Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 30.11.-0001 30.11.-0001

David Fincher e a “”Garota Exemplar””: das páginas dos livros para as telonas

Por Vinícius Costa
Para os amantes da literatura policial (com toques de suspense) os títulos Zodíaco (Novo Conceito), Os Homens Que Não Amavam as Mulheres(Companhia das Letras) e Garota Exemplar (Intrínseca) devem estar nas suas estantes, em um lugar de honra. Para os cinéfilos, o diretor David Fincher ocupa posição semelhante; afinal, é um dos grandes nomes de Hollywood. E para aqueles que gostam dos dois, Fincher uniu os mundos ao levar para as telas elogiadas adaptações desses romances.
Nesta semana, chega aos cinemas do país Garota Exemplar, adaptação do livro homônimo com Ben Affleck, Rosamund Pike e Neil Patrick Harris no elenco. O roteiro ficou por conta da própria autora da obra, Gillian Flynn, e a direção é de David Fincher.
A trama gira em torno do desaparecimento de Amy Dunne (Rosamund Pike) no dia do seu 5º aniversário de casamento com Nick (Ben Affleck). Todas as pistas encontradas pela polícia indicam que o responsável pelo desaparecimento de Amy é seu próprio marido. A partir daí começa uma busca desenfreada para encontrar o culpado e descobrir o paradeiro dela.
“Minhas expectativas são bem altas. Eu tenho o costume de ler críticas e resenhas de filmes, e tudo o que eu li até agora sobre Garota Exemplar me deixou bem ansiosa”, conta a jornalista Jacqueline Elise, cinéfila e grande admiradora do trabalho de Fincher.
O diretor parece ter gostado de levar livros de sucesso para os cinemas. Antes de Garota Exemplar vieram títulos como Clube da Luta (Leya), escrito por Chuck Palahniuk, Zodíaco e a primeira parte da trilogia Millenium, best-seller do sueco Stieg Larsson. Mas a sólida carreira de Fincher conta também com filmes que não vieram diretamente das prateleiras, como Se7en, A Rede Social e O Curioso Caso de Benjamin Button. “A impressão que eu tenho do Fincher é que ele gosta muito de adaptar histórias de suspense e policiais, e isso acabou influenciando as produções ‘inéditas’ dele. A Rede Social cria um clima de tensão bem pesado no ar conforme o filme se desenvolve; O Quarto do Pânico é puro nervosismo 100% do tempo, para dar alguns exemplos”, diz Jacqueline.
 
Garota Exemplar, que chega esta semana aos cinemas, é mais uma adaptação de um best-seller policial na carreira do diretor
Mas seu trabalho por trás das câmeras não fica restrito só ao escuro da sala de cinema. David Fincher é o produtor executivo da série House of Cards, além de já ter dirigido clipes de consagrados nomes da música, como Madonna, Justin Timberlake e Aerosmith.
“Eu gosto dele pela sua competência em fazer filmes de suspense… Ele me dá a impressão de que é alguém muito preciso em sua filmagem, de que sabe exatamente o que quer e como passar tal impressão ou sentimento em suas histórias”, argumenta Jacqueline. “Tenho minhas dúvidas em relação ao tratamento que ele costuma dar às personagens femininas. Mas ele é um diretor que sabe muito bem o que está fazendo com o roteiro que tem em mãos”.
PARCERIA NA TRILHA SONORA
Mas uma produção de suspense/policial não seria nada sem a sua trilha sonora, principal responsável por fazer o espectador embarcar na tensão da trama.
Fincher possui uma parceria de longo tempo com Trent Reznor (da banda Nine Inch Nails), que se juntou ao músico Atticus Ross para produzir a trilha de A Rede Social. Desde lá, a dupla está sempre presente nos longas do diretor.
“Acho incrível a trilha sonora que o David Fincher traz para seus filmes, inspirada num estilo mais industrial graças ao Trent Reznor (que colabora com o Fincher desde Se7en) e sua parceria com o Atticus Ross”, afirma Jacqueline.
LIBERDADE NA ADAPTAÇÃO
Ao se levar um livro para os cinemas, mudanças são necessárias; afinal, são obras distintas. Justamente por isso, o assunto gera discussões acaloradas. Até onde o diretor e o roteirista têm liberdade para fazer alterações/adaptações na trama?
 
A Rede Social, Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, Clube da Luta e Zodíaco são apenas alguns dos longas do renomado diretor
“Acho que até o momento em que o filme não se transforma em uma paródia ou uma distorção do livro, o diretor e o roteirista podem fazer o que acharem melhor. Eu já fui bem menos flexível com essa história de alterações em adaptações para o cinema, mas com o tempo comecei a perceber que certas mudanças vêm para o bem”, confessa Jacqueline.
Fincher sempre imprime sua marca nos longas que dirige, o que muitas vezes significa pequenas alterações na personalidade de personagens e até no clima da história (quando se trata da palheta de cores usada, por exemplo).
“Falando especificamente da filmografia do Fincher, eu gostei muito do que ele fez com Os Homens que Não Amavam As Mulheres. Houve alterações e ele tem seu próprio jeito de filmar, mas se compararmos com o filme sueco, a versão americana é a mais fiel ao livro (o que não significa que um filme é melhor que o outro, necessariamente)”, expõe Jacqueline.
Muito se falou que o final de Garota Exemplar seria alterado, pois o desfecho do livro dividiu aqueles que leram a obra. “Disseram que vai ser diferente na adaptação para os cinemas… Vou esperar para ver se o resultado vale a pena”, finaliza Jacqueline.
Nós já vimos, mas não vamos contar se mudou ou não. Vamos deixar você na expectativa, como uma boa cena de suspense que David Fincher sabe muito bem fazer.
Assista ao trailer de Garota Exemplar:
 
 
 
 
Recomendamos para você