Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 11.11.2013 11.11.2013

Dead Rising 3: uma experiência completamente nova no apocalipse zumbi

Por Aline Maryama
Esqueça absolutamente tudo que você já viu em qualquer game de zumbis. Dead Rising 3 chegou chutando e derrubando as portas do mercado, pois a proposta é boa e tentadora. Confira abaixo os principais motivos para deixar o título na lista VIP dos aclamados jogos de sobrevivência:
INFINITAS POSSIBILIDADES 
Cansado de telas limitadas, onde você "roda" pelo mesmo local milhares de vezes? Sem problemas, porque em Dead Rising 3 esse aspecto é realmente diferente. O mundo é aberto e bem maior do que os de jogos anteriores. E melhor: não há telas de carregamento, tornando a ação contínua, assim, para os fãs mais hardcore, a jogatina será frenética.
Mas para quem é fiel às versões anteriores e ao ritmo mais acelerado, tudo bem. Há o Nightmare Mode, que possui contagem regressiva, sendo necessário cumprir os objetivos antes do bombardeio. Nesse modo, as missões ficam disponíveis por tempo limitado. E assim como nos outros dois jogos, só será possível salvar em alguns locais específicos.
Além disso, Dead Rising 3 terá de seis a dez finais diferentes. Eles estão ligados diretamente às escolhas feitas durante o game. Segundo os produtores, não é uma história completamente aberta, mas haverá desfechos distintos, baseados em decisões importantes tomadas durante a trajetória do jogo.
A TRAMA DO JOGO
A história se passa cerca de dez anos depois dos acontecimentos do jogo anterior, na cidade fictícia de Los Perdidos, Califórnia. O protagonista é Nick Ramos, um jovem mecânico com um misterioso passado.
Ele precisa sair da cidade antes que um bombardeio militar aconteça, tendo apenas seis dias para fugir. Sua grande vantagem é a habilidade de criar armas novas e diferentes (aspecto conhecido e tido como sucesso na franquia Dead Rising).
Com elementos mais sóbrios e sérios do que seus antecessores, o jogo promete não decepcionar. “Queríamos realizar uma experiência única para cada jogador ? envolvente e com diversas opções de escolha. Todos os zumbis são diferentes, há mais rápidos e mais lentos, será difícil olhar para a horda de criaturas e achar que todos são iguais", afirmou Danilo Parise, gerente de produtos do Xbox One e Xbox 360, durante a coletiva de imprensa da Microsoft na feira Brasil Game Show.
Desprendendo-se lentamente do conceito trash que assumiu nas versões anteriores, Dead Rising 3 mergulha na realidade e adota mais o perfil de simulação de sobrevivência. Sustos, muita ação, suspense e momentos de tensão aguardam os jogadores. As conhecidas missões de auxílio a outras pessoas retornam, mas com um diferencial: desta vez, os personagens que receberem ajuda também vão se oferecer para lutar ao seu lado.
 
Dead Rising 3 traz terá de seis a dez finais diferentes
INTERAÇÃO COM KINECT 
Um dos pontos mais fortes do game é a possibilidade de executar alguns comandos via Kinect. O jogador poderá gritar para chamar a atenção das criaturas ou até mesmo para pedir ajuda a outros personagens.
“Isso aumenta a experiência em 100%. O jogador entra na trama de uma forma diferente. Nós atendemos aos pedidos dos hardcore gamers para proporcionar um jogo que desafia as leis do game versus realidade”,  acrescenta Parise. Por exemplo, se você está distraído na sala jogando e alguém entra para falar com você, os zumbis poderão ouvir e atacá-lo.
A conectividade e a grande interação são aspectos a favor do Xbox One. "A proposta sempre foi clara para a equipe: criar um console único e compatível com as diversas tecnologias disponíveis. Já o Kinect transforma o produto, proporcionando uma experiência única. Os produtos aliados são únicos, objetivos", acrescenta Francisco Simon, diretor de marketing da América Latina da Microsoft, também presente na coletiva da empresa na BGS.
COMPATIBILIDADE E MOBILIDADE 
Calma, ainda tem mais. O game tem um app disponível para diversos dispositivos móveis, onde o jogador poderá pedir apoio militar e também jogar outras missões exclusivas.
Há ainda a possibilidade de enviar mensagens para diferentes personagens dentro do jogo, com narrativas próprias dos eventos.
DOSE DUPLA
Dead Rising 3 possui um modo cooperativo on-line, onde o protagonista Nick Ramos é acompanhado pelo caminhoneiro Dick. Nessa modalidade, não é necessário que os dois estejam juntos: podem permanecer distantes e continuar explorando o mapa em conjunto, compartilhando descobertas.
Caso decida jogar com um amigo que está mais avançado na trama, o progresso realizado no modo cooperativo será salvo. Porém, será necessário completar os capítulos anteriores até o ponto do progresso cooperativo. Quando o jogador chegar ao ponto salvo, haverá a opção de pular para o próximo capítulo.
 
A história se passa cerca de dez anos depois dos acontecimentos do jogo anterior
 
Para o estudante carioca Fabrício Lopes, fã da série e viciado em zumbis, o game é o lançamento do ano que ele mais esperava. “A jogabilidade tem uma proposta incrível. Seja pelo mundo aberto, seja pela compatibilidade tentadora com o Kinect ou o modo cooperativo, não importa. Dead Rising já deixou claro que tem diferenciais suficientes para atrair quem gosta do tema”. 
 
Está ansioso para jogar Dead Rising 3. O game já está disponível em pré-venda e será comercializado oficialmente a partir de 22 de novembro para Xbox One. Até lá, confira um gameplay para matar a vontade: 
 

 
 
Recomendamos para você