Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 02.02.2010 02.02.2010

A piada mais engraçada do mundo

Por Vinicius Valente

“Durantetrês anos vocês usuários nos trapacearam pegando dezenas de milhares de nossosvídeos e colocando-os no YouTube. Agora os lados estão trocados. É hora de nósresolvermos o problema com nossas próprias mãos. Nós sabemos quem vocês são,onde moram e podemos ir atrás de vocês de formas horríveis demais para sedizer. Porém, sendo os camaradas que somos, descobrimos um jeito melhor de daro troco: Criamos o nosso próprio canal no YouTube!” A irreverência contida namensagem exibida no canal do site de compartilhamento de vídeos mostra que, pormais que o tempo passe, os comediantes britânicos do Monty Python não perdemseu dom para a piada. Em 2009, 40 anos após o programa ter ido ao ar pelaprimeira vez na rede britânica BBC, chegou ao Brasil o DVD Almost Truth – The Lawyer’s Cut, queconta a história completa de um dos grupos de comédia de maior sucesso nomundo. Vale a pena conferir.

Além de trazer novas entrevistas com os integrantes JohnCleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones e Michael Palin, o documentário apresentaimagens de arquivo do ex-integrante Graham Chapman – falecido em 1989 – commuitas das pessoas que contribuíram ou influenciaram o grupo. Entre asentrevistas e imagens de arquivo, o DVD é ilustrado com diversos clipes dasérie original e dos filmes. Esta é a primeira vez em mais de 20 anos que oscinco Pythons restantes se reúnem para um projeto como esse.

O filme é dividido em seis partes. A primeira foca na vida dosintegrantes antes do Monty Python’s Flying Circus, enquanto a segunda aborda areunião do grupo e o começo do programa. Já o terceiro trecho é sobre o fim dasérie, que antecede a parte sobre a transição para os filmes E agora algo completamente diferente (1971) e MontyPython e cálice sagrado (1974). A quinta parte relembra o espetáculo A vida de Brian e as diversascontrovérsias que causou e, para finalizar, o documentário aborda o show Monty Python ao vivo no Hollywood Bowl (1982), o filme O sentido da vida (1983), além da morte de Graham Chapman e do caminho tomado por cada membroapós o fim do grupo.

Ao todo, foram quatro temporadas na televisão do MontyPython’s Flying Circus, projeto que se extendeu não só para shows e filmes, maspara programas de rádio e livros também. Os Pythons atuavam e escreviam oroteiro de seus quadros, marcados pela irreverência e o humor focado noabsurdo. A maneira de estruturar os episódios foi inovadora: diversos sketchesrecheados de personagens, tiradas cômicas e imagens de animação surreal. Eracomum a lógica do roteiro ser interrompida abruptamente, como no caso dopersonagem “Coronel”, que entrava em cena para dar ordens quando o absurdopassava dos limites.

Depois do fim dos projetos, os Pythons seguiram carreirasindividuais, como John Cleese, que protagonizou diversos filmes em Hollywood eMichael Palin, rodando o mundo em séries de televisão.

O nome do grupo é uma junção de significados. A primeiraparte, Monty, se trata de um tributo ao lendário general britânico LordMontgomery. Python surgiu pela vontade dos membros de ter uma palavra quesoasse evasiva. Além disso, os integrantes acharam a combinação de Monty Pythonengraçada, característica indispensável para nomear esses comediantes. Algunsfãs afirmam que Monty Bodkin, personagem humorístico do autor P.G. Wodehouse pode ter exercido influência no nome.

No Brasil, diversos humoristas seguem o estilo “non-sense”dos Pythons, como Luís Fernando Guimarães, Evandro Mesquita, Regina Casé eBruno Mazzeo. Basta assistir ao documentário para perceber a semelhança.

> Confira o site oficial e o canal do Monty Python no YouTube

> Monty Python na Saraiva.com.br


Share |

Recomendamos para você