Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 20.08.2014 20.08.2014

David Michôd chega com seu segundo longa: ‘The Rover – A Caçada’

Por Fernanda Oliveira
 
Mesmo com a direção de apenas um longa-metragem no currículo, o diretor australiano David Michôd conseguiu chamar a atenção de Hollywood. E agora, com o lançamento de seu segundo filme: The Rover – A Caçada, que estreou no Brasil no mês de agosto, chega o momento de suprir ou mesmo superar as expectativas em torno de seu trabalho – que não são pequenas.
 
Michôd iniciou sua carreira no cinema com curtas-metragens e documentários, sendo muito elogiado. No entanto, alcançou o reconhecimento internacional com Reino Animal (2010), seu primeiro longa. A produção foi aclamada pela crítica, sendo premiada pelo Festival Sundance de Cinema e tendo uma indicação ao Oscar na categoria Melhor Atriz Coadjuvante para a atriz australiana Jacki Weaver.
 
Forte e inteligente, o enredo de Reino Animal mostra o amadurecimento de Joshua "J" Cody (James Frecheville). Após perder a mãe, que morre de overdose, ele vai morar com a sua avó materna Janine "Smurf" Cody (Jacki Weaver), matriarca de uma família de criminosos. O perfil dos personagens e a forma como a história é apresentada ao público colocam em evidência algumas características do trabalho do australiano.
 
O próprio diretor afirma que com The Rover fica claro o seu interesse por personagens marginais. Afinal, nesse novo filme, ele mostra a perseguição de Eric (Guy Pearce) a uma gangue que rouba seu carro, seu último bem em uma época de caos causado por um colapso na economia mundial. E em um determinado momento, ele se vê obrigado a levar consigo Reynolds (Robert Pattinson), irmão de um dos criminosos que é abandonado pelo grupo.
 
Protagonizado por Guy Pearce e Robert Pattinson, The Rover – A Caçada se passa em uma região semideserta e desolada da Austrália
 
"Michôd segue uma narrativa seca [em Reino Animal], com planos que valorizam não só os personagens, mas o ambiente onde eles estão. Pode-se observar tudo o que aconteceu ao redor durante um diálogo, por exemplo. O diretor coloca dilemas morais em personagens já amorais por natureza. Em uma família mafiosa, a figura mais implacável é a matriarca. Porém, todos os personagens são humanizados", explica Matheus Bonez, crítico do site Papo de Cinema.
 
Robert Pattinson tem atuação elogiada em The Rover – A Caçada
Jacki Weaver recebeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo seu papel em Reino Animal 
 
Para ele, a narrativa decorre naturalmente. "Não há frescura em matar um determinado personagem importante ainda na primeira metade do filme. É tudo bem delineado, contado da forma mais objetiva possível, com diálogos interessantes, sem causar emoções de forma proposital, mas deixando o espectador sentir a história e decidindo por si se cria empatia ou não pelos personagens".
 
Muitos dos aspectos relatados por Matheus podem ser observados claramente em The Rover. A história se passa na Austrália, em uma região semideserta, desolada e marcada pela crescente violência, algo extremamente importante para a trama. Trata-se de um cenário hostil, opressor e determinante para o desenrolar dos acontecimentos. Além disso, mesmo amorais, os personagens são humanos, não havendo a polarização do bem e do mal.
 
Especificamente em relação aos protagonistas, vale destacar Robert Pattinson. Tentando se desvincular da imagem do vampiro Edward Cullen da série Crepúsculo há alguns trabalhos, o ator britânico se entregou ao papel de Reynolds e teve sua atuação bastante elogiada pela crítica. Uma aposta acertada do australiano, que declarou não ter assistido a nenhum dos filmes da saga, mas viu o personagem de The Rover ganhar vida no teste do astro.
 
Já quanto ao próprio David Michôd, é possível dizer que esse recente longa vem firmar seu nome no cinema? O crítico do site Papo de Cinema responde: "Ainda é cedo para dizer. Ultimamente tem havido uma 'necessidade hollywoodiana' de encontrar diretores novos e talentosos 'de fora'. Então, é esperar para ver".
 
Reino Animal, primeiro longa de David Michôd protagonizado por James Frecheville, foi aclamado pela crítica e garantiu reconhecimento internacional ao diretor australiano
 
 
Recomendamos para você