Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 18.01.2013 18.01.2013

“Apesar da tecnologia, ainda é apenas um animador fazendo bonecos”, diz produtora de ‘Frankenweenie’ sobre animações

Por Andréia Silva
Allison Abbate tem um dos empregos mais cobiçados do mundo, e ela sabe disso. A produtora de animações como O Gigante de Ferro, Noiva Cadáver, entre outros filmes, recentemente levou aos cinemas Frankenweenie, fruto de mais uma parceria com o diretor Tim Burton.
Desde o início da carreira, Abbate sempre foi atraída por animações frente às produções convencionais. "A sensação é de que, ao contrário dos filmes convencionais, estamos realmente criando, dando vida às coisas, o que é extremamente gratificante”, disse ela em entrevista por telefone ao SaraivaConteúdo.
A produtora é enfática ao dizer que, embora a equipe esteja rodeada pelas facilidades tecnológicas, todo o processo de produzir uma animação ainda é muito artesanal. “No final, [fazer uma animação] ainda é sobre uma pessoa fazendo bonecos. A tecnologia apenas facilita o trabalho”.
Em Frankenweenie, além de repetir a parceria com Burton, que ela considera “um gênio”, Abbate diz que conseguiu explorar novos elementos no stop motion. “Criamos mecanismos nas cabeças dos personagens para que eles parecessem realmente vivos. E funcionou muito bem”, diz.
Indicado ao Oscar de melhor animação, o longa é inspirado em um curta do próprio Burton, lançado em 1984. A história é sobre Victor, um garoto que adora fazer filmes caseiros de terror, quase sempre estrelados por seu cachorro Sparky. Quando o cão morre atropelado, Victor fica triste e inconformado. Inspirado por uma aula de ciências que teve na escola, ele constrói uma máquina para trazer o cão de volta. O experimento dá certo, mas Sparky retorna com um comportamento diferente.
 
Victor, protagonista de Frankenweenie e seu cão Sparky
 
Foi justamente o cachorro um dos detalhes mais trabalhosos do filme. “Com um cão como personagem principal, tivemos uma escala de problemas enormes para resolver, detalhes físicos, por exemplo, para que ele fizesse tudo o que deveria fazer”, diz ela, que revela ainda que, embora seja um trabalho em 3D, ele não foi filmado assim do início, apenas na finalização. Uma opção pessoal de Burton.
Mesmo tendo trabalhado antes com o diretor nas produções O Estranho Mundo de Jack, O Fantástico Sr. Raposo e Noiva Cadáver, Abbate conta que o tom autobiográfico tornou a produção de Frankenweenie mais especial.
"Victor e Tim são parecidos em vários aspectos, então é um filme sobre o Tim. Para reproduzir as locações, fizemos com que ficassem parecidas com os locais reais, como onde ele perdeu de fato o seu cachorro quando era menor", conta a produtora. "Gosto muito de trabalhar com Tim. Ele é um gênio, tem uma visão interessante das coisas, além de ser generoso e aberto ao que a equipe faz".
Seu próximo passo é produzir a animação Pinóquio, de Guillermo del Toro. Um projeto grande, mas que ela diz que está “ainda no começo”. Além disso, Abbate trabalha em um filme de stop motion com Lego para a Warner e já pensa no próximo longa com Burton. “Ele tem muitas ideias”, diz.
No dia 6 de fevereiro, chega às lojas a versão em Blu-ray de Frankenweenie, com extras como o filme que deu origem à animação e um curta onde Abbate faz um tour guiado pelo set com os personagens, deixando tudo mais familiar para o público.
 
Tim Burton e a produtora Allison Abbate no set de Frankenweenie
 
 
 
Recomendamos para você