Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 29.04.2010 29.04.2010

A metamorfose da animação

Por Vinicius Valente

Com pouco mais de um centenário de existência, as animaçõesou desenhos animados estão com sua cara totalmente reformulada. O que começouno início do século passado a partir do uso de tecnologias precárias evoluiu detal maneira que, atualmente, viabiliza projetos recentes que unem com excelênciapersonagens animados e atores reais. A perfeição é tamanha que não seria nenhumabsurdo se algum espectador realmente acreditasse na existência dos azulões de Avatar, nos roedores de Alvin e os esquilos ou dos seres quehabitam o mundo de Alice no país dasmaravilhas.

O termo animação refere-se ao processo de produçãoindividual de cada fotograma de um filme, podendo ser desenvolvido por computaçãográfica ou desenhado a mão. Quando as imagens criadas de forma a continuar a açãoexibida na sua precedente são colocadas em ordem e vistas a uma velocidade de16 ou mais fotogramas por segundo, cria-se uma ilusão de movimento contínuo, ouseja, uma animação.

Considerado o primeiro desenho animado da história em umprojetor de filmes e criado pelo francês Émile Cohl , Fantasmagorie foi exibido em 1908 tendo menos de dois minutos de duração.Porém, foi somente em meados da década de 1910 que começou-se a produzir animaçõesno então cinema mudo, ainda em curta-metragem, visando a um público maisadulto, com piadas e roteiros. O primeiro filme animado de longa-metragem foi oargentino El apóstol produzido porQuirino Cristiani e exibido em 1917. Em seguida veio As aventuras do Príncipe Achmed (1926), da alemã Lotte Reiniger edo franco-húngaro Berthold Bartosch. A partir daí começou-se a desenvolver umasérie de produções animadas com personagens conhecidos até hoje pelo público,como o Gato Félix, criado nos anos 1920. Na mesma década surge o famoso MickeyMouse, de Walt Disney, que trouxe consigo efeitos sonoros, uma revolução para operíodo. Na década seguinte, surge Betty Boop, personagem bastanteinfluenciada pela época, uma menina de cabeça grande e com um vestido não muitoadequado para os padrões da moda e dos costumes dos anos 1930. Em 1932, os estúdios Disneyinovaram novamente ao trazer Flores e Árvores, a primeira animação em cores. No final da década,a Warner Brothers entrou definitivamente no ramo, com as insanidades de Pernalonga,Patolino e companhia. William Hanna e Joseph Barbera se juntaram a trupe daanimação com objetivo de levar os desenhos para as telas das televisões. Assim,em 1949, estrearam Os Flinstones, Zé Colméia, Manda Chuva, Os Jetsons e outros.As décadas de 1950, 1960 e 1970 se seguiram com o surgimento de maispersonagens muito conhecidos, como Piu-Piu, Frajola e Pica-Pau. Os anos 1980deram vez a histórias com mais ação e luta, como a trama de He-Man, Caverna doDragão e Thudercats. De 1990 a 2000, ocorre um aprimoramento no humor dos desenhos,com sátiras e piadas mais elaboradas expressas em Pink e Cérebro, Animaniacs ouem Simpsons e South Park, de humor mais negro. No final da década, ocorre aindauma invasão de animês, as animações japonesas, que se fortalecem após o enormesucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco, que deu vez aos monstrinhos de Pokémon navirada do milênio.

Animação digital

No cinema, o ano de 2002 ficou marcado pela quantidade deanimações de qualidade. Ao todo, foram 17 filmes qualificados pela Academia deArtes e Ciências Cinematográficas, sendo cinco efetivamente da votação para oOscar. O vencedor foi Shrek, que concorreuao lado dos sucessos  Monstros S.A. (que terá uma seqüência em 2012) e Jimmy Neutron – o menino gênio. Todasestas foram produzidas com animação digital, ou seja, com o uso de softwaresavançados de computação. Este se trata de um subcampo da computação gráfica eda animação, onde cada vez mais se utiliza gráficos de computador em 3D paradesenvolver a animação. No entanto, é preciso ter cuidado para não confundir aanimação computacional em 3D com a exibição em 3D, a nova tendência do cinemamundial.


> Leia maissobre a tecnologia de exibição em 3-D digital


O que vem por aí

A DreamWorks Animation anunciou o lançamento de cinconovas longas em animação a cada dois anos, devido ao sucesso de algumas franquias, como Shrek, Kung Fu Panda e Madagascar. O primeiro para 2010 foi Como treinar o seu dragão, que estreou no final de março,tornando-se, em pouco tempo, um sucesso de bilheteria. Os próximos da lista são Shrek para sempre, o quarto dafranquia do ogro, marcado para estrear em julho no Brasil, Oobermind, uma sátira sobre o gênero de super-heróis, previsto parao final do ano, Kung Fu Panda 2, O gato e botas (da trama de Shrek), Madagascar 3 e The guardians conto de fadas contemporâneo envolvendo Papai Noel, o coelhinho da páscoa e afada dos dentes. Além destes, merecem destaque produções de outros estúdios deanimação, como Batalha por T.e.r.r.a.(Warner), Toy Story 3 (Disney) e Rio (Fox).


Os brasileiros animados

Esta última produção da Fox não terá um gostinho especialpara os brasileiros somente por ser ambientada no Rio de Janeiro. Rio será o novo longa dirigido pelo cariocaCarlos Saldanha, um dos grandes nomes do Brasil no mundo das animações.

Saldanha começou a trabalharnos Estados Unidos para ajudar nos custos de seu curso de animação porcomputação gráfica. Efetivado na BlueSky, empresa que desenvolvia animaçõespara comerciais de TV,  foi parar na Sony quando a gigante adquiriu acompanhia, visando concorrer com animações de sucesso da Pixar e DreamWorks. Emseguida, o brasileiro foi selecionado para co-dirigir o primeiro A era do gelo (2002),animação que arrecadou quase 400 milhões de dólares de bilheteria no mundointeiro. Com o sucesso, seguiu sendo escalado para a co-direção da animação Robôs (2005) e,a partir de A era do gelo 2 (2006),passou a ser o diretor principal das continuações da série. O sucesso absolutoveio em 2009, com os 878,5 milhões de dólares das bilheterias de A era do gelo 3 ao redordo mundo. Além de Saldanha, não se pode esquecer de Marcelo de Moura,especialista em animação digital. Moura tem no currículo a produção de animaçõespara diversos longas, como A era do gelo, Piratas do Caribe e Mulan. Seutrabalho mais recente foi na produção do longa de animação O segredo de Kells,que concorreu ao Oscar 2010.

Rio, de Carlos Saldanha, está previsto para estrear em 2011. É só aguardar para conferir o Brasil animado.

> Assista à uma entrevista com o diretor brasileiro Carlos Saldanha

> Assista à Fantasmagorie, de Émile Cohl

> Assista à primeira aparição de Mickey Mouse


> Assista à um episódio do Gato Félix dos anos 1920


> Assista à Flores e árvores, o primeiro desenho animado colorido

> Assista à Logorama, o curta-metragem ganhador do Oscar

Recomendamos para você