro aniversário no mercado brasileiro, acumulamos 53 títulos lançados emdois selos editoriais – Leya e Lua de Papel – e mais de 500 mil exemplaresvendidos”, afirma Pascoal Soto, diretor editorial da Leya no Brasil.

Pascoal foi o responsável por lançar livros que fizeram diferençapara o crescimento da Editora Leya. Um deles é a obra do jornalista Leandro Narloch, Guia politicamente incorreto da história do Brasil,que se mantém na lista dos mais vendidos. Também é o responsável pelo retornode Eduardo Bueno, que lançou recentemente  Brasil: uma história , edição revisada eampliada sobre a história do país: de 1500 até o segundo mandato do governoLula. “Desde o primeiro dia de existência, o trabalho da Leya, em cada fase doprocesso de edição, é pautado pelo cuidado e pelo esmero com cada detalhe, poisentendemos que cada livro deve ser tratado como uma joia”, explica Soto.

 

Atrajetória

Líder no mercadoeditorial português, angolano e moçambicano, a Leya atua no Brasil desdesetembro de 2009. Aideia inicial era penetrar no mercado brasileiro por meio da aquisição deempresas brasileiras. Tentaram comprar a Editora Nova Fronteira, do GrupoEdiouro, mas a negociação não deu certo. Assim, a Leya chegou ao Brasil partindo do zero, na linguagem popular:“Com a cara e a coragem”. E a empresa vem crescendo e conquistando seu espaço acada dia. “A nossa história é curta, o que garante nosso sucesso são aspremissas que norteiam a existência da Leya Brasil para sempre: respeito aolivro, respeito ao leitor e respeito aos nossos parceiros”, orgulha-se Pascoal.

O primeiro livropublicado no país, apesar da influência dos portugueses, não foi de um escritorde Portugal. A editora estreou com a obra de Murilo Carvalho, O rastro do jaguar. O escritorbrasileiro venceu, em 2008, a primeira edição do prêmio Leya para romances inéditos.Em seguida, publicaram o livro O planaltoe a estepe, do angolano Pepetela. O diretor editorial da Leya contou que aempresa preza o talento de cada um dos autores que participam de projetos juntoà editora. “Publicamos para um mercado multifacetado, diverso. Todos os nossosautores são muito importantes. A Leya é uma empresa que sabe respeitar evalorizar o seu profissional”, comemora Pascoal.

Mesmo com uma históriacurta, 15 títulos do catálogo da editora já passaram pela lista dos maisvendidos, entre eles O efeito sombra,de Deepak Chopra, o que pode ser considerado uma grande vitória. “Procuramosdistribuir nossos livros com critério e muita garra. Na promoção de nossoslivros, buscamos a valorização dos nossos conteúdos, dos nossos autores, pormeio de ações que privilegiem uma comunicação clara e verdadeira com o públicoleitor”, conta o diretor editorial da Leya.

Um dos principaisobjetivos da editora é ampliar o catálogo de obras da Leya, sempre com muitocritério e qualidade. “Nosso sonho é consolidar um lugar de destaque para aLeya no mercado editorial brasileiro. Sabemos, no entanto, que isso não seconsegue da noite para o dia e que, para tanto, há que se trabalhar muito eestar atento às oportunidades”, revela Soto.

 > Leia mais sobre a LeYa Brasil

Recomendamos para você