Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Música 27.11.2012 27.11.2012

A coroa do rei do pop

Por Thaís Ferreira
O álbum mais vendido da história da música (de acordo com a gravadora Sony Music, mais de 109 milhões de cópias foram vendidas no mundo todo), sucesso de público e aclamado pela crítica com sete prêmios Grammy.
Um disco formado por canções que se tornaram hinos da música pop, além de coreografias, clipes e roupas que marcaram não apenas uma, mas várias gerações, completa 30 anos. Se Michael Jackson foi o rei do pop, Thriller foi sua coroa.
No dia 30 de novembro 1982, a obra chegou às prateleiras das lojas com um repertório composto por uma mistura de ritmos que uniam pop, rhythm and blues, funk, dance e rock.
Das nove canções, sete alcançaram os primeiros lugares das paradas musicais: “Wanna Be Startin' Somethin”, “The Girl is Mine”, cantada em dueto com Paul McCartney, “Thriller”, responsável por transpor as barreiras entre música e cinema, “Beat it”, que contou com o guitarrista Eddie Van Halen, e ainda “Billie Jean”, “Human Nature” e “P.Y.T. (Pretty Young Thing)”.
“Naquela época, um álbum era trabalhado por mais tempo. As músicas viravam sucesso de forma espaçada. Thriller, por exemplo, levou quase dois anos para ser aproveitado em sua integridade. O próximo disco de Michael Jackson, Bad, só seria lançado em 1987”, relembra o produtor musical Maurício Guimarães.
 
Capa de 'Thriller'
"Beat it" um dos sucessos de 'Thriller'
O impacto de Thriller, no entanto, não ficou restrito apenas à década de 1980. As repercussões atravessaram o tempo e permanecem consagrando o disco. O SaraivaConteúdo selecionou algumas das performances mais interessantes ligadas ao álbum mais bem vendido de todos os tempos.
ALGUNS DANÇAM…
As coreografias do álbum se tornaram um grande sucesso e são repetidas até hoje. Entre os vídeos mais famosos, está a filmagem em que os prisioneiros do centro de detenção de Cebu, província das Filipinas, aparecem reproduzindo o clipe de “Thiller”. A dança, neste caso, fazia parte de um programa de reabilitação dos presos. Filmadas em 2007, as imagens se tornaram um viral na internet e os detentos ganharam fama mundial. Depois dessa apresentação, eles se inspiraram para outras performances. Após a morte de Michael Jackson, em 2009, os detentos dançaram ao som de "They Don't Care About Us" como forma de homenageá-lo.
 

 
A dança não tem idade, e prova disso é o ritmo de três idosos residentes na comunidade de Leisure World. Com mais de 70 anos e muita agilidade, eles decidiram reproduzir os passos do rei do pop em uma apresentação surpreendente da música “Billie Jean”.
 

 
As músicas de Michael Jackson também viraram as favoritas para os Flash Mobs, aglomerações rapidamente organizadas em que os participantes se juntam para uma determinada ação e, com a mesma velocidade, se dispersam. Entre as performances mais famosas na internet, está uma apresentação feita na em Estocolmo, capital da Suécia, em que um grupo de dança conseguiu reunir uma multidão para se mexer ao som da música “Beat it” em locais públicos da cidade.
 

No cinema, a cena em que os atores Jennifer Garner e Mark Ruffalo dançam a coreografia de “Thriller” no filme De repente 30 tornou-se memorável e levou uma nova geração a conhecer os passos do rei do pop.
Confira o trailer do filme:
 

 
…OUTROS CANTAM
Vários artistas famosos e anônimos já fizeram suas versões de músicas de "Thriller". A banda Fall Out Boy e o cantor John Mayer fizeram sua própria interpretação da música “Beat it” no álbum Live in Fenix, em 2008. A versão levou a canção mais uma vez às paradas de sucesso, mesmo após 26 anos de sua primeira gravação.
 

Alex Goot ficou famoso na internet por produzir, cantar e tocar as versões de músicas de grande sucesso. Michael Jackson não podia ficar de fora: ele fez sua própria versão de “Beat it”, tocando sozinho baixo, bateria, piano e violão. O solo de guitarra é feito pelo músico Rob McCurdy.
 

 
Coldplay também homenageou o rei do pop. A banda britânica, formada por Chris Martin, Guy Berryman, Jon Buckland e Will Champion, reinterpretou a canção “Billie Jean” durante seus shows e em apresentações para a televisão.
 

 
Para finalizar a seleção, o ídolo do jazz americano Miles Davis fez uma versão instrumental para “Human Nature”. A música fez parte do álbum You’re Under Arrest, gravado em 1985.
 

 
 
Recomendamos para você