Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 21.11.2011 21.11.2011

Biografias contam histórias de sucesso de grandes gênios

Por André Bernado
Na foto, Paul McCartney
O que o inventor americano Steve Jobs, o cantor britânico Paul McCartney, o tenista espanhol Rafael Nadal, o empresário paulista Boni e o cineasta baiano Glauber Rocha têm em comum? A genialidade. Cada um deles, em sua respectiva área de atuação, foi simplesmente genial no que se propôs a fazer. E o melhor: cada um deles ganhou (ou vai ganhar, no caso de Boni) uma merecida biografia, contando, em detalhes, sua vida e obra.
 
O cofundador da Apple, que morreu no dia 5 de outubro, aos 56 anos, de câncer no pâncreas, ganhou uma dezena delas. Mas só a assinada por Walter Isaacson, ex-diretor da CNN e ex-editor da revista Time, foi autorizada pelo inventor do iPhone e iPad.
Para contar a história do homem que revolucionou a tecnologia, Isaacson realizou mais de 150 entrevistas. Ao longo dos últimos dois anos, conversou com parentes, amigos, ex-namoradas, funcionários, concorrentes e até desafetos de Steve Jobs. Com o próprio biografado, contabilizou mais de 50 entrevistas; a última delas em agosto deste ano, quando Jobs, debilitado pela doença, mal conseguiu se levantar da cama.
 
Desde o início, biógrafo e biografado concordaram que o segundo não leria uma linha sequer do que o primeiro escreveu até que o livro chegasse às livrarias, o que aconteceu em 24 de outubro, em 18 países.  
Steve Jobs não é a primeira biografia escrita por Walter Isaacson. Antes dela, lançou Albert Einstein – Sua Vida, Seu Universo e Benjamin Franklin. “Escolho os meus biografados por suas histórias de vida. Quanto mais criativas e inovadoras, melhor. No caso de Steve Jobs, por exemplo, acredito que ele será lembrado pelas próximas gerações como o homem que soube, melhor do que qualquer outro, conciliar criatividade e tecnologia”, explica Isaacson.
 
Steve Jobs
 
Na opinião de Howard Sounes, autor de Fab – A Intimidade de Paul McCartney, biografias costumam fazer sucesso porque “a vida dos grandes homens é sempre fascinante e inspiradora”.
Mentes que criam
Mas o que Sounes, que já escreveu Charles Bukowski – Vida e Loucuras de Um Velho Safado e Dylan – A Biografia, teria de novo a acrescentar nas já tão manjadas vida e obra de Paul McCartney? Muito, promete ele.
 
Segundo Sounes, há muitas histórias inéditas no livro. A começar por aquelas relacionadas ao casamento do ex-Beatle com a modelo e ativista social Heather Mills. “A minha opinião tende a ser diferente da opinião da maioria dos biógrafos de Paul McCartney. No livro, falo dos Beatles, sim. Mas falo também da fase pós-Beatles, que nunca mereceu a devida atenção. Se gosto de alguma coisa, digo. Se não gosto, não jogo a sujeira para debaixo do tapete”, garante.
Além da tecnologia e da música, os mais recentes lançamentos do gênero englobam também o esporte e o cinema. No primeiro deles, o jornalista John Carlin, autor de Invictus – Conquistando o Inimigo, lança agora Rafa, sobre o tenista espanhol Rafael Nadal.
 
Rafael Nadal
 
No livro, Carlin conta que, em 2005, Nadal chegou a pensar em largar o tênis e se dedicar ao golfe. Na época, os médicos diagnosticaram uma má formação óssea no pé direito do atleta. Nadal fala também de dois de seus maiores adversários: o suíço Roger Federer, a quem descreve como “uma abençoada aberração da natureza”, e o sérvio Novak Djokovic, “um oponente temperamental, mas extremamente talentoso”.
No segundo, A Primavera do Dragão – A Juventude de Glauber Rocha, o jornalista Nelson Motta disseca os primeiros anos de formação do diretor de Deus e o Diabo na Terra do Sol, Terra em Transe e O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro.
 
Autor de Vale Tudo – Tim Maia, Nelson Motta já pensava em escrever uma biografia sobre Glauber Rocha desde 1989, mas, na ocasião, interrompeu a pesquisa quando soube que Zuenir Ventura preparava um livro sobre o cineasta. Recentemente, Nelson retomou o projeto assim que Zuenir abriu mão dele. O motivo? O carro do jornalista, com toda a pesquisa do livro guardada no porta-malas, havia sido roubado.
Os próximos capítulos
Em O Livro do Boni, o ex-superintendente de produção e programação da TV Globo conta histórias divertidas e curiosas de alguns dos muitos amigos que fez ao longo da carreira, como o apresentador Chacrinha, o humorista Chico Anysio e a novelista Janete Clair. “Há muito tempo, o Ricardo Amaral me incentiva a escrever a minha biografia. Vou escrever as minhas próprias mentiras antes que os outros mintam sobre mim”, graceja o executivo que trabalhou na TV Globo por 30 anos, de 1967 a 1997.
 
Boni
No Brasil, um dos mais famosos autores de biografia é o jornalista Ruy Castro. Entre outras, já lançou O Anjo Pornográfico, Estrela Solitária e Carmen: Uma Biografia. “Uma biografia exige paixão pelo personagem e condições de trabalho. Há muito, não tenho pensado em ninguém capaz de me animar a enfrentar essa chatice de herdeiros oportunistas”, lamenta.
 
Das biografias que escreveu, elege a da Pequena Notável a mais difícil e trabalhosa. “Tive que ir atrás de pessoas que, na época em que trabalhei neste livro, de 2000 a 2005, já tinham mais de 80 anos. Por sorte, ainda consegui achar dezenas delas. Em matéria de biografia, não consigo fazer melhor”, orgulha-se.
 
 
 
Recomendamos para você