Ramiro Fajuri por Ramiro Fajuri Livros 11.02.2021 11.02.2021

Charles Darwin e A Origem das Espécies revolucionaram a ciência com a Teoria da Evolução

Charles Robert Darwin nasceu em Shewsbury, na Inglaterra, em 12 de Fevereiro de 1809. Naturalista, Biólogo e Geólogo, Darwin é famoso por ter escrito a Origem das Espécies, o polêmico livro que abalou o mundo e mudou a visão que a Humanidade tinha de si mesma, apresentando a Teoria da Evolução, que ele elaborou juntamente com outro brilhante cientista, Alfred Wallace.

A Teoria da Evolução mudou praticamente tudo o que a Humanidade acreditava sobre ela mesma, ao afirmar que todos os seres vivos descendiam de um único ancestral primitivo,  e que as espécies que existem atualmente seriam resultado de um longo processo de seleção natural.

A Infância e a adolescência de Darwin

Charles Darwin era o quinto dos seis filhos de Robert, um médico e investidor, e Suzannah Darwin. Era neto por parte de pai do cientista e militante da abolição da escravatura Erasmus Darwin e por parte de mãe, de Josia Wedgwood, que fundou uma das fábricas de porcelana inglesa mais famosas do mundo, a Wedgwood, que existe até hoje.

Darwin demonstrou interesse pela ciência desde cedo, especialmente em história natural, e tentou seguir a carreira de seu pai. Junto de seu irmão, Erasmus,  entrou no curso de medicina da Universidade de Edimburgo, na Escócia, considerado o melhor do Reino Unido na época.

Mas, nauseado com as práticas cirúrgicas da época, Darwin não se animou em seguir carreira como médico. Entretanto, adquiriu gosto e conhecimento pela taxidermia, em aulas que teve com John Edmonstone, um homem negro nascido na Guiana, ex-escravo, que havia se tornado professor universitário, e cujas descrições sobre a as florestas tropicais da América do Sul certamente inspiraram Darwin para a viagem do Beagle.

Foi também em Edimburgo que Darwin se juntou à Sociedade Pliniana, um grupo com ideias consideradas radicais para época, sendo todos democratas livres-pensadores, que tinham entre suas bandeiras que a ciência fosse baseada no estudo de fenômenos físicos, não sobrenaturais.

Sendo um grande médico, o pai de Darwin obviamente não gostou da maneira que o jovem Charles negligenciou o estudo da medicina, e ironicamente, para quem tinha se entusiasmado com os debates dos plinianos, o mandou para o Christs College em Cambridge, para que se tornasse um clérigo. Foi em Cambridge que Darwin se encantou com várias obras teológicas que falavam sobre o design divino, e também estudou Geologia.

A Viagem no Beagle

O HMS Beagle partiu da Inglaterra em 24 de outubro de 1831, e foi como geólogo que Charles Darwin embarcou na viagem de 5 anos que deveria catalogar as costas da África, Oceania e América do Sul, inclusive o Brasil. O diário dessa viagem serviu de base para suas conclusões, que publicaria 28 anos depois, A Origem das Espécies.

Na sua passagem pelo Brasil, Darwin se encantou com a beleza natural e a diversidade de espécies, mas a se chocou com a escravidão.

A Teoria da Evolução

Darwin não embarcou para buscar dados que comprovassem a evolução, porque ele não era a entusiasta dessa teoria na época, apesar de conhecer o trabalho do Francês Jean Baptiste Lamarck e sua Lei do uso e desuso.

Na viagem, Darwin estudou animais vivos e coletou fosseis, percebendo que alguns animais que não existiam mais tinham muitas semelhanças com os atuais. E estudando tartarugas de diferentes ilhas do arquipélago das Galápagos, percebeu que cada ilha tinha tartarugas que se diferenciavam entre si no formato de seus cascos e pescoços, indicando que elas poderiam ser ramos evolutivos diferentes de um ancestral comum.

Seleção Natural

A Teoria da Seleção Natural afirmava que as espécies iam se modificando lentamente ao longo do tempo, e que se essas modificações as tornassem mais aptas a viver em um determinado ambiente, elas sobreviveriam. Mas se o contrário ocorresse, e uma mutação as tornasse menos aptas à sobrevivência, elas seriam extintas.

Alfred Wallace e Darwin

Darwin sabia que uma teoria como a sua causaria polêmica, por isso trabalhou mais de 20 anos de maneira discreta antes de lançá-la. Mas ao receber em 1858 um ensaio científico do naturalista Alfred Wallace com uma teoria idêntica à sua, resultado de um trabalho paralelo, Darwin propôs a ele uma publicação em conjunto, que Wallace aceitou.

On the Tendency of Species to form Varieties; and on the Perpetuation of Varieties and Species by Natural Means of Selection – Sobre a tendência das espécies de formar variedades; e sobre a perpetuação das variedades e espécies através de meios naturais de seleção foi o título da apresentação dos dois artigos científicos, de Darwin e Wallace, à Sociedade Linneana de Londres, em 1 de Julho de 1858.

