Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 08.11.2009 08.11.2009

Dez figuras históricas reais do game Assassin’s Creed

por Carolina Cunha

Lançada em 2007 pelo estúdio francês Ubisoft, a franquia de games Assassin’s Creed ficou conhecida por ter como cenário grandes episódios revolucionários da humanidade. Suas histórias de ficção e ação-aventura são ambientadas em diferentes períodos do tempo, com dados, personagens e lugares históricos reais.

Em novembro, a Ubisoft lança mais dois games, muito esperados pelos fãs: Assassin´s Creed Unity e Assassin’s Creed Rogue.

Unity é a grande aposta do ano. O game se passa na Paris de 1798, durante a Revolução Francesa, trazendo personagens reais como Napoleão Bonaparte, Robespierre e o Marquês de Sade. Desta vez, o herói é Arno Dorian, e ele vai expor os verdadeiros poderes por trás da Revolução.

A novidade dos gráficos é que todos os edifícios históricos de Paris foram recriados em escala real. A cidade que você verá nesse jogo é a maior já criada para um game da série.

Assassin´s Creed Rogue é anunciado como o capítulo mais sangrento da franquia. O título volta para a América do Norte colonial, local que já foi o cenário de jogos anteriores. A proposta é que o jogador encarne o vilão Shay, um ex-assassino que se tornou Templário e quer ser o mais temido caçador de assassinos da história. Entre as novidades do jogo está a inclusão de gangues na cidade de Nova Iorque, recriada como era no século 18.

Ambos os jogos serão lançados para diferentes plataformas e mantêm a tradição de estarem ligados a grandes conspirações. Relembramos dez personagens históricos reais, entre conhecidos e desconhecidos, que aparecem em Assassin’s Creed. Algum deles já cruzou o seu caminho no game?

1. Rashid Al-Din-Sinan (desconhecido-1193)

Líder religioso de uma seita militar na Síria, conhecida como Ordem dos Assassinos e baseada no castelo de Masyaf. Durante a Idade Média, ele fez importantes alianças com os mulçumanos de Saladino (chefe militar) e os Cruzados cristãos. O personagem aparece no primeiro jogo da série, quando o jogador assume o papel de Altair, um assassino do século 12 que reside em Masyaf durante a Terceira Cruzada (1189-1192). Altair é um dos alunos mais brilhantes de Rashid.

2. Ricardo Coração de Leão (1157-1199)

Importante rei e herói da Inglaterra medieval, Ricardo foi um dos líderes da Terceira Cruzada e teve sucesso em muitas batalhas. No primeiro jogo, o rei aparece como o líder do exército cruzado que luta contra Saladino para conquistar a Terra Santa.

3. Rodrigo Bórgia (1431-1503)

Uma das famílias mais poderosas da época do Renascimento italiano, os Bórgia foram acusados de diversos crimes que abalaram Roma. O patriarca Rodrigo Bórgia se tornou o papa Alexandre VI e ficou famoso por governar sem escrúpulos. Ele aparece em Assassin´s Creed 2 e Assassin’s Creed: Brotherhood. Nos jogos, além de Papa, Rodrigo é Grão-Mestre dos Templários e está na mira do herói assassino Ezio Auditore, que busca vingança.

4. Nicolau Maquiavel (1469-1527)

Filósofo italiano do Renascimento, reconhecido como fundador do pensamento e da ciência política modernos. Escreveu o livro O Príncipe, inspirado pelo nobre e tirano César Bórgia, o filho ilegítimo de Rodrigo que realizou uma série de campanhas militares para expandir os interesses da família. Em Assassin’s Creed: Brotherhood, Maquiavel é um dos mentores de Ezio Auditore na Ordem dos Assassinos e tem os Bórgia como inimigos.

5. Genghis Khan (1162-1227)

Foi fundador e primeiro imperador do Império Mongol, governado por ele de 1206 até sua morte. Ele conquistou e dominou diversos povos na Ásia e no Oriente, inclusive a Síria. Genghis Khan aparece nas mensagens cifradas de Assassin’s Creed 2. Em 1227, o assassino mongol chamado Qulan Gal atirou no cavalo de Genghis Khan com um arco e flecha, desmontando o imperador.

6. Leonardo da Vinci (1452-1519)

Considerado um dos maiores gênios da história, Leonardo da Vinci foi um inventor, cientista e artista do Renascimento. No segundo jogo, Ezio faz amizade com Da Vinci, que fabrica armas e o ajuda a decifrar vários códices. Além de conhecer o quadro A Mona Lisa, Ezio ainda pode testar o projeto de uma máquina voadora criada por Da Vinci.

7. George Washington (1732-1799)

Foi o presidente dos Estados Unidos e comandou o exército dos patriotas na Revolução Americana. Em Assassin´s Creed 3, todo o jogo se passa nos EUA do século 18, durante a Revolução. O jogador assume o papel do assassino Connor, meio-índio que luta ao lado dos americanos. Os Templários estão infiltrados e farão de tudo para conquistar o poder no novo país. Inclusive acusar injustamente Connor de tentar liquidar George Washington.

8. Barba Negra (1680-1718)

Um dos mais temíveis piratas que assolaram os mares do Caribe e das colônias da América do Norte no início do século 18. No jogo Assassin’s Creed 4: Black Flag, o herói é Edward Kenway, avô de Connor, do título anterior. Ele é temido por piratas famosos e seus feitos são admirados até pelo lendário Barba Negra, que se torna seu mentor.

9. Mary Read (1690-1721)

Ao lado de Anne Bonny, Mary Read foi uma das piratas femininas mais famosas do Caribe. As duas britânicas eram da tripulação do corsário conhecido como Calico Jack. No game, para agir sem suspeitas, Mary se veste como homem, usando o nome de James Kidd. Ela também é membro da Ordem dos Assassinos e se torna amiga de Edward Kenway.

10. Charles Lee (1732-1782)

Um dos nomes da Revolução Americana, o general britânico tinha ambições de se tornar comandante do Exército Continental, mas teve seus planos frustrados com a nomeação de George Washington. No jogo, ele serviu na Guerra Franco-Indígena e se tornou um ambicioso membro da Ordem dos Templários. Ao longo da Revolução, Lee conspira contra a autoridade de Washington com o objetivo de assumir a liderança dos patriotas.

Recomendamos para você