Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Filmes e séries 12.08.2009 12.08.2009

A canção de Baal

Helena Ignez participou de 3 entre 4 filmes brasileiros na década de 60 e 70 como atriz. Musa dos diretores Glauber Rocha, Julio Bressane e Rogério Sganzerla, se tornou referência do movimento conhecido como Cinema Marginal. 
Ela está em Gramado apresentando sua primeira experiência como diretora de longas. Seu autoral filme A canção de Baal, co-dirigido por Michele Matalon, dividiu opiniões no Festival e concorre aos principais Kikitos de Ouro. No longa, Baal, poeta e cantor, é convidado por um mecenas para ter seu trabalho lançado internacionalmente. Mas o artista recusa o convite de ascensão social com sarcasmo e bom humor e escolhe uma vida outsider, de artista anárquico, gozador, que prefere a liberdade, zombando dos compromissos de uma vida social na qual não acredita.
Helena falou na coletiva de imprensa que já esta preparando a filmagem da esperada continuação do clássico de 1968 O bandido da luz vermelha, dirigido por Rogério Sganzerla, que conta com a atuação de Ignez, víuva do cineasta. Sganzerla deixou o roteiro pronto da continuação antes de falecer há alguns anos e tinha a intenção de filmá-lo.

> Assista ao avant trailer do filme

> Confira dois trechos do clássico O bandido da luz vermelha, de 1968

Recomendamos para você