Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 02.04.2013 02.04.2013

Amor por desafios: as ousadias de Ang Lee

Por Edu Fernandes
 
Na última cerimônia de entrega do Oscar, a maioria dos espectadores apostava que a estatueta de direção iria parar nas mãos de Spielberg por Lincoln. Uma das maiores surpresas da noite foi a premiação de Ang Lee na categoria.
 
Lee conquistou seu segundo Oscar por As Aventuras de Pi, que chega às lojas em DVD e Blu-ray em 3 de abril de 2013. O filme conta a história de um jovem náufrago que tem a companhia de um tigre no bote salva-vidas.
 
Uma das ousadias do cineasta nessa produção foi escalar Suraj Sharma para o papel principal. Se dirigir um estreante é difícil, Ang Lee elevou o nível ao colocar seu protagonista para contracenar com um personagem que não estava no set. Na maior parte das cenas, o tigre foi criado por computação gráfica.
 
A história de Lee com a Academia começou na virada do século, quando foi indicado pela primeira vez por O Tigre e o Dragão (2000). A ousadia já estava presente no filme por usar os poderes sobrenaturais de lutadores que normalmente estrelam produções trash.
 
Em O Tigre e o Dragão, Lee deu poderes sobrenaturais aos lutadores
 
Na estreia do diretor no Oscar, os saltos exagerados nas cenas de luta são usados em nome da plasticidade cinematográfica. Com essa escolha, a beleza das sequências de O Tigre e o Dragão colocou o nome de Ang Lee em maior evidência.
 
Com a notoriedade vêm os grandes convites, e Lee foi escolhido para dirigir Hulk (2003). A ousadia foi criar um estudo sobre o super-herói no roteiro, por mais que mudanças na história de sua origem fossem necessárias. Além disso, o filme insinua que Bruce Banner sente prazer ao se transformar no gigante esverdeado.
 
Cena de Hulk 
 
Elementos dos quadrinhos foram incorporados à linguagem cinematográfica de Hulk, especialmente na edição. No entanto, o desvio da narrativa em relação à história original causou um descontentamento geral nos fãs.
 
Ang Lee volta a ser indicado ao Oscar por O Segredo de Brokeback Mountain (2005) e dessa vez sagra-se vencedor. No longa, o diretor considera a história de amor entre dois cowboys suficientemente polêmica e se contém.
 
O polêmico O Segredo de Brokeback Mountain
 
Com esse recuo, a produção se aproxima de outros filmes românticos sobre amores proibidos. Essa forma sincera de encarar o enredo conquistou o público, seja gay ou heterossexual.
 
Anos depois de O Tigre e o Dragão, Ang Lee volta a dirigir um filme falado em mandarim com Desejo e Perigo (2007). Durante a Segunda Guerra Mundial, uma mulher mantém um caso com um político para enviar informações a um grupo de guerrilheiros.
 
O aspecto marcante na produção são as fortes cenas de sexo, gravadas ao longo de 11 dias em um set fechado, com equipe mínima. O resultado foi tão convincente que ofendeu autoridades chinesas. A atriz Tang Wei foi banida da mídia e precisou se mudar para Hong Kong para seguir adiante com sua vida.
 
Desejo e Perigo é falado em mandarim
 
Depois das fortes cenas de sexo, Lee concentrou-se no uso de drogas em Aconteceu em Woodstock (2009). Apesar de se passar durante um dos mais emblemáticos shows de rock de todos os tempos, não há apresentações musicais nas cenas do filme.
 
Por outro lado, se não há sexo e rock’n’roll, o uso de drogas se faz presente. Ang Lee evidencia a parte sensorial para que o espectador sinta que está no meio da viagem dos personagens. As cenas se adaptam para representar os efeitos de cada substância experimentada.
 
Cena de Aconteceu em Woodstock
 
Para o futuro, ainda não há projetos confirmados para o diretor. O que se pode ter certeza é que a ousadia estará presente.
 
Veja o trailer de As Aventuras de Pi:
 

 
 
Recomendamos para você