Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 25.07.2014 25.07.2014

DEZ avós da ficção

Por Cintia Lopes

Do tipo doidinha, engraçada, amorosa, austera ou sem papas na língua… quando o assunto é “avós da ficção”, tem para todos os gostos e com os mais variados estilos. Até mesmo aquelas consideradas “pseudoavós”, que caíram nas graças do público mesmo sendo interpretadas por homens, não poderiam ficar de fora do ranking das DEZ mais famosas vovós ficcionais.

Em homenagem ao Dia dos Avós, (26/7), data que coincide, segundo o Catolicismo, com o nascimento de Sant´Ana, mãe de Virgem Maria e avó de Jesus Cristo, o SaraivaConteúdo listou aquelas figuras marcantes da TV e do cinema e que representam bem o espírito das vovós… ou não. Confira!
1. DONA BENTA
É talvez a vovó mais popular da literatura brasileira. Imortalizada por Monteiro Lobato na obra Reinações de Narizinho, ganhou ainda mais fãs quando foi adaptada para a tevê através da série Sítio do Pica-Pau Amarelo, exibida na Globo entre os anos de 1977 e 1986. Zilka Salaberry interpretava a famosa avó de Pedrinho e Narizinho. Além de amorosa, é uma excelente contadora de histórias e quituteira das boas. Mesmo acumulando outros papéis de destaque na dramaturgia, foi como Dona Benta que a atriz ficou eternamente lembrada. Fora das telas, Zilka admitia ser péssima cozinheira. Nos anos 2000, a personagem ganhou uma repaginada, tendo Nicette Bruno e Suely Franco como intérpretes.
2. VOVÓ MAFALDA
Quem viveu a infância ou adolescência nos anos oitenta certamente se lembra dela. Sem papas na língua e desengonçada, Vovó Mafalda agitava o programa do Bozo com brincadeiras e esquetes no palco. Personagem criada pelo falecido Valentino Guzzo, era idolatrada pelas crianças mesmo sem ter nenhuma habilidade especial com trabalhos manuais ou na cozinha. Pelo contrário: era mestra em acertar tortas na cara do Papai Papudo (Gibe Fernandes), entre outros.
3. VOVÓ ZILDA
Resmungona, fumante e meio preguiçosa. A matriarca da família Silva Sauro era a pedra no sapato do genro Dino. Mãe de Fran, vovó Zilda gostava mesmo era de infernizar o pobre Dino e se divertia com as travessuras dos netos Bob, Charlene e, claro, Baby Dino, com quem trocava várias ideias na série Família Dinossauros, produzida pela Disney entre os anos de 1991 e 1994.
4. CLARISSE RENALDI
Uma avó com classe. Se não bastasse, rainha com pompa e circunstância da pequena Genovia. Rainha Clarisse (Julie Andrews) é a superavó de Mia Thermopolis (Anne Hathaway), protagonista de O Diário da Princesa, adaptação do best-seller de Meg Cabot para o cinema. As duas só se conhecem quando Mia já é uma adolescente. No início, se estranham e o relacionamento é meio conturbado, mas aos poucos descobrem uma grande afinidade e se tornam grandes amigas.
5. VOVÓ NANÁ
A hilariante Vovó Naná foi imortalizada por Jô Soares no programa Viva o Gordo, exibido na Globo na década de oitenta. Sempre disposta a garantir um dinheirinho extra, popularizou o bordão “Tem cachê?” e atuava como uma espécie de quebra-galho do diretor de TV interpretado por Francisco Milani. Também não esquecia os netinhos, de quem falava a toda hora.
6. INÊS OLIVEIRA
Quando Bruna Marquezine era conhecida apenas como uma talentosa atriz mirim, fez o público chorar ao interpretar a fofa Salette em Mulheres Apaixonadas. A menina sofria com as grosserias da avó Inês, vivida pela saudosa Manoelita Lustosa. “Má como pica-pau”, a personagem despejava as frustrações em cima da menina, maltratava a garota o tempo todo e ainda praticava bullying em todas cenas.
7.DONA NEVES
Dona Neves justifica a fama de malandro e mau pagador do neto Seu Madruga (Ramón Valdés), do seriado Chaves. Interpretada por María Antonieta de las Nieves, a mesma atriz que dá vida à Chiquinha, Dona Neves não dispensa uma mordomia, aprecia uma boca livre e adora implicar com Dona Florinda (Florinda Mezza). Bem-humorada, está sempre disposta a fazer as vontades da bisneta Chiquinha.
8. SEPA E PURING
Duas avós sofridas e guerreiras: Sepa (Anita Linda) e Puring (Rustica Carpio) do filme Lola são o retrato da tristeza. Na história, dirigida pelo filipino Brillante Mendoza, elas têm o destino entrelaçado por conta de uma tragédia: o neto de uma delas é acusado de matar o da outra para roubar um celular. “Lola” significa “avó” em tagalo, uma das línguas faladas nas Filipinas.
9. VOVOZONA
O experiente agente Malcolm (Martin Lawrence) era um policial dentro dos padrões até encarar o disfarce de Vovozona, uma típica avó sulista americana, cheia de gírias e atitudes. A intenção era surpreender um fugitivo da cadeia que escolhe a casa da real Vovozona, misteriosamente desaparecida. Nada convencional, tem o costume de dar um “chega pra lá” nos pretendentes, adora uma cerveja e tem habilidades em desarmes e golpes.
10. VÓ DO JÚLIO
Ela não tem nome. Conhecida apenas como “a vó do Júlio”, do Cocoricó, sua identidade nunca foi divulgada. Ainda assim, ela é tema da música “Avó a Bordar”, adaptação de Hélio Ziskind para o folclore “A Velha a Fiar”. É avó prendada, que adora cozinhar e enche o neto de mimos.
Recomendamos para você