Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 24.01.2014 24.01.2014

A parceria Scorsese-DiCaprio

Por Edu Fernandes
 
É muito comum no cinema que diretores repitam parcerias com atores ou atrizes. Uma dessas “duplas inseparáveis” é formada por Martin Scorsese (A Invenção de Hugo Cabret) e Leonardo DiCaprio (O Grande Gatsby). Os dois foram indicados ao Oscar por O Lobo de Wall Street, a quinta vez em que trabalham juntos. O filme estreia no Brasil em 27 de janeiro.
 
DiCaprio vive Jordan Belfort, um homem que ficou milionário com o mercado de ações durante os anos 1980 e 1990. O longa narra desde a chegada de Belfort a Nova York na juventude até a meia-idade, quando está envolvido em investigações do FBI por fraude e outros crimes do colarinho branco.
 
Nesse intervalo, o protagonista organiza maracutaias com o dinheiro alheio, em uma vida com muitas mulheres e sob o efeito de vários tipos de drogas. Tudo isso narrado pelo próprio Jordan e com abundantes palavrões nos diálogos. Por causa de seu conteúdo agressivo, o filme tem encontrado resistência no mercado exibidor de alguns países.
 
Baseados no livro de memórias homônimo escrito por Jordan Belfort, O Lobo de Wall Street acumula mais três indicações ao Oscar: filme, roteiro e ator coadjuvante para Jonah Hill (Vizinhos Imediatos de 3º Grau).
 
Estar entre os indicados da Academia de Hollywood não é novidade para Scorsese e DiCaprio. Quando trabalham juntos, normalmente esse é o resultado. Coincidência ou não, tudo começou com outra produção que se passa na metrópole estadunidense. Gangues de Nova York (2002) concorreu em dez categorias, mas encerrou a noite de premiação sem estatuetas.
 
Cena do filme Gangues de Nova York
 
O longa se passa em meados do século XIX e narra a vingança de Vallon (DiCaprio), um jovem que testemunhou na infância a morte do pai (Liam Neeson) pelas mãos de Bill Cutting (Daniel Day-Lewis). Vallon mostra-se um líder nato, uma característica partilhada por muitos papéis de Leonardo sob o comando de Martin.
 
O protagonista infiltra-se nos Nativistas, bando comandado por Cutting que defende a soberania dos “verdadeiros americanos” sobre os negros e outros imigrantes. O choque de Gangues de Nova York se dá pela gradação da violência física entre os personagens.
 
Cena do filme O Aviador
 
Em seguida, ator e diretor se reencontram em mais uma cinebiografia sobre um homem rico e poderoso que luta para manter o controle sobre sua mente. O Aviador (2004) se passa entre os anos 1920 e 1940 e teve 11 indicações ao Oscar, das quais cinco se concretizaram em troféus.
 
Howard Hughes foi um cineasta e aviador marcante. No entanto, o que mais chama a atenção sobre sua vida é como a fama e o poder tiveram um impacto negativo em seu equilíbrio psicológico. No ápice de sua loucura, Hughes trancou-se em sua mansão por medo de morrer se entrasse em contato com germes.
 
Cena do filme Os Infiltrados
 
Depois de sete chances desperdiçadas, Martin Scorsese finalmente sagra-se ganhador do Oscar por Os Infiltrados (2006), único filme em parceria com Leo que não é uma produção de época. No total, a fita tinha cinco indicações e só não levou para casa o prêmio de ator coadjuvante para Mark Wahlberg.
 
O enredo gira em torno de um policial (DiCaprio) infiltrado na gangue de Frank Costello (Jack Nicholson) e de um criminoso (Matt Damon) que conseguiu entrar na força policial. O mais envolvente em Os Infiltrados é a caçada simultânea entre os dois.
 
Cena do filme Ilha do Medo
 
A única vez em que a parceria Scorsese-DiCaprio não levou à participação na festa da Academia de Hollywood foi com Ilha do Medo (2010). A razão por trás da ausência não está ligada à qualidade do filme. A produção foi lançada nos Estados Unidos em fevereiro, fora da chamada “temporada das premiações”, com filmes que entram em cartaz em Los Angeles no final do ano.
 
Como Os Infiltrados, o longa narra uma caçada. Em 1954, o investigador Teddy Daniels vai a um hospital-prisão para criminosos doentes mentais com o objetivo de esclarecer o desaparecimento de um dos pacientes. Em pouco tempo, percebe-se que há muito mistério nesse thriller psicológico.
 
Para o futuro, não há confirmação de que Scorsese reafirmará a parceria com DiCaprio pela sexta vez. O que se pode esperar é pela cerimônia do Oscar em 2 de março para conferir se, depois da quarta indicação, Leonardo DiCaprio finalmente será laureado por sua performance.
 
Veja o trailer de O Lobo de Wall Street:
 

 
 
 
Recomendamos para você