Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 05.11.2010 05.11.2010

Centenário de Rachel de Queiroz

     
       Por Felipe Pontes
       Foto de Edu Simões e fác-simile do Arquivo Rachel de Queiroz/Instituto Moreira Salles

 

Uma menina vestida com a camisolafina a imprimir na alma o disco argêntio do plenilúnio observado da janela nooitão branco, batido do luar, da velha casa da fazenda. A imagem não éinventada por outro. Primeira mulher a ser eleita para a AcademiaBrasileira de Letras, foi assim que Rachel de Queiroz descreveu sua primeira””intoxicação poética””, no discurso de posse da cadeira númerocinco em 1977. Ainda em Quixadá (CE), onde passou a maior parte da juventude, a adolescente se afogava nos versos parnasianos do maranhense Raimundo Correia (um dos fundadores da ABL). 

Nascida em 17 de novembro de 1910 emuma família bastante apegada à leitura, sabemos agora, à beira do centenário deseu nascimento, que a Rachel de Queiroz imortalizada pela prosa dos romances e das extraordinárias crônicas publicadas na revista O Cruzeiro – e em mais uma dezenas de veículos – na verdade começou sua produção literária em verso. Guardião de seu acervo, commais de 5 mil itens, o Instituto Moreira Salles prepara a publicação de dezpoemas inéditos da escritora, produzidos em meados de 1928, ainda antes da estréiade O quinze (1930), e reunidos agorano volume Mandacaru.

Já liberta da idade dos sonhos, asegunda paixão poética da jovem Rachel, ela mesmo declarava, foi ManuelBandeira, o que dá uma pista do que encontramos em Mandacaru. Os poemas não são avulsos, foram concebidos em conjunto, e “Rachel escreveu oprefácio endereçado aos modernistasdo Sudeste”, revela Elvia Bezerra, responsável pelo estudo e edição feitos apartir dos manuscritos encontrados no Acervo Técnico do IMS. A escritoracearense anunciava seu neófito esforço literário como um “balbucio do Nordeste”em contribuição, mesmo que tardiamente, ao projeto de Brasil dos modernistas. Portanto,nada de arrebatamentos juvenis ou anseios de moça. “Apesar do ambiente simbolistaque permeava o Ceará da época, ela já estava em busca de seu estilo enxutonatural e delineava ali os temas que viria a desenvolver em O quinze, como a seca e o êxodo”, explicaBezerra. Segundo a pesquisadora, reside aí o valor documental que justifica apublicação da obra, renegada por Rachel de Queiroz em vida.

Mandacaru será lançado em 17 de novembro, na sede do Rio de Janeirodo IMS. O volume trará os fac-símiles dos poemas e também do primeiro texto publicado por Rachel de Queiroz na imprensa brasileira, no caso, nojornal O Ceará.

No mesmo dia, às16h, será exibido o filme O cangaceiro, de 1954,dirigido por Lima Barreto, com diálogos de Rachel de Queiroz; às19h, a ensaísta e professora Heloisa Buarque de Hollanda realizará uma conferência sobre a obra da autora; às 20h,será aberta a exposição Rachel de Queiroz centenária.

Por último, na terça-feira, dia 23 de novembro, será realizada, às 20h, aleitura da peça A beata Maria do Egito, escrita por Rachel de Queiroz em 1958, com direção de Aderbal Freire-Filho.

Livros Infantis

Versátil, Rachel de Queiroz escreveu, além dos romances e crônicas, contos, peças de teatro,críticas literárias e três livros infantis, publicados  pelo selo Caramelo, da Editora Saraiva: O menino mágico, vencedor do Prêmio Jabuti deLiteratura Infantil em 1969, Andira e Cafute & Pena-de-prata.

Paracomemorar o centenário de nascimento da autora, que morreu em 2003, a Editora Saraiva, através doselo Caramelo, preparou o hotsite dedicadoa Rachel de Queiroz no qual os leitores poderão concorrera kits da Coleção Rachel de Queiroz para Crianças. Basta reponder à pergunta: “Emsua opinião, qual a lição de vida mais bonita encontrada nos títulos infantisda autora?” Serão selecionadas, no mês, as 12 respostas mais criativas,três por semana.  

Alémdisso, os livros estarão em exposição na Mostra “Rachel de Queiroz –atravessando o século”, promovida pela Academia Brasileira de Letras, noRio de Janeiro, aberta ao público de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h,no Centro Cultural da ABL. 

Nomesmo período, a EditoraSaraiva promoverá contaçõesde histórias dos livros infantis de Rachel de Queiroz nas Livrarias Saraiva,Cultura e da Vila, em diversas cidades do País.

 

Recomendamos para você