Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Livros 12.09.2011 12.09.2011

20 anos depois

Por Andréia Silva
Na foto ao lado o escritor Scott Turow
 
“Queria evitar limitações”, diz Scott Turow sobre a demora em lançar sequência de Acima de Qualquer Suspeita
 
O escritor norte-americano Scott Turow esteve no Brasil no último final de semana para participar da Bienal do Rio de Janeiro, como convidado. Mas o que deslumbrou o escritor e advogado, autor do best-seller Acima de Qualquer Suspeita – que agora ganha continuação – e de outros títulos na linha da literatura policial, durante sua passagem pelo país foi conhecer Foz do Iguaçu.
 
“Os guias turísticos internacionais dizem que, se vamos ao Brasil, devemos visitar pelo menos três lugares: Rio de Janeiro, Salvador e Foz do Iguaçu”, disse Turow em entrevista ao SaraivaConteúdo, em São Paulo, com um olhar deslumbrado de quem guardou boas lembranças da cidade visitada.
 
Esta foi a segunda visita de Turow ao Brasil, dessa vez, para lançar o livro Inocente (Editora Record), continuação da história do ex-promotor Rusty Sabich, protagonista de Acima de Qualquer Suspeita. O livro, escrito em 1987, ganhou uma elogiada adaptação para o cinema, em 1990, com Harrison Ford.
 
“Na época, pensei que o livro era muito literário para ser considerado um suspense, e muito suspense para ser considerado literário”, diz sobre a primeira obra de sucesso. Como atua como advogado e no meio acadêmico, e seu maior desafio na época era “alcançar o grande público”, o que fez com êxito. A continuação da história levou mais de 20 anos porque o escritor queria evitar limitações.
 
“Imediatamente após o lançamento do livro as pessoas me disseram para publicar outra história de Rusty. Eu fui muito relutante. Não queria me limitar como escritor e ficar conhecido por apenas um personagem. Hoje, 20 anos mais tarde, já não tenho mais essa preocupação, e vejo que foi também uma forma de rever minha própria vida”, conta o escritor.
 

Scott Turow
 
A nova história, segundo o autor, simplesmente aconteceu. “Comecei a pensar novamente no personagem. Acredito que as melhores histórias vêm inesperadamente”, diz ele.
 
Adaptações para o cinema e TV
 
Dos oito livros de ficção escritor, Inocente será o quarto a ganhar uma adaptação para os cinemas, com direção [pela terceira vez] de Mike Robe. “É uma colaboração muito fácil, pois eles podem aceitar ou negar minhas sugestões e vice versa”, diz Turow, que costuma, sempre que há uma brecha na agenda, acompanhar as gravações no set.
 
Com estreia marcada para 29 de novembro, nos Estados Unidos, o filme conta com um elenco do primeiro escalão, como Bill Pullman, que interpreta Rusty, Marcia Gay Harden, Alfred Molina e Richard Schiff. 
 
Sobre outros livros que gostaria de ver adaptados, ele cita The Laws of Our Fathers (1996), que pode virar uma série na HBO, e Ordinary Heroes (2005), que ele diz ser “o único livro que nunca vendeu, mesmo sendo o título mais interessante desde Acima de Qualquer Suspeita”.
 
Ultimamente, é na TV que o gênero policial tem feito mais sucesso, com uma leva de séries dedicadas ao gênero. Para Turow, isso reflete o interesse do público “pela criminalidade e sua relação com a raiva, ciúme, paixão, cobiça, sentimentos comuns a todos”.
 
Para o escritor, enquanto o cinema de hoje se dedica mais ao “público de 18 anos, interessado em ficção científica, super-heróis ou comédias românticas, na TV, as séries policiais tem mais espaço e buscam um público mais adulto. “Mas são tantas que não conseguimos assistir todas”, brinca o escritor.
 
Em meio a tanto suspense, na ficção e na vida real, Turow diz que não pensa em escrever sobre outros assuntos, embora faça colaborações esporádicas para algumas publicações. “Gosto de pensar que eu escrevo, basicamente, sobre famílias. Quando decidi entrar na faculdade de Direito eu já era um escritor. Eu não penso muito em escrever sobre outro universo. Este é o mundo que conheço”, diz.
 
 
Recomendamos para você