Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 24.03.2011 24.03.2011

De mulher para mulher

Dona Ivone Lara, que vai completar 90 anos em abril, lutou muito para se impor como compositora no meio do samba – reduto em que historicamente o poder da criação sempre foi dominado pelos homens. Para que seus primeiros sambas fossem ouvidos, Ivone teve até que consentir que seu primo, Mestre Fuleiro, assumisse a autoria deles. Muita coisa mudou e a mulher já conquistou seu espaço dentro e fora do samba, mas nem por isso o CD de sambas de Adriana Calcanhotto, O micróbio do samba, deixa de ser especialmente saboroso. Ela dá o troco no machismo que imperou durante anos no mundo do samba com um disco deliciosamente feminino.

Com a fina ironia que caracteriza sua escrita, a compositora dá a mulher o poder da criação e da relação afetiva. Em “”Tá na minha hora””, a mulher avisa ao seu neguinho que vai passar uns tempos em Mangueira. Em “”Mais perfumado””, a mulher deixa claro que sabe das armações do marido infiel. Já em “”Beijo sem””, samba lançado por Teresa Cristina com a participação de Marisa Monte, essa mesma mulher vai para o samba sem culpas. A letra dialoga com as tradições do samba ao incorporar versos como “”sou da lira”” (que remetem a Chiquinha Gonzaga) e palavras como “”orgia””, recorrentes nos sambas dos anos 30.

A modernidade do disco não se esgota na poética afiada da compositora. Toda uma musicalidade contemporânea – urdida pelo baterista Domenico Lancellotti, pelo baixista Alberto Continentino e pela própria Adriana (que toca violão e um arsenal de instrumentos) – dialoga com a estética cool que impera na discografia da artista desde o CD Cantada, de 2001. Calcanhotto cai no samba à sua moda.

Por conta de uma lesão no pulso, a artista abortou a ideia de cair na estrada com um show baseado no disco. Por ora, Calcanhotto apresenta somente um show, Trobar nova, idealizado para o exterior. Contudo, por questões contratuais, os portugueses deverão ser os únicos a ver o show O micróbio do samba, já que as apresentações lusitanas já estavam agendadas antes do problema no pulso se manifestar.

> Confira a entrevista exclusiva de Adriana Calcanhotto ao SaraivaConteúdo

Recomendamos para você