Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 10.06.2009 10.06.2009

Apenas o começo

Por Bruno Dorigatti
Foto de Tomás Rangel (Matheus Souza) e divulgação

Apenas o fim estréia em circuito nacional nesta sexta-feira, 12 de junho. Na compra de um ingresso para o filme, apresentando seu cartão Saraiva Plus, o segundo ingresso sai de graça.

> Veja a entrevista exclusiva ao SaraivaConteúdo

Matheus Souza nunca dirigiu um curta-metragem. Sua estréia como diretor de cinema é com o já premiado Apenas o fim, longa-metragem rodado na universidade onde estuda, a PUC do Rio de Janeiro. O orçamento veio de uma rifa de uísque. Batendo na porta do Departamento de Comunicação da universidade, conseguiu a câmera de alta definição (HD) emprestada, contanto que ela não saísse do campus, onde o filme foi todo rodado, durante as férias. De um restaurante, veio a ajuda para a alimentação. Marcelo Camelo, que estudou no mesmo curso, foi procurado e cedeu uma música para o filme. Amigos da faculdade toparam fazer parte da equipe, e amigos do teatro, do elenco. “”Não é uma solução [para se fazer um filme]. Ninguém ali tinha que sustentar uma família. Só mostrei que o jovem, se quiser, dá para arranjar uma alternativa””, afirma o diretor em entrevista exclusiva ao SaraivaConteúdo (veja abaixo). O filme entra em cartaz em circuito nacional nesta sexta-feira, 12 de junho.
E assim Matheus conseguiu realizar a despretensiosa comédia que trata da última hora de um relacionamento, abordando o ponto de vista de sua geração, essa que ronda os 20 anos, foi criada pela tv a cabo e educada pela internet, de certa maneira. Erika Mader faz a personagem que resolve terminar o namoro com Tom, representado por  Gregório Duvivier, e viajar por aí, para algum lugar entre Paris e Iguaba Grandre. O filme acompanha a última hora dos dois, juntos, passando a relação a limpo, entre erros, dúvidas, acertos.

 
Para Gregório, “”Apenas o fim é absolutamente sincero. Ele é um filme de um jovem que tem a coragem de falar de si e não um retrato congelado e estereotipado do que se entende por ‘jovem’. É um auto-retrato afetivo de uma geração””. Erika Mader conheceu Matheus no Tablado, onde estudaram teatro juntos Ele mandou o roteiro e ela topou na mesma hora: “”Me encantei pelo texto, pela simplicidade, pela proposta, pela ousadia, pela escolha do Gregório, por trabalhar com uma galera nova, por tudo. O filme é legal, divertido e despretensioso. Carrega um amadorismo apaixonante e tem músicas lindas. É engraçado e triste””.
A intenção de Matheus, que também escreveu o roteiro, foi retratar a sua geração, que cresceu nos anos 1990, permeada pela cultura pop e os avanços tecnológicos. “”Eu já estava fazendo algo pretencioso, que é um longa aos 20 anos. Então eu queria pelo menos falar de uma coisa que eu sabia, situações e diálogos que tinha vivido, da minha geração. Eu acho que dá para conhecer uma pessoa melhor pelos gostos, principalmente as pessoas da minha geração. A gente foi criado pela tv a cabo e educado pela internet, de certa forma. Ela sabe tudo sobre cada aplicativo do Iphone, mas, ao mesmo tempo, é completamente perdida nos sentimentos, não sabe lidar direito com isso. Eu não sei, pelo menos””, afirmou.
 
Com o longa pronto, Matheus procurou Mariza Leão, produtora de Meu nome não é Johhny, entre outros, que gostou do filme e topou ajudá-los nesse caminho final. Foi aí que ele viu que o filme poderia dar em alguma coisa. E de fato deu. O filme levou os prêmios de Melhor Filme do Júri Popular, Menção Honrosa do Júri Oficial no Festival do Rio 2008 e o Prêmio de Melhor Filme do Júri Popular na 32ª Mostra de São Paulo. Apenas o fim também foi selecionado para diversos festivais internacionais: Off Câmera, em Krakow, Polônia, Festival Internacional de Rotterdam (IFFR) – na Competição Ibero-Americana do Festival Internacional de Miami, Festival de Cinema Brasileiro em Paris, França, e na Premiere Brazil, no MoMA, em Nova York.
“”Fiz o filme para aprender. Leio muitos livros de entrevistas com diretores e nove entre dez dizem que o melhor jeito de aprender é fazendo. Então eu só queria aprender””, conclui Matheus.

> Confira o site oficial do filme

> Assista à entrevista exclusiva de Matheus Souza




> Assista ao trailer de Apenas o fim

 

Share |

Recomendamos para você