Estava lançada a teoria científica que faria a Humanidade enxergar a si mesma de outra maneira. Mas apesar de Alfred Wallace ter também muito mérito científico, ele é praticamente desconhecido do grande público, porque foi Darwin que tornou a Teoria da Evolução mundialmente conhecida, ao publicar A Origem das Espécies.

A Origem das Espécies

A Origem das Espécies foi publicado pela primeira vez em 24 de novembro de 1859.

Como se pode imaginar, se até hoje, mais de 160 anos depois, apesar de ser a teoria aceita como válida para explicar como as espécies surgiram e se desenvolveram, e porque algumas desapareceram, ainda se tenta polemizar sobre ela, quando foi apresentada ela causou um escândalo.

Embora a ideia da evolução não fosse totalmente estranha aos cientistas, que já tinham tido contato com a ideia, o que era considerado como válido no meio científico era que as espécies não somente não sofriam mutações, como eram produtos de um design inteligente, ou Divino.

Darwin foi um cientista Pop, mas não exatamente popular

Charles Darwin se tornou famoso, inclusive muito mais famoso que Alfred Wallace, que apresentou a Teoria da Evolução em parceria com ele, porque A Origem das Espécies era um livro ao alcance do leitor comum. E se por um lado isso ajudou a disseminar a informação, pelo outro colocou Darwin no centro de uma enorme polêmica, e divulgou muita informação distorcida, pela qual Darwin foi muito atacado. Mas também, defendido.

As Polêmicas em torno de Darwin

Darwin jamais foi submetido a um julgamento propriamente dito, mas a polêmica envolvendo cientistas e teólogos, que na época estudavam a natureza e buscavam as provas da existência de Deus na beleza da natureza, o colocaram literalmente na berlinda, no meio de uma polarização entre religião e ciência.

Cientistas influentes na época, como os geólogos Adam Sedgewick e o John Heslow, que haviam sido tutores de Darwin, e eram ligados à Igreja Anglicana, rechaçaram completamente a Teoria da Evolução. Mas clérigos liberais dessa mesma igreja, como Charles Kingsley, a defenderam como apenas como um conceito nobre da concepção da Deidade. Para eles, a Teoria da Evolução não se opunha à existência de Deus.

A mais famosa confrontação entre os opositores e defensores de Darwin e da Teoria da Evolução ocorreu durante um encontro da Associação Britânica Para o Avanço da Ciência em 1860, que ficou conhecida como O Debate Evolutivo em Oxford.

 

Nesse célebre debate, que se assemelhou a um julgamento, dada a paixão com que cada lado defendia seu ponto de vista, o bispo de Oxford, Samuel Wilberforce, um dos maiores oradores de sua época, não se opôs diretamente à ideia de que as espécies poderiam se transmutar em outras, mas refutava que a espécie humana pudesse descender de primatas.

Darwin foi defendido nesse debate por cientistas como Joseph Hooker e Thomas Huxley, que defendeu as ideias de Darwin das habilidades argumentativas de Wilberforce com a seguinte frase: Prefiro ser descendente de um primata que de um homem que usa eloquência para destruir a verdade.

Ideias erradas a respeito de Charles Darwin e da Teoria da Evolução

Passados mais de 160 anos do lançamento de A Origem das Espécies, A Teoria da Evolução de Darwin continua a sendo considerada válida e correta para explicar de onde vieram todas as formas de vida existentes atualmente no Planeta Terra, inclusive a raça humana. Mas apesar disso, muitas interpretações equivocadas a respeito da evolução ainda continuam sendo repetidas, sendo as mais famosas.

O Homem descende do Macaco

Darwin jamais disse isso.  O que ele afirmou é que todos os primatas, incluindo o Homem, têm um ancestral comum.

O mais forte sobrevive

Essa frase jamais foi dita por Charles Darwin. A frase original em Inglês é Survival of the fittest, sobrevivência do mais adaptado, o que não quer dizer necessariamente força, mas uma maior possibilidade de uma espécie se reproduzir e se alimentar em um determinado ambiente.

Charles Darwin e a religião

A Teoria da Evolução acabou sendo discutida também do ponto de vista teológico, mas nunca foi o objetivo de Darwin fazer uma discussão religiosa. Estudiosos de sua vida afirmam que ele sempre se afastou de pessoas que tentaram fazer de suas ideias uma bandeira de confronto com a Igreja Anglicana.

Ele entendia que a maneira que cada pessoa deveria lidar com a fé e a ciência era uma reflexão individual e íntima de cada pessoa, e não pretendia interferir com a decisão de outras pessoas em relação a isso.

O legado de Charles Darwin para a Ciência

Mesmo não sendo um livro para cientistas, seu conteúdo é acessível a qualquer pessoa, A Origem das Espécies continua sendo o livro sobre ciência mais influente de todos os tempos, e vale a pena ser lido e relido, sendo o grande legado de Darwin para a ciência e a Humanidade.

Recomendamos para você