Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 03.10.2013 03.10.2013

DEZ personagens de séries que apresentam transtornos

Por Gabriel Perline
Acabou a espera pela estreia da 3ª temporada de Homeland, que aconteceu na noite do último domingo,dia 29 de setembro, nos Estados Unidos. No Brasil a trama é exibida pelo canal Fox, que deve apresentar a nova fase por aqui em janeiro de 2014.
Há muita curiosidade por parte dos fãs sobre os novos rumos da série e principalmente sobre as instabilidades de Carrie Mathison, interpretada por Claire Danes, atriz premiada pela segunda vez no Emmy Awards por seu papel.
No seriado, a personagem é a mais competente e inteligente agente do FBI, especialista em casos terroristas no Oriente Médio. No entanto, tenta a todo custo esconder seu transtorno bipolar, controlado com altas doses de lítio.
Ela acaba desmascarada, passa por sessões de eletrochoque, é demitida e, posteriormente, readmitida. Com isso, consegue mostrar com clareza os dramas de um portador dessa doença.
Séries com personagens que sofrem transtornos são comuns na TV norte-americana. O SaraivaConteúdo mostra a seguir alguns exemplos, que vão do "simples" TOC ao extremo do canibalismo.
1. DEXTER MORGAN
Na série Dexter, o personagem-título é um psicopata de alto nível: não tem sentimentos por ninguém e sente um imenso prazer ao matar. Mas pode ser considerado o "Robin Hood" do gênero, já que mata somente assassinos que tiraram a vida de pessoas inocentes propositalmente. 
 
Dexter Morgan foi treinado pelo padrasto para canalizar sua sede por assassinatos
Quem ensinou o serial killer a canalizar seu distúrbio foi o padrasto, o policial Harry Morgan. Ao ver o filho, ainda criança, sedento por sangue ao matar animais da vizinhança, ele inicia um treinamento intensivo, para que sua obsessão seja direcionada somente a quem "mereça".
2. HANNIBAL LECTER
A psicopatia do Dr. Hannibal Lecter, de Hannibal, atinge um dos níveis mais impressionantes e raros: o canibalismo. Seu insaciável apetite por carne humana o fez adotar um estilo de vida capaz de despistar até mesmo seu melhor amigo, Will Graham, ex-detetive que colabora com o FBI na solução de casos insanos, sendo a maioria provocada por Hannibal.
 
Dr. Hannibal Lecter, o canibal da série Hannibal
Em todas as refeições, esse homem culto, inteligente e de gostos refinados prepara receitas dignas de um verdadeiro chef, sempre com carnes dos corpos de suas vítimas.
3. MONK
Na série Monk, o detetive Adrian Monk tem uma história profissional que lembra um pouco a de Carrie Mathison.
 
Após a morte de sua mulher, o detetive Monk desenvolveu uma série de obsessões e compulsões
"Ele era referência em sua área, mas perdeu o rumo quando sua mulher morreu. Então, desenvolveu uma série de manias, medos e compulsões que o fizeram ser demitido do Departamento de Polícia de São Francisco [Estados Unidos]. Mas passou a ser convocado para alguns 'frilas' em casos complicados. Pensando na personagem de Homeland, é engraçado ver que esses 'seres especiais' foram descartados de seus postos, mas são sempre acionados por suas habilidades", afirma João Fernando, repórter e crítico de TV do jornal O Estado de S. Paulo.
4. SHELDON COOPER, MONICA GELLER E EMMA PILLSBURY
Você sabe o que Sheldon Cooper, Monica Geller e Emma Pillsbury têm em comum? Os três sofrem de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), distúrbio que os obriga a repetir um hábito e faz com que eles sejam vistos como esquisitos pelos colegas por conta de suas manias.
 
 Sheldon Cooper, Monica Geller e Emma Pilsbury sofrem de TOC
Em The Big Bang Theory, Friends e Glee, o transtorno de cada personagem é responsável por bons momentos de risadas. Sheldon coleciona inúmeras "esquisitices", como ter hora certa para usar o banheiro e ter o lugar exato para se sentar em seu sofá. “Outra mania dele é bater repetidas vezes na porta de Penny e repetir o nome da amiga até que ela o atenda. Numa situação normal, uma simples batida resolveria”, diz João Fernando.
Monica é maníaca por limpeza e chega a ir ao apartamento de uma namorada desleixada de Ross, em plena madrugada, para fazer uma grande faxina, após saber que o local é um verdadeiro caos. Já Emma, aflita por higiene, é capaz de ficar horas passando lenço umedecido em uma simples uva antes de colocá-la na boca.
5. SAMANTHA JONES
A fogosa e sedutora personagem de Sex and the City também entra na lista por seu excedente apetite sexual. Embora seja assumidamente ninfomaníaca, a personagem teve sua obsessão abordada com muito humor na série.
 
