Ramiro Fajuri por Ramiro Fajuri Livros 05.11.2020 05.11.2020

Comemore o dia nacional da língua portuguesa lendo grandes autores

5 de novembro é o dia nacional da Língua Portuguesa. A data foi criada em 12 de junho de 2006, pela lei nº 11.310, e faz referência à data de nascimento de Ruy Barbosa, que foi escritor, político, presidente da Academia Brasileira de Letras  e diplomata.

Mas a ideia da data não nasceu no Brasil. Ela foi instituída em Portugal em 1981, onde é comemorada no dia 10 de junho, relembrando o falecimento de Luís de Camões, em 1579.  Internacionalmente, é comemorada em 5 de junho pelos países que falam Português, a comunidade lusófona.

A Língua Portuguesa em números

O Português se espalhou pelo mundo na época das grandes navegações, sendo a língua de  quase 290 milhões de pessoas, espalhadas em 10 países e territórios: Brasil, Angola, Moçambique, Portugal, Guiné Bissau, Timor Leste , Guiné Equatorial, Macau (que pertence à China), Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

O que ler para comemorar o dia da Língua Portuguesa

Luís de Camões – Os Lusíadas.

Obra fundamental da Língua Portuguesa. Poesia Épica provavelmente concluída por Camões em 1.556, com 1102 estrofes e 8.816 versos, narra as viagens de Vasco da Gama para descobrir o Caminho das Índias. Uma epopeia heroica do Renascimento, Os Lusíadas conta como os navegadores portugueses ajudaram a criar o mundo que conhecemos hoje.

Dom Casmurro – Machado de Assis

Capitu traiu Bentinho? Essa é a pergunta mais famosa da literatura brasileira, e 120 anos depois, os críticos e estudiosos da obra de Machado de Assis ainda não chegaram a uma conclusão definitiva. Leia Dom Casmurro e chegue, ou não, às suas próprias conclusões.

 

José Saramago – Ensaio sobre a Cegueira

O que aconteceria se de repente todos os habitantes de uma cidade ficassem cegos? As estruturas sociais sobreviveriam? Ou a civilização ruiria? Essa é a premissa da perturbadora, e irresistível, obra do português José Saramago.

Monteiro Lobato – Obra completa

Seus filhos não gostam de ler? Mostre Monteiro Lobato a eles. O Pica-Pau Amarelo, Reinações de Narizinho, Os Doze Trabalhos de Hércules, O Minotauro, O Saci, Memórias da Emília e muitos outros já apresentaram o prazer da leitura a milhões de brasileiros.

Grande Sertão: Veredas – Guimarães Rosa

Muito antes de as discussões sobre gênero terem a força e a importância que têm hoje, a relação entre os Jagunços Riobaldo e Diadorim, que só ao final da história é descoberto como sendo mulher, marca uma das narrativas mais fortes da Língua Portuguesa.

Mas Grande Sertão Veredas é muito mais do que uma obra afirmativa, ou que busca somente discutir gênero. Guimarães Rosa inovou também na forma, escrevendo um romance de 600 páginas em um único capítulo.

 

Então, comemore o Dia Nacional da Língua Portuguesa com muito orgulho, lendo o melhor que ela já ofereceu ao mundo.

Recomendamos para você