Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 21.09.2009 21.09.2009

A era da estupidez

Por Bruno Dorigatti

 

O diretor Franny Armstrong ficou conhecido mundo afora como autordo documentário McLibel (McDifamação), que trata do processo levado a cabo por uma carteira eum jardineiro contra o Mc Donald´s, condenado na Inglaterra por explorar ascrianças com seus comerciais, produzir propaganda enganosa, utilizar-se de crueldadecom os animais e remunerar mal seus trabalhadores. 

Agora ele lança seu novo filme, um libelo contra as mudançasclimáticas, que mistura documentário e ficção, e trata do aquecimento global, e temas que permeiam essa discussão, como o cada vez mais insustentável mundo baseado e dependente do petróleo, as guerras que ele promove e provoca, a política que ainda tangencia o assunto das mudanças climáticas – embora já faça parecer que se interessa por ele com a urgência que o assunto exige -, consumismo e a estupidez humana. The age of stupid (A era da estupidez, em tradução literal) traz PetePostlethwaite vivendo em um mundo devastado no ano de 2055, que assiste a””imagens de arquivo””, filmadas em 2007 e 2008, e se perguntando por que nãoparamos as mudanças climáticas enquanto tínhamos a chance de fazê-la? 

É, portanto, um documentário feito hoje, mas especulando, em sua parte ficcional, aonde chegaremos em menos de 50 anos caso continuemos a agir desta maneira predatória com o planeta. 

O filme conta também, em sua parte documental, registradas recentemente, com FernandPareau, um guia de montanhas francês, de 82 anos; Jeh Wadia, que abre uma companhiaaérea de baixo custo na Índia; Alvin DuVernay, funcionário da Shell queresgatou 100 pessoas após o Furação Katrina, em Novas Orleans; Layefa Malemi,que vive na região mais rentável para a exploração de petróleo pela Shell, naNigéria; Jamila e Adnan Bayyoud, duas crianças iraquianas refugiadas que tentamachar seu irmão; e Piers Guy, um desenvolvedor de parques eólicos que tentacombater o forte lobby contra a nova tecnologia, na Inglaterra. 

A visão assustadora deste futuro próximo retratado em The age of stupid não é ficção científica. O especialista em clima Mark Lynastrabalhou como consultor do longa-metragem para garantir que os cenáriosmostrados no filme representam uma visão bem realista do que pode acontecer. (Leia mais sobre a base científica do filme

O mundo em que vive o Arquivista, personagem dePostlethwaite, é um destino plausível, caso as atuais políticas relativasàs emissões de gases com efeito estufa não comecem a ser alteradas em breve.Talvez a diferença esteja em quando chegaremos lá, se em 2055, quando se passa o filme, ou 2075. 

Completamente independente, The age of stupid levantou 450mil libras esterlinas (aproximadamente R$ 1,3 milhão) através da venda de ações para pessoas ou grupos. Aestréia mundial acontece nesta segunda e terça, 21 e 22 de setembro, comexibições nos cinco continentes, em mais de 45 países e 550 cinemas. A trilha sonora conta com Depeche Mode e Radiohead, cujo vocalista Thom Yorke fará uma apresentação ao vivo nesta segunda após a exibição do filme, de um local não revelado.

No Brasil, o filme será exibido em 12 cidades e 16 cinemas,nesta terça, 12. Confira os locais de exibição. Eassista abaixo ao trailer.

> Leia um artigo de Franny Armstrong, diretor do filme

Recomendamos para você