Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo HQ 07.05.2013 07.05.2013

DEZ mães que estão no gibi

Por Marcelo Rafael
 
O dia é delas. O mês também. Mas, na verdade, todo dia é dia de mãe!
 
E o amor materno também está presente nos quadrinhos das mais variadas formas.
Algumas famílias têm apenas mãe solteira ou madrasta, e as mais novas podem ter duas mães e nenhum pai.
 
A lista abaixo homenageia todas essas mães, representadas em quadrinhos nacionais e estrangeiros.
 
 
1. DONA LUÍSA – SURPREENDENTE
Poucos sabem seu verdadeiro nome. Muitos a conhecem apenas como “mãe da Mônica”. Mas dona Luísa Sousa é mais do que a mãe da menina dentuça, baixinha e gorducha.
Na versão Turma da Mônica Jovem, ela surpreendeu a todos ao se revelar mais que uma dona de casa: foi uma heroína do grupo Quatro Heróis do Imperador, ao lado da mãe da Magali, do pai do Cascão e do pai do Cebola.
 
Dona Luísa

2. WANDA WIZOWSKI-MACPHERSON – DESESPERADA

Wanda não sabia o que a esperava quando largou seu emprego de relações públicas para cuidar dos filhos.
A protagonista de Baby Blues convive com o choro constante do bebê e as traquinagens do primogênito de 5 anos. Ela garante que dois bagunceiros em casa são um ótimo meio para se pensar bem antes de ter mais um filho. Ao lado do marido Darryl, é uma mãe carinhosa e cuidadosa. Apesar de um tanto destrambelhada…
 
Wanda

3. MÃE DO CALVIN – PRAGMÁTICA

Rebelde, questionador e imaginativo, Calvin dá trabalho à mãe. O pai queria apenas ter um cachorro da raça dachshund, mas sua esposa decidiu ter um filho. Agora, ela o cria de maneira prática e disciplinadora (e um tanto impaciente).
Ela representa a classe média norte-americana e, como o pai, não tem nome, sendo conhecida apenas como “Mãe”.
 
Mãe do Calvin

4. LARA LOR VAN E MARTHA KENT – MÃE/MADRASTA

Além de Lara, a mãe biológica, Martha representa as madrastas que nada têm de más, as “boadrastas”.
A kryptoniana Lara, ao lado do marido Jor-El, sacrificou sua vida, enquanto seu planeta ruía. Para salvar seu único rebento, colocou-o em uma nave que o enviou ao espaço. O bebê veio parar na Terra, nos EUA, e foi achado por Martha Kent e seu marido Jonathan. Martha o criou como se fosse seu, educando-o sob os valores que o tornaram um grande defensor da honra e da justiça.
 
Lara Lor Van e Martha Kent

5. MARLENA GLENN – RAINHA

Uma terráquea exploradora do desconhecido, Marlena acabou atravessando um portal dimensional em uma viagem que terminou em tragédia. Única sobrevivente, foi salva por Randor, por quem se apaixonou e com quem se casou. Decidindo ficar em Etérnia, acabou subindo ao trono.
Os filhos gêmeos, Adam e Adora, tornaram-se não apenas príncipe e princesa, mas os guerreiros He-Man e She-Ra. Porém, mães “sempre sabem”: Marlena conhece as identidades secretas dos filhos e orgulha-se do heroísmo de ambos. Ela própria é uma guerreira, tendo liderado exércitos de seu reino.
 
Marlena Glenn

6. MÍSTICA – MÃE DE HERÓIS E VILÕES

Espiã, vilã e heroína: pouco se sabe a respeito dela. Não se conhece sua aparência original nem mesmo sua idade, já que ela pode assumir várias formas.
Sob a identidade de baronesa Wagner, deu à luz Noturno (o X-Men alemão Kurt Wagner), mas o abandonou ainda bebê quando foram perseguidos por uma multidão enfurecida.
Como Raven Darkhölme, junto com sua esposa (a mutante Sina), criou a ainda jovem X-Men Vampira, quando esta fugiu de sua casa ao se descobrir mutante.
Com o vilão Dentes-de-Sabre, pariu Graydon Creed, que também abandonou, em um orfanato, ao descobrir que ele não era um mutante. Adulto, ele se tornou um intolerante militante contra mutantes.
 
Mística

7. HELGA – MÃEZONA

Os vikings também amam, inclusive seus filhos. Quando Hagar, o Horrível, vai trabalhar (ou seja, saquear as cidades portuárias da Europa), já sabe que não pode se esquecer da lista de “compras” de sua esposa Helga, que sempre lhe pede para trazer algumas coisinhas.
Mãe da doce Honi e do inteligente Hamlet, ela também tem “sob suas asas” o cão Snert e a pata Kvack, além de cuidar da casa. E exige respeito à sua própria mãe (que Hagar odeia).
 
Helga

8. GATINHA – MÃE DE UMA “PENCA” DE FILHOS

Nenhuma mãe gostaria de dar de cara com uma ninhada de ratos dentro de casa. Exceto a Gatinha, a ratinha das tirinhas de Níquel Náusea.
Como uma boa ratazana, ela tem uma facilidade enorme para gerar prole, e quando não está em momentos românticos e engraçados com Níquel Náusea ou escapando das porquices do Rato Ruter, está na tarefa de amamentar e criar sua imensa família.
 
Gatinha

9. ??? ?? (NADESHIKO KINOMOTO) – SEMPRE PRESENTE

Algumas mães não chegam a ser personagens ativas por já terem falecido na época em que a história é contada. Mesmo assim, têm papel importante na vida dos filhos, que as levam na memória. É o caso de Nadeshiko, mãe da Sakura, do mangá Card Captor Sakura (antigo Sakura Card Captors).
Nadeshiko era uma garota com uma carreira de modelo quando conheceu Fujitaka Kinomoto. Apesar da diferença de idade, os dois se casaram. Aos 27 anos, após adoecer, ela faleceu, deixando Sakura aos 3 anos de idade e Touya aos 10. Fujitaka mantém uma foto da esposa, à qual Sakura faz questão de dar “bom dia” toda manhã.
 
Nadeshiko Kinomoto

10. MAY PARKER – “MÃE” DE CORAÇÃO

Há aquelas que não deixam de ser conselheiras e “ombro amigo”, dando o carinho que só as mães podem dar: são as mães de criação, como May Parker, mais conhecida como Tia May.
Após a morte dos pais de Peter Parker, ela e seu marido Ben passaram a criar o garoto geek que viria a ser o Homem-Aranha. Com a morte de Ben, May passou a criar Peter sozinha, transmitindo-lhe os fortes valores que tornam o herói da Marvel tão sobre-humano e, ao mesmo tempo, tão comum como qualquer um.
 
Tia May
 
Recomendamos para você