Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 28.11.2013 28.11.2013

Diretor de ‘Um Estranho no Lago’ fala dos desafios de fazer um filme com cenas de sexo

Por Edu Fernandes
 
Aplicativos, saunas, casas noturnas e muitos outros cenários são usados por gays para encontrar parceiros. No filme Um Estranho no Lago, os personagens se reúnem em um local com paisagens bonitas e muita "pegação". O longa estreia no Brasil em 06 de dezembro.
 
O envolvimento frívolo com pessoas estranhas é uma prática arriscada, com grande potencial de criar situações de perigo extremo. Os homens que circulam pelo lago mostrado na produção francesa estão cientes do risco, mas o desejo é maior. Nem um assassinato que ocorre no local impede os amantes de seguirem suas rotinas.
 
“Eu não senti necessidade de fazer pesquisa sobre o universo do flerte entre homossexuais para contar essa história”, disse o diretor Alain Guiraudie (O Rei da Fuga) em entrevista ao SaraivaConteúdo.
 
Um Estranho no Lago traça um paralelo entre o perigo e a libido de forma contundente. Por isso, há cenas de sexo bem gráficas, um desafio para os atores envolvidos.
 
“Foi ao mesmo tempo fácil e difícil encontrar o elenco”, comentou o cineasta. “A parte complicada se deu porque alguns atores não quiseram sequer participar dos testes. Por outro lado, não foi tão difícil assim, porque levamos apenas dois meses para termos certeza de que faríamos o filme com Pierre e Christophe”.
 
Pierre Deladonchamps e Christophe Paou em cena do filme Um Estranho no Lago
 
Pierre Deladonchamps é o protagonista da história. Ele interpreta Franck, um dos frequentadores do lago. O rapaz testemunha o tal assassinato, mas não quer se comprometer demais nas investigações do inspetor Damroder (Jérôme Chappatte, de O Verão do Skylab). Isso porque ele está mais interessado no relacionamento que começou com o charmoso Michel (Christophe Paou, de O Enigma do Colar).
 
O espectador sabe o que se passa no coração de Franck por causa das conversas que trava com Henri (Patrick d'Assumçao, de Um Motoboy em Apuros). O homem mais velho não vai ao lago em busca de um namorado. Ele apenas julga que a paz do lugar é ideal para esquecer sua última decepção amorosa.
 
Franck gostaria de uma relação mais próxima com Michel, que teima em manter os encontros apenas no lago. Por outro lado, consegue uma amizade mais profunda com Henri, com quem por vezes marca jantares. Esses eventos são sabidos apenas em função dos diálogos, uma vez que todas as cenas da produção se passam no lago, nas suas margens ou no bosque que o circunda. “Essa foi uma decisão tomada desde o começo, no desenvolvimento do roteiro”, explicou Alain.
 
Patrick d'Assumçao (dir.) interpreta Henri
 
Antes de sua estreia comercial, o longa foi exibido no Brasil durante o Festival do Rio, na mostra Panorama do Cinema Mundial. O evento carioca conta com uma mostra dedicada a produções com temática LGBTT, mas Um Estranho no Lago foi programado em outro recorte. A decisão agradou ao diretor.
 
“Eu não estou mais interessado em festivais gays”, afirmou. “Talvez eles tenham sido importantes em outra época. Agora, acho que o principal é representar indivíduos gays no cinema como um todo, de forma universal”.
 
A abundância de corpos nus e sexo nas cenas do longa ajuda a manter a atmosfera dúbia de desejo e perigo construída pelo roteiro. “As cenas de sexo não estão ali para entregar alguma mensagem”, disse.
 
Cena do filme Um Estranho no Lago
 
“Sexo é uma das últimas coisas de que se fala no cinema. Muitos filmes são lançados todos os anos, mas apenas alguns fora do mundo da pornografia mostram cenas explícitas.”
 
Um exemplo futuro desse tipo de ousadia poderá ser conferido em Ninfomaníaca, cuja primeira parte deve estrear no Brasil em 10 de janeiro de 2014. O diretor Lars von Trier (Melancolia) reuniu um elenco de peso em seu mais recente trabalho. Uma das maiores expectativas acerca do filme são as cenas de sexo explícito.
 
Veja o trailer de Um Estranho no Lago:
 

 
 
Recomendamos para você