Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 11.04.2013 11.04.2013

É Tudo Verdade: das letras para as telas

Por Edu Fernandes
 
A literatura é uma das principais fontes de inspiração do cinema. Adaptações de romances são abundantes, mas o casamento entre as duas artes pode ser mais complexo. No festival É Tudo Verdade 2013, os frequentadores podem conferir documentários cujos temas são os escritores.
Philip Roth, sem Complexos mostra objetivamente o romancista norte-americano em uma entrevista. Durante a conversa, o autor relembra seus livros mais conhecidos. Ele fala como foi escrevê-los e comenta sobre a repercussão que tiveram.
A fama alcançada com o sucesso de seus best-sellers causou impactos em sua vida pessoal. Quando O Complexo de Portnoy foi lançado, por exemplo, Roth era constantemente abordado na rua e recebia fotos de suas leitoras de biquíni, por causa da natureza sexual da obra.
Imagens de arquivo ilustram o documentário. Há fotos da juventude, várias caricaturas e as capas de seus livros, traduzidos para diversos idiomas. Para proporcionar um panorama mais amplo, o filme também conta com depoimentos de amigos do escritor, como a atriz Mia Farrow (Rebobine, Por Favor).
Se, em sua linguagem, Philip Roth, sem Complexos é bem simples, o mesmo não se pode dizer de Primo de Segundo Grau. O documentário acompanha os últimos anos de vida de Edwin Honig sob o olhar do diretor Alan Berliner, seu primo.
 
Alan Berliner apresenta Primo de Segundo Grau em São Paulo
Edwin foi um poeta, tradutor, crítico literário e professor universitário. Além de seus próprios poemas, dedicou-se a passar para o inglês a obra de autores latinos. Por essa razão, foi condecorado pelos governos espanhol e português. Entre seus autores preferidos está o poeta Fernando Pessoa.
Honig teve mal de Alzheimer, e a questão da memória é o cerne do longa. Nas conversas que trava com seu primo, o diretor tenta entender o quanto ele se lembra de sua própria vida e como se sente por estar nessa condição. “Alguns dizem que Edwin é o tema do filme, outros dizem que ele é o objeto de estudo, mas eu digo que ele é coautor”, afirmou Alan Berliner durante a sessão de Primo de Segundo Grau em São Paulo.
Para traduzir a angústia causada pela doença, o documentário se utiliza de edição ágil, com palavras projetadas na tela como flashes. As falas de Honig trazem momentos de sabedoria que ficam na mente do espectador.
Fragmentos da vida do protagonista antes do Alzheimer são apresentados por meio de gravações antigas e fotos, muitas vezes mostradas para o próprio Edwin. Há também depoimentos de pessoas próximas, como ex-alunos e amigos. Com a escolha precisa da ordem em que tais entrevistas são exibidas no documentário, a plateia tem a impressão de estar no mesmo espaço de perdição mental em que se encontra Honig.
Veja documentários sobre escritores brasileiros em cartaz no É Tudo Verdade 2013:
 
A vida de Graciliano Ramos é tema de filme de Silvio Back
O Universo Graciliano – A trajetória de Graciliano Ramos dentro e fora da literatura é remontada 60 anos após sua morte. A produção usa fotos e filmes antigos.
Sobre Sete Ondas Verdes Espumantes – As sete cidades nas quais o escritor Caio Fernando Abreu viveu são revisitadas. O documentário traz depoimentos de amigos do poeta, como Maria Adelaide Amaral e Adriana Calcanhoto.
Para ver a programação completa do É Tudo Verdade, visite o site oficial.
 
 
Recomendamos para você