Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 13.07.2012 13.07.2012

Christopher Nolan: entre os limites da mente e o super-herói

Por Edu Fernandes
 
Os fãs do Homem-Morcego contam os dias para a chegada de 27 de julho, data de estreia de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, último filme do herói a ser dirigido por Christopher Nolan. Todavia, a jornada do cineasta começou muito tempo antes de ele comandar as aventuras do justiceiro mascarado.
 
Nolan faz filmes desde a infância, quando brincava com uma câmera 8mm e contava histórias em que bonecos faziam as vezes de atores. As marcas desse período podem ser vistas até hoje, uma vez que ele é um forte defensor do uso da película cinematográfica em detrimento de formatos digitais.
 
Sua estreia na direção de longas-metragens aconteceu em 1998, com Following (“Seguindo”, em tradução literal). O título ainda inédito no Brasil traz uma trama sobre um escritor que entra em contato com um ladrão para realizar a pesquisa que o ajudará a escrever um novo livro. O filme tem seu enredo contado de forma não linear, um recurso narrativo recorrente na filmografia de Nolan.
 
As gravações de Following duraram um ano inteiro. Todos os membros da equipe tinham trabalhos formais durante a semana. Por isso, as filmagens só podiam acontecer aos sábados, quando eles conseguiam captar em média 15 minutos de material bruto a cada dia de filmagem.
 
Em 1999, o filme foi exibido no Festival de Cinema de Hong Kong. Na ocasião, Nolan pediu à plateia doações em dinheiro para que ele conseguisse levar adiante seu próximo projeto. Foi assim que ele obteve boa parte da verba para a realização de Amnésia (2000).
 
Guy Pearce em cena de Amnésia.
Dessa vez, Nolan contou com um elenco famoso, que ajudou na popularização do título. Guy Pearce (O Discurso do Rei) interpreta um homem que só consegue se lembrar dos acontecimentos dos últimos minutos.
 
Ele se guia por tatuagens no seu corpo e por fotos onde anota lembretes. O protagonista está à caça do assassino de sua mulher (Jorja Fox, de CSI).

O resultado final foi positivo. Amnésia rendeu ao cineasta uma indicação ao Oscar pelo roteiro e colocou seu nome em evidência. 

 
Com a fama adquirida, ele foi chamado para dirigir outra história em que o protagonista tem de lidar com as limitações de sua mente. Insônia (2002) é o único longa que Nolan dirige cujo roteiro é assinado por outra pessoa.
 
Apesar de não ter escrito o texto, no thriller o cineasta consegue deixa transparecer sua personalidade. Nolan mostra sua coragem na escalação de atores (ele tem o hábito de selecionar atores britânicos para papéis americanos, e vice-versa) e escolhe Robin Williams para ser o vilão.
 
No longa, Williams é o criminoso que aprecia testar a capacidade intelectual do protagonista, um investigador interpretado por Al Pacino (As Duas Faces da Lei).
 
A partir daí, Nolan tinha vários planos, entre eles fazer uma cinebiografia de Howard Hughes estrelada por Jim Carrey, mas O Aviador (2004) de Martin Scorsese o fez desistir de um filme com a mesma premissa.
 
Agora que já fazia parte do panteão de Hollywood, o diretor foi convidado para reiniciar a história de um dos personagens mais populares da DC Comics. E foi assim que começou em 2005 sua jornada ao lado de Batman, vivido por Christian Bale (Tempos de Violência).
 
Ao focar o lado sombrio do herói, o cineasta apagou as más impressões deixadas pelas adaptações anteriores.
 
Seu sucesso foi tão grande que a Warner cogitou fazer uma versão sombria de Superman, já que o filme de Bryan Singer não havia agradado em 2006. Felizmente o plano foi abandonado, e Nolan foi contratado para escrever a história de Superman: O Homem de Aço, que estreia em 2013.

Os filmes do Homem-Morcego foram intercalados por outras direções de Nolan, cujo tema da mente humana é uma constante. Em 2006, ele dirigiu O Grande Truque e mostrou o embate de dois ilusionistas. Christian Bale é um dos mágicos, enquanto o outro é interpretado por Hugh Jackman (X-Men Origens: Wolverine).

Christopher Nolan opera câmera Imax no set de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
 
Em 2010, depois do sucessor de Batman – O Cavaleiros das Trevas (2008), Nolan levou para as telas A Origem. A história se passa dentro do mundo dos sonhos. Com elenco invejável repleto de atores indicados e vencedores de Oscars, o filme foi laureado com quatro estatuetas douradas.
 
Depois de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, a agenda profissional de Nolan está atrelada ao mundo dos super-heróis da DC. Tudo indica que ele não vai mais dirigir as aventuras do Homem-Morcego, mas foi divulgado que ele escreverá a trama de um reboot do herói, mas ainda não há data de estreia para o projeto.
 
Assista ao trailer Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge:
 

 
Recomendamos para você