Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 29.03.2010 29.03.2010

A decepção de Nelly Furtado

O progressivo esvaziamento da pista da HSBC Arena não deixou dúvidas: Nelly Furtado decepcionou o público que foi conferir o show carioca da Mi Plan Tour na noite de domingo, 28 de março. A apresentação foi bem irregular, com alguns momentos beirando o constrangedor (como a presença desengonçada de alguns espectadores na música I Will Make U Cry) e até o universo brega (evocado em algumas imagens projetadas no telão de velha geração). O que salvou o show foram alguns hits, como I’m Like a Bird e Say It Right (este já no bis), que provocaram vibração no público. Nelly canta bem – e sua interpretação de Try atestou seu poder vocal – só que, em cena, ela não consegue conciliar bem todas suas personas musicais. E ela tem várias. A que lhe deu fama mundial é a imagem mais erotizada de seu terceiro álbum, Loose (2006), feito com as batidas padronizadas de Timbaland e Cia. Nelly baixou o tom no seu mais recente disco, Mi Plan (2009), cantado em espanhol. Este disco é, em tese, a base da turnê que vem percorrendo o mundo. De seu repertório, Manos al Aire se revela momento empolgante. Ainda assim, o show resultou confuso com produção aquém do status da artista no mercado. Não por acaso, no roteiro sem eixo, um dos momentos mais aplaudidos foi uma canção de Peninha, Sozinha, lançada por Sandra de Sá em 1996 e regravada (com grande sucesso) por Caetano Veloso em 1998. Nelly a cantou em português, com a desenvoltura de quem descende do povo lusitano.

Foto: Divulgação / Ricardo Amaral

Recomendamos para você