Saraiva Conteúdo por Saraiva Conteúdo Games 14.09.2012 14.09.2012

20 anos correndo com Mario

Por Míriam de Souza
 
“Você sabe o que dizem: mantenha seus amigos perto de você e os inimigos, mais ainda. Mas também dizem que, se o seu inimigo é uma criatura espinhosa gigante que cospe fogo, mantenha-o super-duper-perto!”
 
A frase acima, dita em uma entrevista coletiva fictícia para o lançamento de Mario Sports Mix, em 2011, é a justificativa que Mario dá para praticar esportes junto com Bowser, seu eterno inimigo. Embora sempre tente sequestrar a princesa Peach, o vilão aparece constantemente ao lado do encanador em jogos competitivos. Esse costume completou vinte anos este mês – em 1º de setembro de 1992, Super Mario Kart foi lançado nos Estados Unidos e mudou para sempre os games de mascotes.
 
Inspirada por F-Zero – título para SNES de 1991, que só podia ser jogado por uma pessoa –, a Nintendo queria desenvolver um jogo de corrida para dois jogadores. Para isso, convidou os designers Tadashi Sugiyama e Hideki Konno. No começo, o novo game nem faria parte da série Mario – os protótipos mostravam um homem qualquer vestido de macacão, mas não havia relação com a franquia.
 
Konno e Shigeru Miyamoto (responsável pela criação de Super Mario Bros.) disseram, em entrevista ao site da Nintendo, que a decisão de usar personagens do mundo de Mario surgiu no terceiro ou quarto mês de desenvolvimento. Quando foram testar a animação que mostrava um kart ultrapassando o outro, colocaram o encanador italiano dirigindo um dos veículos. A ideia agradou aos desenvolvedores, que decidiram manter Mario na direção.
 
O resultado foi o primeiro jogo fora do gênero plataforma que permite controlar vários personagens da série Super Mario. Além do herói, estão presentes Luigi, Yoshi, Peach, Bowser, Donkey Kong Jr., Toad e Koopa Troopa. Para participar das corridas, é possível escolher entre cada um deles – cada piloto tem vantagens em um aspecto, como aceleração, curvas e velocidade máxima.
 
O game foi um sucesso. Super Mario Kart se tornou o terceiro jogo mais vendido do Super Nintendo, com 8 milhões de cópias comercializadas pelo mundo (os únicos que ultrapassaram esse número foram Donkey Kong Country e Super Mario World). Hoje, é possível jogar as versões mais recentes da corrida de kart: Mario Kart DS, Mario Kart 7, para o Nintendo 3DS e Mario Kart – Wii. A Nintendo percebeu que os fãs continuariam consumindo produtos com Mario, mesmo que não fossem jogos de plataforma.
 
Cena do jogo Mario Kart 2
 

Isso abriu oportunidades para a empresa japonesa. Depois da invenção de Mario Kart, não faltam séries com a turma do encanador italiano. Mario Tennis, Mario Party, Mario Golf, além da parceria com o antigo rival Sonic, que em 2008 resultou em Mario & Sonic at the Olympic Games e, neste ano, em Mario & Sonic at the London 2012 Olympic Games. Esses são apenas alguns dos jogos cuja existência foi possibilitada graças à competição de kart que começou em 1992.

UM NOVO GÊNERO – “KART RACING”
 
Inspiradas pelo sucesso de Super Mario Kart, diversas companhias criaram seus próprios games de corrida competitiva. Alguns trouxeram melhorias em relação à fórmula usada pela Nintendo, outros foram chamados de “clones” em seu lançamento. Confira:
Sonic Drift (1994)
Primeiro console portátil da empresa havaiana hoje sediada no Japão, o Sega Game Gear ganhou um game no estilo corrida de kart menos de dois anos após o lançamento da corrida de Mario para o Super Nintendo, com Sonic, Tails, Amy Rose e Dr. Eggman (conhecido também como Dr. Robotnik). É a primeira vez em que Amy, que é apaixonada por Sonic, aparece como personagem jogável nos games do ouriço azul.
 
Wacky Wheels (1994)
Os pilotos são oito animais diferentes, que podem jogar ouriços e bombas para atrapalhar os oponentes. A ideia foi da Apogee Software, empresa-irmã da norte-americana 3D Realms, responsável pela criação dos clássicos jogos para PC Duke Nukem e Wolfenstein 3D – um dos popularizadores do gênero de tiro em primeira pessoa.
 
Street Racer (1996)
Não que corridas de kart sejam muito violentas, mas a desenvolvedora francesa Ubisoft achou que valia a pena apimentar as competições e acrescentou elementos do gênero beat’em up. O jogador pode atacar os outros concorrentes – que parecem adultos vestidos como gangsters, mas que usam karts de cores berrantes – enquanto desvia de explosivos. O game saiu para Super Nintendo, PlayStation, Game Boy e Sega Saturn.
 
Crash Team Racing (1999)
Se Crash Bandicoot era considerado o Mario da Sony, nada mais adequado do que ter seu próprio jogo de corrida. Em Crash Team Racing, último game da série a ser produzido pela empresa Naughty Dog, era possível escolher entre personagens centrais e vilões dos games em plataforma de Crash.
 
Crash Team Racing
 
South Park Rally (2000)
Terceiro jogo baseado na série animada South Park, conta com os protagonistas Eric Cartman, Stan Marsh, Kyle Broflovski e Kenny McCormick. No game, que saiu para PlayStation, Nintendo 64 e Dreamcast, o prefeito de South Park decidiu que uma grande corrida seria feita pelas ruas. Os participantes podem usar qualquer tipo de veículo, até carros de polícia.
 
Konami Krazy Racers (2001)
Já imaginou Dracula, principal vilão da série Castlevania, andando de kart em plena luz do dia? Bem, a Konami imaginou exatamente isso e colocou o lorde das trevas ao lado de outros 11 personagens de games da empresa japonesa. Originalmente lançado para o Game Boy Advance, o jogo foi adaptado para iOS em 2009.
 
Sonic & Sega All-Stars Racing (2010)
Além de Sonic, maior mascote que a Sega já teve, é possível correr com um personagem quase esquecido, ofuscado pelo ouriço: Alex Kidd, que era usado como símbolo da empresa na época do Master System. O jogo saiu para diversas plataformas, como Xbox 360, iOS e Nintendo DS.
 
Imagem do jogo Sonic & Sega All-Stars Racing
 
Recomendamos para você