Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 19.04.2010 19.04.2010

A maravilhosa terceira dimensão

Por Vinicius Valente

Quando mandou Alice por toca a baixo, Lewis Carroll afirmouque não tinha “a menor idéia do que aconteceria em seguida”. E o autor devemesmo ter sido sincero, pois desenvolver o complexo cenário “nonsense” do paísdas maravilhas não se trata de uma tarefa qualquer, sobretudo na conservadorasociedade inglesa de 1887. Porém, por mais criativo e surreal que seja, oescritor britânico não podia sequer imaginar que, em 2010, 123 anos depois deescrever sua clássica história, o sorriso de seu gato de Cheshire seria capazde migrar das páginas para as salas de cinema e, ainda mais, saltar das telas epercorrer uma sala lotada de espectadores “quatro-olhos” maravilhados com amoderna  possibilidade de imersão nomundo de Alice. Não é conversa do Chapeleiro Maluco, a terceira dimensão jáestá entre nós.

Nos últimos anos o mercado cinematográfico vem assistindo a um boom defilmes em 3D digital, responsável por gerar um novo público cinéfilointeressado em abrir mais os bolsos para assistir os lançamentostridimensionais. Avatar veio paracomprovar essa tendência, pois a possibilidade de ver as florestas de Pandoraem três dimensões certamente contribuiu para os mais de 2 bilhões de dólaresarrecadados pelo longa até o momento. As salas tridimensionais estiveramlotadas, mesmo com o ingresso sendo, normalmente, 75% mais caro que os dasexibições em 2D. Alice no país dasmaravilhas, de Tim Burton, será a mais nova prova de força do cinema 3D. Aspaisagens das florestas de cogumelos, desertos e jardins do filme que estréiano Brasil no dia 23/04, se projetam para fora da tela, assim como os animaisfalantes e outros personagens malucos da história. Além disso, as exibições emtrês dimensões de filmes medianos como Diados namorados macabro e Premonição 4 também se destacaram, ao respingar o sangue dos personagens feridos em direçãodo público. Não se pode esquecer das animações, que, já estão fazendo uso datecnologia com primazia. Quem pode confirmar são os fãs de A era do gelo 3, Up-Altasaventuras, Monstros VS Alienígenas edo recente Como treinar o seu dragão.

Como funciona

O sucesso está sendo tamanho que alguns filmes velhos conhecidos dopúblico estão voltando a entrar em cartaz em versão 3D, como o caso de Toy Story e Titanic. Mas o que é feito para que as imagens digitais possamsaltar da tela? Tudo depende de ilusões de ótica para criar os objetos ou ascenas panorâmicas com profundidade. Os seres humanos têm visão binocular,enxergando uma imagem diferente com cada olho. O cérebro tem a responsabilidadede combiná-las fazendo uso da sutil diferença angular entre as duas imagens,melhorando a percepção humana de profundidade. A tecnologia 3D digital alteraessa percepção ao utilizar a polarização, fazendo as lentes dos óculos filtraremapenas ondas de luz alinhadas na mesma direção. A tela de exibição é criadapara manter a polarização certa quando a luz do projetor é refletida.

Um filme em 3D digital pode fazer uso de um ou dois projetores parareproduzir uma imagem. Os vídeos estruturados para dois projetores utilizamcada um para a reprodução da imagem para cada olho. A luz que forma cada imagemé polarizada, igualando as lentes correspondentes dos óculos. Já os sistemas deum apenas projetor, em geral, usam um dispositivo de polarização localizado na parte de cima de sua lente. Trata-se de uma placa polarizada que possibilita apassagem de luz para apenas uma das duas imagens de cada vez. Nessa estrutura,cada olho enxerga imagem respectiva para cada quadro do filme numa sucessãoextremamente rápida. O cérebro interpreta como uma imagem tridimensionalcontínua. Em alguns sistemas, existe a possibilidade ainda de utilizar óculosativos, que sincronizam-se com o projetor usando ondas de rádio, porém,normalmente, são mais pesados e mais caros que os óculos polarizados.

A maioria das produções em 3D ainda saem dos EstadosUnidos. A tecnologia ainda se encontra em fase embrionária no cinemabrasileiro. Porém, pelo menos cinco projetos estão na corridapara se consagrarem como o primeiro longa-metragem brasileiro exibido em 3D. Brasil animado, previsto para 2010, é um deles. Produzida pela MarianaCaltabiano Criações, a obra vai misturaranimação com cenários reais. Outro na lista é Terapia do medo, do cineastaRoberto Moreira. O filme de terror deve começar a ser filmado no segundosemestre deste ano. Completam a lista, A oitava princesa, Tainá 3 (a conhecidaíndia do cinema nacional) e um último projeto, ainda sem título, de MarceloSiqueira

Pirataria

A exibição cinematográfica em três dimensões vemregistrando recordes de bilheteria no Brasil e no mundo, o que atrai cada vezmais o interesse da indústria de filmes, que promete pelo menos mais 21lançamentos em 3D até o fim de 2011. Entretanto, o entusiasmo tem outra razão.Com a tecnologia, o setor acredita ter encontrado uma forma de amenizar osprejuízos na venda e distribuição de filmes em virtude da pirataria. Asexibições em três dimensões se tornaram mais um atrativo de público para oscinemas, já que o equipamento necessário ainda é considerado caro para seadquirir. Em média, cada projetor custa 45 mil dólares. Além disto, aorganização formada pelos estúdios Disney, Fox, Paramount, Sony Pictures,Universal e Warner Bros, chamada de DCI, estabeleceu que o filmes digitaisdeverão ser encriptografados com códigos escritos para liberar a exibição poucotempo antes do inicio das sessões. E mesmo se o filme for gravado durante suaexibição, a câmera só captará imagens desfocadas.

Das telonas paraas telinhas

No entanto, omundo tridimensional não deve ficar restrito ao escurinho do cinema por muitotempo. O sucesso atraiu os olhos da indústria de eletrônicos, que já estácomercializando alguns modelos de monitores 3D. Ainda no primeiro semestre, está previsto ocomeço das vendas das primeiras telas planas adaptadas para a emissão em 3D defabricantes como Sony, Panasonic, LG, Toshiba e Samsung. Outras novidades aguardaspelo mercado são televisores equipados com imagens em 3D e modelos em 2D aptosa receber o novo sistema no futuro.

Naárea das comunicações, o grupo BSkyB anunciou que ainda este ano lançará oprimeiro canal europeu com toda a programação em três dimensões. Porém, acorporação britânica não será a única. A rede de televisão ESPN vai estrear em junho o canal ESPN 3D, que fará a transmissãode 25 partidas da Copa do Mundo na África do Sul. Ao todo, o grupoesportivo vai transmitir 85 eventos em três dimensões durante o primeiro ano deexibição da mídia. O grupo Discovery não ficou para trás, pois tem a intençãode lançar um novo canal, ainda sem nome, que transmitirá, via cabo e satélite,conteúdo em 3D. Não se pode esquecer que mesmo a tecnologia migrando dastelonas para as telinhas, os óculos polarizados ainda serão necessários para ofuncionamento do efeito tridimensional.
Resta saber quanto será preciso desembolsar para ter acesso à maravilhosa terceira dimensão no conforto da poltrona de casa.


> Assista ao trailer de Alice no país da maravilhas


Recomendamos para você