Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo HQ 07.06.2013 07.06.2013

Biografias em HQ: vida em quadrinhos

Por Thaís Ferreira
 
Nas prateleiras reservadas às histórias em quadrinhos, está cada vez mais comum encontrar protagonistas inusitados. Em meio aos super-heróis de ação e aos mangás, estão a cantora Amy Winehouse, o ex-presidente Lula e o pai da psicanálise, Freud.
Esses e muitos outros personagens tiveram suas vidas transformadas em desenhos e transportadas para o universo das HQs. As obras reúnem dois formatos que se tornaram complementares: o grande potencial narrativo dos quadrinhos e a história de pessoas populares. Essa união tem criado cada vez mais títulos, aumentando o interesse dos fãs pelo estilo.
Para o escritor e autor da HQ Lula – Luiz Inácio brasileiro da Silva, Toni Rodrigues, a explicação está na forma como o conteúdo é transmitido: “Muitas biografias, por mais interessante que seja o biografado, acabam se tornando um tanto quanto arrastadas, e os quadrinhos as colocam em movimento”.
TÚNEL DO TEMPO
Não é de agora que as biografias começaram a aparecer nas tirinhas. Durante as décadas de 1950 e 1960, a extinta Editora Brasil-América, também conhecida como Ebal, publicou várias obras desse gênero.
A empresa já tinha sucesso nas vendas dos títulos de grandes heróis, como Batman e Superman, quando começou a publicar uma série de histórias de vida em quadrinhos dividida nas categorias: estadistas, descobridores, cientistas e libertadores.
Entre os protagonistas escolhidos estavam grandes figuras do passado, entre elas: Abraham Lincoln, Américo Vespúcio, Albert Einstein e Simón Bolívar.
 
Biografia em HQ de Simón Bolívar, publicada em setembro de 1959
Edição da Ebal sobre a vida de Abraham Lincoln

ENTRE A FICÇÃO E A REALIDADE

Essa primeira incursão das biografias no mundo das HQs tinha características particulares – elas eram voltadas principalmente para o público infantojuvenil, tinham um caráter pedagógico e se preocupavam em transmitir um discurso próximo da realidade.
As atuais edições do gênero não reproduzem os mesmos aspectos. Grande parte é escrita para o público adulto e tem um conteúdo mais denso. A obra Amy Winehouse, da Editora Conrad, por exemplo, conta trajetória da cantora, incluindo o divórcio dos pais, o vício em drogas e o alcoolismo.
A preocupação com os fatos também deixou de ser primordial; uma mesma narrativa pode misturar ficção e realidade. É o caso de Castro, escrita por Reinhard Kleist, da Editora 8inverso, em que personagens imaginários se misturam com os históricos. No enredo, um jornalista fictício conta a história do líder cubano Fidel Castro, através de sua perspectiva.
Segundo Rodrigues, a criação da biografia em HQ se aproxima de uma concepção cinematográfica: “Escrever para quadrinhos exige que você entenda a linguagem das HQS. Você tem que escrever sabendo que em algum ponto uma imagem vai completar o sentido daquele texto. Não pode escrever como prosa. Tem que escrever como quem escreve um roteiro de cinema. O diretor, nesse caso o desenhista, vai escolher o angulo de câmera e a iluminação, mas você tem que determinar a ação. Por conta desse dinamismo, os quadrinhos têm se prestado mais e mais a biografias”.
PARA CONHECER MELHOR
Além de Amy Winehouse, Lula e Fidel Castro, o pai da psicanálise também foi quadrinizado na obra Freud – Biografia Em Quadrinhos, da Companhia das Letras, escrita pelas francesas Corinne Maier e Anne Simon. Nas 56 páginas, são narrados fatos que vão da infância em Viena aos experimentos com a psique humana.
Para os fãs de música, as opções são variadas e fartas. A Editora Vergara & Riba lançou a coleção Figuras do Rock em Quadrinhos, que já conta com quatro volumes: Michael Jackson: Um Thriller em Preto e Branco, Jim Morrison – O Rei Lagarto, Bob Marley – O Guerreiro Rasta e John Lennon: Um tiro na Porta de Casa.
 
Capa da biografia gráfica da vida do rei do rock

Do mesmo autor de Castro, vieram mais dois títulos: o rei do rock e o homem de preto se transformaram em personagens de HQ em Elvis – A Biografia Ilustrada e Johnny Cash – Uma Biografia, ambas da Editora 8inverso.

Os meninos mais famosos de Liverpool tiveram sua trajetória contada na obra O Pequeno Livro dos Beatles, da Editora Conrad, que aborda a formação, o auge e a separação da banda.
 
VEM POR AÍ
Entre os próximos lançamentos das biografias gráficas estão edições da coleção Clube dos 27, que teve como primeiro número a história da cantora Amy Winehouse. Os próximos protagonistas, todos mortos aos 27 anos, são Jimi Hendrix, Janis Joplin e Kurt Cobain.
Entre os personagens brasileiros, está prevista para sair este mês A Morte e a morte de Frei Caneca, da Editora Livrinho de Papel Finíssimo. O autor Toni Rodrigues está trabalhando na HQ da vida de Getúlio Vargas, ainda sem data de lançamento.
E você, qual figura célebre gostaria de ver nas páginas dos quadrinhos?
 
Vida da cantora Amy Winehouse contada em HQ
 
Recomendamos para você