Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Sem categoria 10.12.2014 10.12.2014

DEZ bandas de rock que se inspiraram em histórias de guerra

Por Maria Fernanda Moraes
“Rock é protesto”, você já deve ter ouvido por aí. Em períodos em que o mundo é devastado por guerras, então, a máxima volta a valer com força. Nos anos 60, por exemplo, época marcada pelo florescimento das grandes bandas de rock junto à Guerra do Vietnã e, depois, a Guerra Fria, o festival Woodstock virou um símbolo das manifestações políticas da época.
Um caso clássico é a apresentação de Jimi Hendrix, que fecharia o Woodstock na manhã de segunda-feira, na fazenda de Max Yasgur. Ao final da primeira parte da apresentação de Hendrix, ele preparou uma surpresa que nem havia ensaiado com a banda. O guitarrista passou a tocar a o hino norte-americano”The Star-Spangled Banner”, porém sem a letra. Começava de forma patrioticamente correta, mas no meio ia fazendo com a guitarra efeitos que imitavam explosões de bombas, metralhadoras, sirenes e aviões de guerra, numa clara crítica à postura dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã.
Depois de Woodstock, Hendrix lançou também “Machine Gun”. Outras canções referentes à Guerra do Vietnã também ficaram famosas, como “Give Peace a Chance”, de John Lennon, e “Fortunate Son”, do Creedence Clearwater Revival, ambas lançadas em 1969; ou ainda “I-Feel-Like-I’m-Fixin-to-Die Rag”, de Country Joe McDonald, que também se apresentou no Woodstock.
Outras importantes bandas também foram influenciadas por histórias de guerras. Assumindo ora uma posição irônica, ora combativa, não apenas compuseram músicas, mas batizaram os grupos com nomes representativos:
1. JOY DIVISION
A banda inglesa pós-punk formada em 1976 traz uma das referências mais famosas no nome. Na Segunda Guerra Mundial, o “Joy Division” (“Divisão do Prazer”, em tradução livre) era um setor dentro do campo de concentração nazista onde as mulheres prisioneiras eram estupradas pelos soldados nazistas.
2. NEW ORDER
A banda foi formada em 1980 pelos remanescentes do Joy Division depois do suicídio do vocalista Ian Curtis (1956-1980). O nome adotado – “Nova Ordem” – é um termo recorrente no livro Minha Luta, de Adolf Hitler, o que causou certa polêmica. Entretanto, o livro 24 Hour Party People revela que na verdade o nome se refere ao Khmer Vermelho e foi sugerido pelo empresário do grupo na época, após ter assistido na TV a um documentário sobre a revolução no Camboja.
O New Order fica dividido entre a Segunda Guerra e a Revolução do Camboja
3. FOO FIGHTERS
Liderada por Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana, que formou a nova banda depois do suicídio de Kurt Cobain, o nome “Foo Fighters” vem de uma gíria usada durante a Segunda Guerra Mundial que se referia a objetos voadores não identificados – OVNIs/UFOs. A palavra Foo é uma corruptela do francês “feu”, significando “fogo”, ou “fou”, que significa “insano”. Segundo o que se conta, a história começou quando um grupo de pilotos da aeronáutica tentou atirar em possíveis OVNIs.
4. BARÃO VERMELHO
Para colocar na roda uma banda brasileira, o nome “Barão Vermelho” está ligado a um personagem da Primeira Guerra Mundial. O grupo carioca que revelou Cazuza e Frejat adotou como nome o apelido do alemão Manfred von Richthofen, considerado um dos maiores pilotos de caças militares de todos os tempos. Durante a Primeira Guerra, ele abateu 80 aviões inimigos. Manfred faleceu em 1918, atingido por artilharia terrestre dos Aliados.
Entre os representantes brasileiros, o Barão Vermelho faz referência a um piloto de caça alemão
5. FRANZ FERDINAND
Ainda no terreno da Primeira Guerra, um fato histórico importante foi o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austro-húngaro, por ordem da Sérvia. Esse fato é considerado o estopim do conflito. A banda foi formada em Glasgow, na Escócia, em 2002, e os integrantes costumam dizer que batizaram-na com o nome do arquiduque porque ele foi um cara que mudou o mundo, e esse é o objetivo do grupo.
6. AGENT ORANGE
A banda californiana formada em 1979 foi uma das primeiras a misturar punk rock com surf music. O nome “Agent Orange” (em tradução livre, “agente laranja”) refere-se a um desfolhante químico à base de dióxido muito usado durante as ações de combate na Guerra do Vietnã. Como havia pressa para produção do herbicida, houve negligência durante o processo de purificação dos lotes, apresentando teores elevados de um subproduto cancerígeno, o que fez com que a substância deixasse sequelas terríveis na população vietnamita e nos próprios soldados norte-americanos.
7. B52s
A banda norte-americana composta por Kate, Cindy, Fred e Rick lançou o primeiro disco em 1969. O nome veio de um avião de bombardeio utilizado pelos Estados Unidos durante o período da Guerra Fria. O B-52 Stratofortress é um bombardeiro estratégico subsônico de longo raio de ação, propulsionado por oito motores a jato. Iniciou a atividade operacional na Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), seu único utilizador, em fevereiro de 1955.
O nome B52 é também de avião de bombardeio
8. MEGADETH
Depois de sair do Metallica, o guitarrista Dave Mustane formou em 1983 a sua própria banda, dando a ela o nome de Megadeth, baseado num termo utilizado pelos militares. Funciona como uma espécie de medida utilizada em conflitos e guerras: uma megadeath é a morte de um milhão de pessoas. No jargão militar, diz-se, por exemplo, que a Segunda Guerra Mundial resultou em quase 80 megadeaths.
9. DEATH IN JUNE
É uma banda britânica de pós-industrial e neofolk liderada por Douglas Pearce, que começou em 1981 como um trio e atualmente segue como projeto solo do vocalista. O Death in June esteve envolvido em algumas polêmicas ligadas a supostas referências nazistas na estética e obra da banda. O nome do grupo se refere a um episódio histórico, quando Hitler mandou matar Ernest Roehm, que era um de seus braços direitos e apoiadores mais antigos. O que se conta é que o führer havia se irritado com a homossexualidade de Roehm. A banda costumava se apresentar usando uniformes militares alemães e austríacos. O vocalista também aparecia no começo dos shows usando máscaras.
10. SABATON
A banda sueca de heavy metal formada em 1999 tem uma peculiaridade: suas letras falam quase sempre de conflitos históricos, guerras e discussões políticas. Uma das músicas, “Art of War”, é uma releitura do famoso livro de Sun Tzu, A Arte da Guerra. No álbum Heroes, o grupo traz a canção “Smoking Snakes”, que conta a história dos três soldados da Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial. Após o combate, os brasileiros foram enterrados pelos alemães com a inscrição “Drei Brasilianische Helden” (Três Heróis Brasileiros).
As letras do Sabaton abordam guerras e conflitos políticos
Recomendamos para você