Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 25.10.2012 25.10.2012

Bond, todos os James Bonds

Por Thaís Ferreira
 
O mais famoso espião da coroa britânica completou, em 2012, 50 anos nas telonas. As aventuras de 007, baseadas nos livros do londrino Ian Fleming, estrearam no cinema com O Satânico Dr. No, dirigido por Terence Young. Dessa época até os dias de hoje, os lançamentos são frequentes; e próxima estreia já tem data marcada no Brasil: dia 26 de outubro.
007 – Operação Skyfall, o 23º do personagem, terá todos os elementos que fizeram da franquia uma das mais bem-sucedidas da história do cinema.
 
Primeiramente, uma bela Bond Girl, que será interpretada pela atriz francesa Bérénice Marlohe; em segundo lugar, um vilão com um plano bem arquitetado, vivido pelo vencedor do Oscar Javier Bardem.
Acrescente a isso algumas locações exóticas (o longa foi filmado em Istambul, Xangai e na Escócia) e uma trilha sonora cantada por uma grande artista do momento – nada representa tão bem a música britânica atual quanto Adele. Para finalizar, grandes sequências de perseguição que mostram as habilidades do agente secreto inglês.
Daniel Craig vai para seu terceiro filme como James Bond e foi apontado pelo ator Roger Moore, veterano do papel, como o melhor 007 de todos os tempos. Já Pierce Brosnan, antecessor de Daniel, declarou nunca ter assistido ao 007 de Craig. Competições à parte, os seis intérpretes, cada um à sua maneira, deixaram sua marca interpretando o espião.
 
Sean Connery – O primeiro
 
Sean Connery considerado o eterno 007
 
O ator escocês era desconhecido do público até interpretar o agente na década de 1960. O sucesso da produção alavancou a carreira de Connery, que se tornou um dos símbolos da “bondmania” do período. Ele participou de seis títulos da série: O Satânico Dr. No (1962), Moscou Contra 007 (1963), 007 Contra Goldfinger (1964), 007 Contra a Chantagem Atômica (1965), Com 007 Só Se Vive Duas Vezes (1967) e, após uma pausa, 007 –Os Diamantes São Eternos (1971).
“Connery indicou o caminho a ser seguido. Seu Bond foi implacável, charmoso e cheio de classe. É o que esperamos ver de cada ator que herda o terno. Seus filmes e suas atuações maduras, com destaque para 007 contra Goldfinger, fazem dele o alicerce forte da franquia e a regra de postura de James Bond em diversas situações”, explica Fábio Sanches Carmona, administrador geral da Comunidade 007 Brasil.
Outra vantagem para os longas produzidos naquele período foi sua contextualização: as ameaças das guerras e o clima de espionagem, principalmente em função da Guerra Fria, tema recorrente nas aventuras do personagem.
 
George Lazenby– O esquecido
 
George Lazenby interpretou o personagem apenas uma vez
 
É possível definir o ator como o australiano que foi James Bond por apenas um filme. Antes da carreira no cinema, ele era vendedor de carros e modelo. Após alguns testes – e sem nunca ter atuado antes –, foi escolhido para ser o novo protagonista em 007 – A Serviço Secreto de Sua Majestade (1969). A película foi alvo de críticas, assim como o novo intérprete do agente secreto.
 
“De sua atuação, leva-se um Bond muito mais humano, falho e crível. Extremamente sentimental, o Bond de Lazenby emociona em várias cenas, em especial a que trata da morte de sua esposa. Ele mostrou ao mundo a face que Fleming idealizou: brutal e falível”, pondera Carmona.
Mesmo com o insucesso, o ator provou que era possível promover mudanças. Depois de sua única participação no papel, ele foi substituído por Sean Connery, que foi chamado para interpretar o personagem uma última vez.
 
Roger Moore – O engraçado
 
O Bond divertido de Roger Moore
 
“Diferente dos anteriores, Moore investiu no humor para levar seu 007 adiante. O tom mais leve de suas atuações tornou James Bond o mocinho clássico dos filmes de aventura, um verdadeiro Superman, que podia e fazia tudo sem desmanchar o topete”, analisa o administrador da Comunidade 007 Brasil.
 
