Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 21.03.2013 21.03.2013

DEZ motivos para um gamer curtir a Konami

Por Míriam de Souza
 
Fundada em 21/03/1969, a Konami completa 44 anos nesta quinta-feira. Entre as mais importantes companhias japonesas dedicadas aos games, a empresa começou consertando aparelhos jukebox. Quatro anos depois, o fundador Kagemasa Kozuki decidiu investir no ramo dos arcades. Mas o sucesso nos fliperamas só veio no começo da década de 1980.
 
Dificilmente um fã de videogames não pôs as mãos em pelo menos um título da Konami. Desde clássicos como Frogger, o repertório da desenvolvedora passa por grandes franquias, como Metal Gear e Castlevania. Mesmo os gamers mais casuais conhecem o simulador de futebol Pro Evolution Soccer e o game de dança Dance Dance Revolution.
 
Listamos dez pontos que fazem a Konami ser uma empresa tão importante para os games:
 
1. Frogger Por que o sapo atravessou a rua? No jogo de 1981, além de cruzar uma movimentada avenida, o sapinho deve passar por um rio cheio de troncos, tartarugas e mortais crocodilos. O game aparentemente simples ganhou incontáveis clones e continuações. Hoje, com mais de três décadas, ainda existe uma versão oficial (e moderna) da Konami: Frogger 3D, para 3DS.
 
Frogger versão para celular
 
2. Contra Nos anos 1980, todos os garotos queriam ser como Rambo. Nos fliperamas, eles podiam. Contra, lançado em 1987, permitia aos dois players pular pela tela, correr e atirar em oito direções com munição infinita. Os personagens jogáveis eram Mad Dog e Scorpion, dois militares que tinham como missão acabar com um grupo terrorista. A versão feita para o Nintendo Entertainment System (NES) também ficou famosa, mesmo com algumas diferenças em relação ao arcade.
 
3. Metal Gear Pode ser com Solid Snake, protagonista clássico da série. Pode ser com Raiden, personagem principal do mais novo jogo, Metal Gear Rising: Revengeance. Em qualquer situação, a série Metal Gear continua reinando entre os jogos de stealth – em que um dos objetivos é não ser detectado pelo inimigo. Criada por Hideo Kojima em 1987, a franquia já ultrapassou as 30 milhões de unidades vendidas. (leia mais sobre Metal Gear aqui)
 
Metal Gear Rising: Revengeance
 
4. Bemani O nome parece estranho, mas Bemani é a divisão de games musicais da Konami. O primeiro deles, Beatmania, imitava os aparelhos usados por um DJ. O arcade foi lançado em 1997 e inspirou diversos jogos de música. A série Dance Dance Revolution, por exemplo, estreou o gênero “tapete de dança”. Cada passo é indicado na tela como uma seta direcional que deve ser pressionada com os pés. Os jogos da franquia DDR são ancestrais de invenções como Just Dance, da Ubisoft. Outra criação da Bemani foi Guitar Freaks, que usava como controle uma guitarra com botões – e foi lançado cinco anos antes da chegada de Guitar Hero ao mercado.
 
5. Castlevania Enfrentar monstros horrendos em castelos não visitados há séculos. Derrotar vampiros e outros seres sobrenaturais – até mesmo a Morte. Com algumas exceções, Drácula é o vilão de todo jogo da série Castlevania desde 1986. A franquia já tem cerca de quarenta títulos: os mais recentes são Castlevania: Lords of Shadow, lançado em 2010, e Castlevania: Lords of Shadow – Mirror of Fate, que chega ao Brasil no dia 29 de março.
 
Castlevania: Lords of Shadow
 
6. Konami Code Cima, cima, baixo, baixo, esquerda, direita, esquerda, direita, B e A. O código da Konami é possivelmente a mais popular trapaça dos games. Foi criado em 1986, quando o jogo Gradius foi levado para o NES. O japonês Katsuhisa Hashimoto, que trabalhava na Konami, achou as fases muito difíceis e quis incluir um código de trapaça que dava mais armas aos jogadores. Hoje, esse “macete” é um ícone da cultura pop. Na eleição presidencial francesa do ano passado, o candidato François Bayrou tinha um recurso escondido em seu site. Ao digitar o Konami Code, o eleitor acessava um vídeo promocional em estilo 8 bits.
 
7. Pro Evolution Soccer A Konami já criou diversos títulos esportivos (como International Superstar Soccer, a estreia do craque virtual brasileiro Allejo), mas os de maior sucesso pertencem à série Pro Evolution Soccer (PES). O simulador lançado oficialmente em 2001 foi chamado de Winning Eleven até 2007 no Ocidente.
 
Pro Evolution Soccer
 
8. Silent Hill Ao contrário de outros jogos de survival horror, o protagonista de um game da franquia Silent Hill não costuma ser um militar ou um agente com experiência em armas. Os personagens principais da série são pessoas comuns que, por acaso, se envolveram em histórias de terror. Lançado em 1999, o primeiro episódio conta a história de Harry Mason, que perdeu sua filha em uma cidade norte-americana chamada Silent Hill. No ano passado, chegou um novo título, Silent Hill: Downpour.
 
9. Suikoden O primeiro episódio, lançado para PlayStation em 1995, tinha uma montanha de personagens: mais de 90 deles eram jogáveis. Com uma história complexa, a série de RPG fez sucesso e ganhou continuações. A última delas a chegar ao Ocidente foi Suikoden Tierkreis, para Nintendo DS.
 
10. Yu-Gi-Oh! O jogo de cartas foi uma das iniciativas da Konami fora do mundo dos games. Lançado em 1999, o baralho é baseado em um mangá de mesmo nome que existia há três anos. Os monstros são inspirados em seres mitológicos e possuem poderes de ataque e defesa, além de habilidades especiais. É claro que, sendo desenvolvido por uma empresa de games, Yu-Gi-Oh! também virou jogo eletrônico. Já foram lançados mais de 40 deles, todos pela Konami.
 
 
Recomendamos para você