Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 05.04.2013 05.04.2013

Cecelia Ahren, a autora de ‘PS, Eu te Amo’, fala sobre suas personagens fortes e corajosas

Por Laíssa Barros
 
Você provavelmente já deve ter lido, visto ou ouvido falar da história de PS, Eu te Amo. Holly, jovem viúva, descobre que seu marido Gerry deixou um pacote de cartas como guia para sua nova vida sem ele. Com a ajuda das cartas, Holly consegue superar a perda do grande amor da sua vida e seguir em frente.

Essa história, escrita pela autora irlandesa Cecelia Ahren quando ela tinha apenas 21 anos, foi seu primeiro livro e best-seller mundial. Agora com 31 anos e mais nove publicações, Cecelia Ahren confirma sua habilidade como escritora de assuntos que envolvem o emocional feminino, problemas e questões desse universo, superações das mais várias formas e mulheres fortes e corajosas, que sempre dão a volta por cima.

Sem fazer com que esses temas virem textos chatos e previsíveis, ela conquista seus leitores com histórias que, mesmo difíceis, sempre flertam com o bom humor e pensamentos positivos. Leia a entrevista com a autora, que comenta sobre as características de suas personagens, suas inspirações e sobre A Vez da Minha Vida (Novo Conceito), livro de Ahren recém-lançado no Brasil.

 
Suas personagens sempre são mulheres que, mesmo passando por momentos frágeis, são fortes. Por que você busca passar esses sentimentos através do que escreve?
Cecelia Ahren. Sou fascinada pelo espírito humano. Eu acho que a vida é uma jornada que vai em frente e que, às vezes, vai bem e, outras vezes, joga experiências ruins para nós; e é geralmente durante esses tempos difíceis que aprendemos mais sobre nós mesmos e ganhamos forças. No entanto, em romances recentes, eu mudei a forma como minhas personagens foram afetadas. Na maioria dos meus romances, algo acontece para com as minhas personagens que normalmente está além de seu controle – por exemplo, o marido de Holly morre em PS, Eu te Amo. Em romances recentes, estou gostando de criar personagens que foram a causa de sua própria confusão. Isso adiciona um aspecto interessante às histórias, porque as personagens estão sofrendo com a culpa e terão que aceitar a responsabilidade disso. Eu estou gostando da forma como elas lidam com isso.

Problemas emocionais, perdas, vidas problemáticas, relacionamentos complicados… Por que você gosta de explorar temas envolvendo a fragilidade humana?

Cecelia Ahren. As pessoas dizem que você deve escrever o que sabe, e escrever sobre as emoções é o que eu sei. Eu amo filmes de suspense, mas nunca imaginaria ser capaz de escrever um livro sobre isso. Eu não teria a capacidade de escrever um drama de época – esse tipo de pesquisa não me interessa. Então eu sou atraída a escrever sobre o espírito humano, sobre como nos sentimos e por que fazemos o que fazemos.
 
Como é escrever para mulheres e falar sobre as questões com que elas lidam e aquilo que querem? Você sente algum compromisso ou responsabilidade por escrever sobre e para mulheres?
Cecelia Ahren. Eu não penso sobre isso em quaisquer termos mais amplos do que me concentrar em ser fiel à história. Muitos dos meus romances têm um forte sentido moral, embora eu acredite que o bem conquista o mal. Quando minhas personagens tornam-se autossuficientes e moralmente conscientes, então é chegada a hora de elas encontrem a felicidade, e é assim que eu acho que é a vida.
 
Você gosta dos finais felizes e de superação ou novas boas possibilidades. Você acredita que isso acaba trazendo uma mensagem positiva para quem lê os seus livros?
Cecelia Ahren. Eu gosto de finais positivos, mas não gosto de finais felizes convencionais. Eu não quero que no fim dos meus romances, a mulher seja levada para o por do sol pelo seu príncipe encantado, porque a vida não é assim e essas não são as histórias que eu escrevo. Eu acho que um final feliz é quando minha personagem atinge um lugar onde se sente feliz, positiva e otimista em relação ao futuro; quando supera seus dramas pessoais e traumas, ela está pronta para abraçar o que está por vir amanhã. Esse é um final feliz para mim!
 
A Vez da Minha Vida é seu livro mais recente publicado em português. O que você tem a dizer sobre ele e por que os brasileiros deveriam lê-lo?
Cecelia Ahren. A Vez da Minha Vida foi o primeiro livro que escrevi depois de ter um filho. Depois que tive uma criança, eu acredito que foi quando comecei a viver corretamente pela primeira vez. Meus olhos se abriram, e em vez de me concentrar no trabalho o tempo todo, eu comecei a viver, comecei a curtir minha vida de maneiras diferentes. Portanto, esse romance é sobre uma personagem, Lucy, que de repente dá de cara com a vida. A vida tomou a forma de uma pessoa, e eles devem se encontrar um com o outro e ter uma conversa sobre onde Lucy deu errado e como eles irão consertá-la. Ela sai em uma jornada de autodescoberta e tem que enfrentar todos os erros que cometeu até que a “vida” fique feliz – ele não vai deixá-la sozinha. Eu amo essa novela e espero que os leitores brasileiros gostem. Eu acho que em vários pontos da nossa vida, todos nós nos ignoramos e nos concentramos em outras coisas. Nós tendemos a nos colocar por último, mas se a nossa vida tivesse algo a dizer sobre isso, teríamos alguns ajustes a fazer.

Capas de títulos da autora
 
 
Recomendamos para você