O ator já era conhecido do publico inglês por interpretar Simon Templar na série The Saint, durante a década de 1960. Suas mudanças no personagem o tornaram ainda mais popular, mas sem que houvesse profundas alterações nas características de Bond.
 
Timothy Dalton – O sério
 
Timothy Dalton em cena
 
Atuou como agente em dois filmes: 007 Marcado para Morrer e 007 – Licença Para Matar, durante o final da década de 1980. Nascido no país de Gales, ele foi um grande ator do teatro britânico antes de assumir o papel de Bond. Além disso, já havia atuado em grandes produções, entre elas o longa O Leão no Inverno, ganhador de três prêmios Oscar.
 
Carmona define o Bond de Dalton com uma palavra: “Seriedade. Um agente que pouco sorri e que está sempre empenhado em realizar sua missão. O ator se espelhou nas linhas escritas por Fleming para criar um espião letal e altamente eficiente”.
Em consideração aos anteriores, ele foi o que mais se inspirou nos livros da série para criar o personagem. Os filmes também adaptaram-se às novas gerações, privilegiando as cenas de ação e espionagem.
 
Pierce Brosnan – O charmoso
 
Brosnan, o mais charmoso entre os Bonds
 
Nascido na Irlanda, ele também começou sua carreira no teatro e tornou-se popular, tanto na Grã-Bretanha como nos Estados Unidos, por protagonizar a série de televisão Remington Steel. Em 1995, interpretou pela primeira vez o espião com licença para matar em 007 Contra GoldenEye e seguiu em mais três produções: 007 – O Amanhã Nunca Morre, 007 – O Mundo Não é o Bastante e 007 – Um novo dia para morrer.
 
“O Bond da minha geração uniu todos os atributos dos demais intérpretes e adicionou uma pitada de charme. Suas atuações sempre firmes e consistentes reacenderam o interesse pela franquia, que passou por suas melhores épocas. A junção de frieza, carisma, requinte e aquele toque de super-herói fizeram de Brosnan um Bond difícil de ser esquecido e substituído”, afirma o fã.
 
Daniel Craig – O bruto
 
Daniel Craig será o personagem em mais dois filmes da série
 
Na opinião de Carmona: “Um Bond controverso, que se opõe aos modelos criados anteriormente, vem mais uma vez para eliminar o protótipo e atualizar uma série que demonstrava os sinais do tempo. Com um 007 humano e falível, Craig mostra o espião em início de carreira, matando a esmo, improvisando”.
 
O primeiro 007 loiro é inglês, estudou teatro e fez sucesso no cinema. Antes de fazer o papel do agente, atuou em Lara Croft: Tomb Raider e Munique. Mesmo sendo o atual rosto de James Bond, ele continua a fazer parte de outras produções, como Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres e A Bússola de Ouro.
Apesar das críticas em relação à sua interpretação do espião, ele foi indicado ao BAFTA Award por seu primeiro filme da franquia: 007 – Cassino Royale. Seguiu no papel em 007 – Quantum of Solace e, agora, em 007 – Operação Skyfall. Craig já foi anunciado como Bond nas próximas duas produções da série.
 
Também é fã da série? Participe do CON007!
 
O Evento oficial de 007 no país chega à sua 4º edição no próximo dia 27 de outubro, em São Paulo. Em comemoração aos 50 anos da franquia de James Bond nas telonas, a Comunidade 007 Brasil apresenta esse encontro, que acontece na semana de lançamento do filme 007 –Operação Skyfall.
 
Nesta edição do evento, haverá a exibição e discussão do box de filmes em Blu-ray Bond 50, o anúncio oficial do livro Hurricane Gold no Brasil e debates sobre tudo o que envolve o mundo de James Bond.
 
Teste seus conhecimentos sobre a história do agente mais famoso do cinema e concorra a brindes exclusivos.
 
Encontro de Fãs 50 anos de James Bond no cinema, com Comunidade 007 Brasil
Onde:
Saraiva MegaStore MorumbiShopping – Av. Roque Petroni Jr, 1089 – Morumbi– SP
Quando: 27/10 às 18h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Recomendamos para você