Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 03.09.2013 03.09.2013

A hora e a vez do escritor independente

Por Cintia Lopes
 
Atire o primeiro lápis quem nunca teve um texto de autoria própria guardado há tempos no fundo da gaveta. Ou aquele caderno com pensamentos e crônicas jamais compartilhado com ninguém. E o arquivo com a obra pronta e completa à espera de ser apresentada em algum momento? Hoje a realidade é outra. A possibilidade de se tornar o mais novo autor da literatura brasileira está cada vez mais real e acessível.
 
O que antes era encarado por muitos como um processo complicado ou um sonho distante – já que a dependência de ser descoberto ou aprovado por uma editora era a única forma de ter um livro publicado – agora é coisa do passado. Bem mais democrático e ao alcance de todos, o conceito de self-publishing, ou seja, a autoedição para publicação de originais, chega à Saraiva com o lançamento do publique-se!.
 
Por meio da plataforma, os autores se autopublicam e transformam seus textos em livros digitais. Como se isso não bastasse, ainda podem contar com a comercialização e distribuição dos títulos nos sites da Saraiva e da Siciliano.
 
                                                                                                    Crédito/Cintia Lopes
A professora Ana Maria Assunção aprova a proposta do publique-se! e já planeja o lançamento de seu primeiro livro
 
O funcionamento é bem simples. Após um rápido cadastro, o usuário consegue fazer a conversão do arquivo PDF em e-Pub, formato em que o livro eletrônico, também conhecido como e-book, é comercializado. O preço é definido pelo próprio autor, que ainda tem pleno controle das vendas através do acesso ao relatório de desempenho.
 
Por isso mesmo, o estande do publique-se! dentro do espaço da Saraiva, localizado no setor azul da XVI Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, tem chamado a atenção dos leitores. E por que não, futuros escritores?
 
É o caso da educadora Ana Maria Assunção, 60 anos, de São Pedro da Aldeia, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Escritora nas horas vagas, como ela própria se define, Ana Maria se animou com a possibilidade de tornar públicos seus textos, que incluem um livro de poesias feito em parceria com o marido, João Batista, quando completaram 36 anos de casados, e uma autobiografia.
 
Para ela, a inspiração surge em qualquer momento, mas, na maioria das vezes, é através da observação do comportamento humano e de acontecimentos do cotidiano. “Já fiz poesia até quando estava entrando numa igreja”, recorda. “Quem nunca sonhou em ter um livro publicado, né?”, admite a professora.
 
                                                                                                     Crédito/Cintia Lopes
Natalia Pipas: interesse por poesia e admiração por Chico Buarque
 
A possibilidade de ingressar no mundo da literatura sem burocracias também realçou o interesse de Natalia Pipas. Aos 19 anos, a estudante, que cursa Ciência da Computação, gosta de música e poesia e tem Chico Buarque como referência.
 
“Escrevo desde pequena e já ganhei alguns concursos de poesia. Mas tenho vários textos inéditos até mesmo para a minha família”, brinca. “Não conhecia essa plataforma do publique-se!. Acho que é uma grande chance para novos escritores”, avalia.
 
Já a amiga Erica Xavier é fã de séries como Friends e tem textos inspirados nas hilárias situações vividas por Rachel e companhia. “Escrever é um hobby, mas preciso superar a vergonha de divulgar”, admite.
 
A facilidade em finalmente realizar o sonho de ter uma obra publicada foi o que mais chamou a atenção do engenheiro mecânico Danny Aronson, que visitava o estande do publique-se! na Bienal no último fim de semana. “Confesso que o esforço de correr atrás de editora e toda aquela burocracia de direitos autorais me deixavam desanimado”, afirma.
 
                                                                                                   Crédito/Cintia Lopes
Danny Aronson e o foco na literatura de ficção científica
 
Leitor assíduo de livros digitais, interessou-se em conhecer mais sobre a plataforma recém-lançada pela Saraiva. Ele é fã incondicional de Jornada nas Estrelas e ficção científica e, por isso, seus textos recebem forte influência dessas temáticas. “Sempre procurei pesquisar bastante sobre esses assuntos para poder desenvolver algo diferente, mas dentro do contexto”, explica o engenheiro mecânico, que tem guardado na manga um texto intitulado "Contos de Dombrowa" e outros técnicos. “Os amigos que leram aprovaram”, garante, antes de emendar: “Já havia pensado em publicar esses textos da maneira tradicional, mas, se você não tem apoio na comercialização, fica muito difícil, ainda mais para os autores iniciantes”, analisa.
 
Outra que recebe apoio dos amigos para lançar seu próprio e-book é a estudante Bianca Colaço. Ela, que começou a exercitar a veia de escritora fazendo resenhas de livros em blogs especializados, é fã da dobradinha romance/drama. “Gosto de explorar e entender a psicologia dos personagens”, explica. Para Bianca, a influência dos e-books é inevitável. “Com a evolução tecnológica, os livros digitais serão cada vez mais populares”, prevê. Uma noite de autógrafos, mesmo que virtual, não está descartada para essa turma.
 
                                                                                                    Crédito/Cintia Lopes
Com o incentivo dos amigos, a estudante Bianca Colaço (a quinta, da esquerda para a direita) pensa em tornar públicos seus textos 
 
Para mais informações sobre o publique-se!, clique aqui.
 
XVI Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro
Local: Riocentro – Avenida Salvador Allende, 6.555, Rio de Janeiro, RJ
Estande da Saraiva e publique-se!, Setor Azul/Pavilhão 3 – L 05/H06
Datas e horários: entre 29 de agosto e 8 de setembro de 2013, durante dias da semana das 9h às 22h, e sábados, domingos e feriados das 10h às 22h
Valor do ingresso: R$ 14,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia-entrada)
 
Recomendamos para você