Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 28.03.2013 28.03.2013

Do plástico para as telas: brinquedos que viraram filmes

Por Edu Fernandes
 
Financeiramente, o cinema é considerado um investimento de alto risco. Para ter um pouco mais de segurança, os produtores preferem adaptar obras existentes na hora de realizar blockbusters. Assim, o projeto já parte com um público interessado desde o princípio.
 
Livros, peças de teatro, quadrinhos e videogames são as mais frequentes mídias que inspiram adaptações cinematográficas. Nos últimos anos, os produtores encontraram mais uma fonte de ideias para seus roteiros: os brinquedos. O mais recente título baseado em figuras de ação é G.I. Joe: Retaliação, que estreia no Brasil em 29 de março.
 
No lançamento baseado em bonecos (que antigamente eram chamados de Comandos em Ação), o esquadrão de elite que dá nome ao filme é acusado de crimes que não cometeu. A unidade é fechada pelo presidente (Jonathan Pryce, de Histeria), e os agentes remanescentes têm uma missão difícil pela frente. Além de provar sua inocência, eles precisam derrotar o vilão Comandante Cobra (Luke Bracey, de Monte Carlo) e acabar com uma ameaça nuclear.
 
O título é sequência de G.I. Joe: A Origem de Cobra (2009), e alguns personagens estão de volta. É o caso de Duke (Channing Tatum, de Anjos da Lei), Storm Shadow (Byung-hun Lee, de Hero) e Snake Eyes (Ray Park, de King of Fighters – A Batalha Final), por exemplo. Mesmo assim, não é necessário conhecer o filme antecessor para acompanhar Retaliação. Entre as novidades do elenco está Dwayne Johnson (Viagem 2: A Ilha Misteriosa) no papel de Roadblock, novo protagonista da franquia.
 
Transformar os bonecos de G.I. Joe em roteiros de cinema não foi a tarefa mais complicada para os escritores, uma vez que os personagens já estavam prontos. O foco das histórias criadas para os filmes mostrar muitas armas e veículos, o atrativo da série de brinquedos.
 
Cena de Transformers: O Lado Oculto da Lua
 
A onda atual de adaptar brinquedos para a tela grande começou com Transformers (2007-2011), franquia baseada nos robôs que viram veículos. A série lançou para o mundo os astros Shia LaBeouf e Megan Fox.
 
Os roteiros da trilogia tiveram como base as séries animadas que os antecederam. O desafio de criar histórias para os brinquedos já havia sido superado nessa ocasião, e o trabalho foi atualizar os personagens e conflitos.
 
O diretor Michael Bay continuará à frente da franquia no futuro, apesar de o elenco ter sido alterado. Uma sequência protagonizada por Mark Wahlberg está prevista para chegar ao circuito em 27 de junho de 2014.
 
Cena do filme Battleship – A Batalha dos Mares
 
Se Transformers e G.I. Joe originaram séries de filmes, o futuro não é tão promissor para Battleship – A Batalha dos Mares (2012). O roteiro conseguiu transportar elementos do jogo de tabuleiro (também conhecido como Batalha Naval) para um longa de ação de forma criativa, mas as bilheterias foram aquém do esperado. Por essa razão, não há planos de sequências em vista.
 
A tendência de criar filmes a partir de brinquedos surgiu com Transformers, mas os robôs gigantes não foram os pioneiros nessa empreitada. Em 1985, o jogo de tabuleiro Clue (também conhecido como Detetive) teve sua versão cinematográfica, que ganhou o título Os 7 Suspeitos.
 
Armas usadas no filme Os 7 Suspeitos
 
A caçada ao assassino de Sr. Pessoa (Lee Ving, de Flashdance) é retratada no filme com uma boa dose de humor. Os personagens, as armas e os cenários são os mesmos do jogo, mas a história é muito mais complexa.
 
Mais adiante, novos candidatos a franquias baseados em brinquedos estão projetados. Ao que tudo indica, o jogo Monopoly (também conhecido como Banco Imobiliário) será a próxima adaptação. Há um roteiro zanzando pelos bastidores de Hollywood, mas ainda não há uma data prevista para a estreia. É aguardar para ver.
 
Veja o trailer de G.I. Joe: Retaliação:
 

 
 
 
Recomendamos para você