Samantha Jones, de Sex and the City, não suporta ficar sem sexo
Sua vontade de ir para a cama era tão grande que até experimentou um romance lésbico, por apenas três episódios, com uma mulher interpretada pela brasileira Sonia Braga.
“O problema de Samantha é que ela não consegue manter um relacionamento fixo. Ela busca não somente qualidade, mas também quantidade de parceiros”, comenta o repórter e crítico de TV do jornal O Estado de S. Paulo.
6. TARA GREGSON
Na comédia United States of Tara, o transtorno de múltiplas personalidades de Tara é a alma da história. A doença faz com que ela deixe de ser, por algumas horas, uma mulher exemplar e passe a se apresentar como uma de suas outras três identidades: T, uma adolescente rebelde; Buck, ex-combatente da Guerra do Vietnã; e Alice, uma dona de casa controladora.
 
Em United States of Tara, a personagem-título tenta conviver com suas múltiplas personalidades
“A família de Tara tem um comportamento exemplar e, em vez de se envergonhar de suas repentinas mudanças, abraça e compactua com suas alternâncias de personalidades”, conta João Fernando.
7. RYDER E MARLEY
Em Glee, os novatos Ryder e Marley deixaram seus colegas do New Directions preocupados com seus transtornos. O garoto é disléxico e tentou esconder isso da turma, mas Finn descobriu o problema do amigo e o ajudou a se concentrar nos estudos e conseguir boas notas nas provas.
 
Em Glee, Ryder (esquerda) é disléxico e Marley (direita) é bulímica
Já a "nova Rachel" enfrentou a bulimia por alguns episódios, estimulada pela tirana Kitty Wilde, que a incentivava a vomitar para não terminar obesa como a sua mãe, a merendeira Millie Rose. Durante a apresentação do coral na etapa "Sectional", ela desmaia de fraqueza e faz o grupo ser desclassificado da competição.
“Cada personagem de Glee tem uma característica que os torna especiais. Mas Marley acabou desenvolvendo um transtorno por insegurança. Antes de passar a dar ouvidos à colega de coral, ela era uma garota normal”, relata o repórter e crítico de TV do jornal O Estado de S. Paulo.
8. ERIN SILVER
Assim como Carrie de Homeland, Erin Silver de 90210 também é bipolar. Ela sofre com as intensas variações de humor, além de alternar momentos de euforia e depressão em um curto espaço de tempo. A doença vem à tona quando a garota divulga um vídeo erótico com o namorado, o que culmina no fim do relacionamento.
 
Carrie Mathison é a agente bipolar do FBI em Homeland
“Ela vai do céu ao inferno por conta de sua doença, mas os parentes e amigos a ajudam na busca por ajuda médica”, lembra João Fernando. É a partir desse episódio que ela inicia um tratamento contra a doença.
9. URSINHO POOH
Até mesmo o inocente universo de Ursinho Pooh e sua turma é recheado de distúrbios, o que explica as características peculiares dos personagens. Embora nunca tenha sido confirmado pela Disney, a Canadian Medical Association publicou um artigo em dezembro de 2012 que aponta diferentes diagnósticos para cada bichinho.
 
Na animação Ursinho Pooh, todos os personagens sofrem de algum tipo de distúrbio
O personagem-título do desenho animado, por exemplo, sofre de transtornos alimentares, já que sua única preocupação é comer mel. Tigrão tem transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), enquanto Leitão sofre de ansiedade, Bisonho é depressivo, Abel tem TOC, Corujão é narcísico e o menino Cristovão é esquizofrênico.
10. POPEYE E OLIVIA
 
Novamente no universo dos desenhos animados, Popeye e Olivia Palito também têm suas esquisitices, ambos no que diz respeito à alimentação. Embora o cartunista E. C. Segar, criador dos personagens, nunca tenha dito algo sobre isso, é possível afirmar que o marinheiro sofre de ortorexia (obsessão por alimentação saudável) e sua namorada é anoréxica (embora seja magra, vê-se como gorda).
 
Se fossem pessoas reais, Popeye e Olivia precisariam de tratamento para cuidar de seus transtornos alimentares
Na opinião de João Fernando, os supostos distúrbios não chegam a atrapalhar suas vidas. “É uma visão mais contemporânea sobre seus hábitos; porém, é possível fazer a conexão com esses transtornos. Afinal, todos sabem que uma pessoa precisa de muito mais do que espinafre para ser forte como Popeye. Além disso, o corpo de sua namorada é bastante desproporcional e gera certa estranheza. Dá para perceber que tem algo equivocado com ela”, comenta João Fernando.
 
 
 
Recomendamos para você