Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 29.07.2014 29.07.2014

DEZ críticos literários brasileiros que fizeram história

Por Zaqueu Fogaça
A presença do crítico literário sempre se mostrou fundamental no trabalho de apuração social, histórica e cultural no discurso literário; seja no empenho acadêmico capaz de interpretar e reorganizar a história literária do país ou em textos publicados na imprensa que iluminam os caminhos trilhados pela literatura contemporânea.
Neste texto que finda a série dedicada à crítica literária brasileira, iniciada com “Os Dilemas da Crítica Contemporânea” e seguida por “Rumos da Crítica Literária”, o SaraivaConteúdo listou dez dos maiores representantes desse gênero textual no Brasil e destacou seus interesses de estudo.
1. SÍLVIO ROMERO (1851-1914)
Nascido na cidade de Lagarto (SE), Sílvio Romero foi ensaísta, folclorista, crítico literário, professor e historiador da literatura brasileira. De espírito científico e polêmico, foi o responsável por estabelecer a crítica e a história literárias em bases sistemáticas e técnicas, abrindo um importante caminho para a compreensão da história literária e cultural do país. Como disse posteriormente Antonio Cândido, Romero “firmou o cânon da história literária brasileira”.
Linhas de interesse: formação da raça brasileira e o meio social. Para ele, a realidade deveria ser tomada como base para a literatura.
Obra: História da Literatura Brasileira – Tomos I e II (Imago)
2. JOSÉ VERÍSSIMO (1857-1916)
Nascido na cidade de Óbidos (PA), José Veríssimo Dias de Matos foi jornalista, educador, escritor, crítico e historiador literário. Pertencente à geração de 1870, tomava como influência os ideais críticos do francês Hippolyte Taine, que procurava entender o homem a partir dos conceitos de raça, meio social e momento histórico. Foi um dos primeiros críticos a destacar a importância de Machado de Assis.
Linhas de interesse: estudo do nacionalismo, da brasilidade presente nos autores. Crítica de cunho educacional.
Obra: História da Literatura Brasileira (Letras e Letras)
3. ARARIPE JUNIOR (1848-1911)
Escritor, advogado, político e crítico literário, o cearense Tristão de Alencar Araripe Junior foi um intelectual fiel aos aspectos nacionalistas. Sensível ao fato estético e de espírito criativo, Araripe integra, ao lado de Sílvio Romero e José Veríssimo, a chamada “geração de 1870”, década central na história intelectual do país.
Linhas de interesse: direcionou seus estudos literários de cunho nacionalista ao fator “meio”.
Obra: Cartas Sobre a Literatura Brasileira
4. AGRIPPINO GRIECO (1888-1973)
Nascido em Paraíba do Sul (RJ), Agrippino Grieco foi poeta, jornalista, tradutor, contista e, principalmente, crítico literário. Como crítico, tornou-se uma figura temida entre as décadas de 1920 e 1950, período em que escrevia diariamente em jornais suas colunas de cunho satírico e tom polêmico.
Linhas de interesse: sua crítica literária era pautada pelo impressionismo, destacando também seu interesse humanista.
Obra: Poetas e Prosadores do Brasil (Livros do Brasil)
 
5. ALCEU AMOROSO LIMA (1893-1983)
Nascido na cidade de Petrópolis (RJ), Alceu Amoroso Lima ficou conhecido pelo pseudônimo Tristão de Ataíde. Crítico, professor e ensaísta, Alceu ministrou cursos sobre a civilização brasileira na Sorbonne e nos Estados Unidos. Seus trabalhos de crítica do período de 1927 a 1933 foram reunidos no livro Estudos. Tido como crítico do modernismo e, mais tarde, convertido ao catolicismo, tornou-se um líder da inteligência católica no país.
Linhas de interesse: crítica de cunho satírico e expressionista; entendia a crítica literária como atividade autônoma.
Obra: O Crítico Literário
6. AFRÂNIO COUTINHO (1911-2000)
Crítico literário, ensaísta e professor, Afrânio dos Santos Coutinho nasceu em Salvador (BA) e chegou a se formar na Faculdade de Medicina da Bahia, em 1931, mas sem exercer a profissão, indo trabalhar na biblioteca da faculdade motivado por seu interesse pelos livros. Introduz na crítica literária brasileira os conceitos do new criticism norte-americano. Em 1990, publica em dois volumes a Enciclopédia de Literatura Brasileira (Global), obra referencial nos estudos literários.
Linhas de interesse: humanismo, crítica de cunho social e de alcance universal.
7. ÁLVARO LINS (1912-1970)
Nascido em Caruaru (PE), Álvaro de Barros Lins foi professor e crítico literário. Começou a fazer crítica no Rio de Janeiro, escrevendo para o Suplemento Literário do Diário de Notícias e para os Diários Associados, e foi redator-chefe do Correio da Manhã. Defendia que a crítica não era somente apreciação de julgamento no plano subjetivo.
Linhas de interesse: adepto à crítica impressionista e de cunho humanista.
Obra: Filosofia, História e Crítica na Literatura Brasileira
8. ANTONIO CANDIDO (1918)
Nascido na cidade do Rio de Janeiro, o escritor, sociólogo, professor e crítico literário Antonio Candido de Mello e Souza é considerado um dos maiores nomes da crítica literária brasileira. Sua estreia como crítico aconteceu na revista Clima, fundada em conjunto com Décio de Almeida Prado, Paulo Emílio Salles Gomes, Gilda de Mello e Souza, entre outros. Em 1959, lançou sua obra mais influente: Formação da Literatura Brasileira.
Linhas de interesse: crítica de cunho histórico-social. Aprofunda-se no estudo da literatura e pedagogia. Estudos sobre autor-obra-público.
 
                                                                                                                 Kiko Ferrite
Antonio Candido de Mello e Souza
9. ALFREDO BOSI (1936)
Nascido em São Paulo, Alfredo Bosi formou-se em Letras Neolatinas pela Universidade de São Paulo (USP) e estudou Filosofia do Renascimento e Estética na Universidade de Florença. De volta ao Brasil, assumiu os cursos de Língua e Literatura Italiana na USP, para, posteriormente, em 1971, voltar-se ao ensino de Literatura Brasileira. Dedicado ao ensino e à pesquisa nas áreas de literatura e cultura brasileiras, procurou pautar suas leituras críticas pelo formalismo literário e suas implicações históricas.
Linhas de interesse: literatura italiana, fatores históricos da crítica.
10. WILSON MARTINS (1921-2010)
Professor e crítico literário, Wilson Martins nasceu em São Paulo, depois se mudou para Curitiba, onde entrou no curso de Direito da Universidade do Paraná. Em 1991, começou a publicação dos 12 volumes de Pontos de Vista, reunião de toda a sua crítica literária publicada em jornais. Praticou esse gênero textual nos jornais O Estado de São Paulo e Jornal do Brasil, e também foi colunista da Gazeta do Povo e O Globo. Publicou, entre outras obras, História da Inteligência Brasileira, em 7 volumes. De espírito provocador, se denominava “o último crítico literário em atividade”.
Linhas de interesse: foi um crítico de linha de frente, analisando obras contemporâneas e, para isso, valendo-se da comparação histórica. Praticou a crítica impressionista, sempre fiel ao seu ideal crítico, o que o fez colecionar muitos inimigos.
Obra: A Crítica Literária no Brasil – Vols. I e II (Francisco Alves)
 
Da esquerda para a direita: Alfredo Bosi, Alceu Amoroso Lima, Araripe Junior e Silvio Romero
 
 
Recomendamos para você